Informação sobre factos ou eventos que já aconteceram

Play - Prémios da Música Portuguesa
Play – Prémios da Música Portuguesa

3ª edição, celebra e premeia os melhores da Música Portuguesa

Dia 08 de julho, ao vivo no Coliseu dos Recreios e em direto na RTP1 a partir das 21:00

A 3.ª Edição dos Play — Prémios da Música Portuguesa, evento anual que celebra e premeia a melhor música produzida e consumida em Portugal, terá lugar de hoje a um mês, no dia 08 de julho de 2021, no Coliseu dos Recreios, em Lisboa, distinguindo os artistas e bandas nacionais com obras originais editadas durante o ano de 2020. Com transmissão em direto na RTP 1 e RTP Play, a partir das 21h00, a maior celebração da música em Portugal terá como anfitriã Filomena Cautela e será palco de atuações únicas, além de algumas surpresas.

Os nomeados, escolhidos pela Academia Play’21:

MELHOR GRUPO

Clã
HMB
Os Quatro e Meia
Wet Bed Gang

VODAFONE CANÇÃO DO ANO

“A Noite” – Stereossauro X Marisa Liz X Carlão
“Assobia Para O Lado” – Carlão
“Kriolu” – Dino D’Santiago feat. Julinho KSD
“Louco” – Piruka feat. Bluay
“Sei lá” – Bárbara Tinoco
“Tribunal” – ProfJam, benji price

MELHOR ÁLBUM

“Madrepérola” – Capicua
“Mais Antigo” – Bispo
“Kriola” – Dino D’Santiago
“Véspera” – Clã

MELHOR ARTISTA MASCULINO

Carlão
Dino D’Santiago
Samuel Úria
Sérgio Godinho

MELHOR ARTISTA FEMININA

Bárbara Tinoco
Capicua
Carolina Deslandes
Mariza

MELHOR VIDEOCLIPE

“+351 (Call Me)” – Nenny (Realizado por Tiago Plácido)
“A Noite” – Stereossauro X Marisa Liz X Carlão (Realizado por Bruno Ferreira)
“Assobia Para O Lado” – Carlão (Realizado por Fernando Mamede)
“Kriolu” – Dino Santiago feat. Julinho KSD (Realizado por João Pedro Moreira)

ARTISTA REVELAÇÃO

Chico da Tina
Cláudia Pascoal
Pedro Mafama
SYRO

MELHOR ÁLBUM FADO

“Amália por Cuca Roseta” – Cuca Roseta
“Buba Espinho” – Buba Espinho
“Do Coração” – Sara Correia
“Mariza Canta Amália” – Mariza

PRÉMIO LUSOFONIA

“É tudo pra ontem” – Emicida part. Gilberto Gil
“Inesquecível” – Giulia Be, Luan Santana
“Nzambi” – Esperança (Paulo Flores & Prodígio)
“Te gusta” – MC Kevinho

MELHOR ÁLBUM JAZZ

“Dianho” – André Fernandes
“Dice of Tenors” – César Cardoso
“Evidentualmente” – NoA
“Portrait” – João Barradas

Play - Prémios da Música Portuguesa

Play – Prémios da Música Portuguesa

MELHOR ÁLBUM MÚSICA CLÁSSICA / ERUDITA

“Duarte Lobo: Masses, Responsories & Motets” – Cupertinos
“Il Mondo della Luna de Pedro António Avondano” – Os Músicos do Tejo
“Joly Braga Santos – Complete Chamber Music III” – Olga Prats, Leonor Braga Santos, Irene Lima, Luís Pacheco Cunha, António Saiote e outros
“Luís de Freitas Branco / Sonatas” – Vasco Dantas, Isabel Vaz, Tomás Costa

Os PLAY – Prémios da Música Portuguesa são promovidos pela AUDIOGEST (que reúne editoras discográficas multinacionais, nacionais e independentes) e pela GDA (que representa artistas, executantes e intérpretes da música portuguesa) sendo por isso os prémios oficiais da música portuguesa.

A Vodafone Portugal é, pela terceira vez consecutiva, o Patrocinador Principal e além de premiar a música nacional no seu todo distingue, em particular, a única categoria a concurso eleita pelo voto do público, “Vodafone Canção do Ano”.

Recorde-se que na primeira e na segunda edição, os PLAY – Prémios da Música Portuguesa já distinguiram um total de 26 artistas e bandas, apresentaram 17 atuações ao vivo, surpreenderam com duetos inéditos e lançaram o evento que faltava à música nacional, em que músicos, produtores, editoras e demais agentes da indústria se podem encontrar e celebrar um ano de criatividade e de trabalho.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
José Augusto Alegria, musicólogo

Prémio José Augusto Alegria 2021

Concurso para Jovens Intérpretes – Canto e Piano

A Associação Eborae Mvsica promove, nos dias 10,11 e 12 de setembro, a 6.ª edição do Concurso para Jovens Intérpretes – Prémio José Augusto Alegria 20021, após um longo interregno, devido à falta de financiamento; desta vez nas modalidades de Canto e Piano.

No dia 12, às 21h00, realiza-se o Concerto dos Laureados no Teatro Garcia de Resende. As Inscrições para participar no Concurso terminam no dia 31 de agosto.

Na 6ª Edição – 2021 do Concurso podem participar Jovens Intérpretes, portugueses e estrangeiros. O Concurso tem como referência e patrono o Cónego Dr. José Augusto Alegria, que nos legou uma importante obra musical centrada no estudo e investigação das várias vertentes da “Escola de Música da Sé de Évora”, séculos XVI e XVII.

Os objetivos são o estímulo ao estudo da Música e à elevação dos níveis de desempenho, o desenvolvimento do gosto pela Música, a promoção de intercâmbio de aprendizagens e homenagear e dar a conhecer o patrono do prémio, Cónego José Augusto Alegria.

Condições de participação: Canto: Podem candidatar-se ao Concurso estudantes de música e jovens profissionais, em início de carreira, cuja idade não seja inferior a 18 ou superior a 32 anos; Piano: Podem candidatar-se ao Concurso estudantes de música e jovens profissionais, em início de carreira, nos seguintes escalões: 1 – Até aos 15 anos inclusive; II – Até aos 18 anos inclusive III – Até aos 25 anos inclusive; As idades reportam-se a 1 de agosto de 2021, inclusive.

Para mais informações contactar Eboræ Musica, Apartado 2126, 7001-901 Évora, eboraemusica.pt e-mail: eboraemusica@gmail.com

Prémios:

Canto:

1º Prémio – 1.000,00 €, atribuído pela Câmara Municipal de Évora, mais um Concerto no XXIII Ciclo de Concertos “Música e Outras Artes nos Claustros” 2022, em Évora; 2º Prémio – 750,00 €, mais Material didático; 3º Prémio – 500,00 €, mais Material didático. Prémio Melhor Interpretação de Canção Portuguesa – 500,00 €, mais Material Didático

Piano:

Escalão1 – 1º Prémio – 400,00€, mais material didático; 2º Prémio – 200,00 €, mais material didático; 3º Prémio – Menção Honrosa mais material didático;

Escalão 2 – 1º Prémio – 500,00€, mais Material didático; 2º Prémio – 300,00 €, mais Material didático; 3º Prémio – Menção Honrosa mais material didático

Escalão 3 – 1º Prémio – 1.000,00 €, atribuído pela Câmara Municipal de Évora, mais um Concerto no XXIII Ciclo de Concertos “Música e Outras Artes nos Claustros” 2022; – 2º Prémio – 500,00 €, mais Material didático; – 3º Prémio – Menção Honrosa mais material didático.

O Júri do Concurso é presidido por Benoît Gibson e tem como vogais Liliana Bizineche e Sandra Medeiros na modalidade de Canto, Ana Telles e Tito Gonçalves na modalidade de Piano. O Pianista acompanhador é Yan Mikirtumov.

José Augusto Alegria, musicólogo

José Augusto Alegria, musicólogo

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Festival Lusco-Fusco, Lisboa

Iniciativa da Sons Em Trânsito, o Festival  Lusco-Fusco é um ciclo de concertos que decorre ao anoitecer no Terraço do Capitólio. Decorre ao longo dos próximos 5 fins-de-semana, com início sábado e domingo, 26 e 27 de Junho, com as actuações de António Zambujo e Matay, respectivamente. O concerto de Matay, inicialmente agendado para as 20h00, será antecipado para as 18h30, mantendo-se os bilhetes já adquiridos válidos para o novo horário sem necessidade de qualquer troca. António Zambujo actuará às 20h00.

O festival Lusco-Fusco é uma iniciativa da Sons Em Trânsito que visa celebrar as noites quentes de verão ao som de alguns dos maiores artistas nacionais, num total de 10 concertos, ao longo de 5 fins-de-semana, respeitando todas as regras estipuladas pela DGS para a realização de concertos na fase actual de pandemia.

No próximo fim-de-semana, Gisela João apresenta a 3 de Julho, e pela primeira vez em Lisboa, o seu mais recente disco, “Aurora”, e no dia seguinte, 4 de Julho, é Tiago Nacarato, quem sobe ao palco com o sotaque do Porto e do Brasil na sua música.

No dia 10 de Julho, é a vez de os D.A.M.A apresentarem o seu mais recente espectáculo da digressão “Sozinhos à Chuva” e no dia seguinte a voz única de Elisa Rodrigues convida-nos para uma viagem entre o jazz e a pop.

AGIR, que recentemente editou o single “Prescrever” e se encontra a compor novo disco, apresenta-se ao vivo a 17 de Julho. No dia seguinte cabe a Irma apresentar a frescura do seu disco de estreia “Primavera”.

Carolina Deslandes, que no final de 2020 editou o EP e curta metragem “Mulher”, vai apresentar-se a 24 de Julho e Rita Redshoes, que edita um novo álbum de originais em Setembro, encerra o ciclo “Lusco-Fusco” com chave de ouro a 25 de Julho.

Festival Lusco-Fusco, Lisboa

Festival Lusco-Fusco, Lisboa

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Festim

O Festim é uma iniciativa da d’Orfeu AC com os nove Municípios parceiros: Águeda, Albergaria-a-Velha, Sever do Vouga, Estarreja, Ílhavo, Oliveira de Azeméis, Oliveira do Bairro, Ovar, Santa Maria da Feira. É apoiado pelo Ministério da Cultura / Direção-Geral das Artes, contando, nesta edição, com o apoio da AC/E – Acción Cultural Española (AC/E). O programa detalhado e bilheteira disponíveis em festim.pt.

Sílvia Pérez Cruz (Catalunha, Espanha), Loyko (Rússia), SkilleR (Bulgária), Luar na Lubre (Galiza, Espanha), Yamandu Costa Encontro Ibero-Americano (Brasil, Argentina, Portugal) e Dhoad Gypsies of Rajasthan (Índia) são os grandes nomes que compõem o cartaz do Festim 2021.

Com os três concertos praticamente esgotados, Sílvia Pérez Cruz é a atual grande voz da Península Ibérica para o mundo. Uma diva mundial, intérprete de estados de alma que tocam o seu público, assume-se como confluência de relações criativas, em tantos projetos, na sua impressionante carreira artística. Com vários álbuns aclamados e dois prémios Goya no currículo, a cantora e compositora catalã vai derreter o público do Festim, em três noites mágicas. Fulgurante e terna, Sílvia arrebata emoções a cada sílaba. Para ouvir de olhos fechados e pele de galinha.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Loures Jazz
Festivais, Ciclos e Temporadas de Música

Vila Viçosa, Maio-Dezembro

Temporada de Concertos de Vila Viçosa

Temporada de Concertos de Vila Viçosa

Vila Nova de Gaia, Junho-Julho

Festival Internacional de Música de Gaia

Festival Internacional de Música de Gaia

Castelo Branco, junho

Festival de Guitarra de Castelo Branco

Festival de Guitarra de Castelo Branco

Almada, Festival de Música dos Capuchos

Festival de Música dos Capuchos

Festival de Música dos Capuchos

Cidades do distrito de Aveiro, junho-julho

FESTIM

FESTIM

O Festim é uma iniciativa da d’Orfeu AC com os nove Municípios parceiros: Águeda, Albergaria-a-Velha, Sever do Vouga, Estarreja, Ílhavo, Oliveira de Azeméis, Oliveira do Bairro, Ovar, Santa Maria da Feira. É apoiado pelo Ministério da Cultura / Direção-Geral das Artes, contando, nesta edição, com o apoio da AC/E – Acción Cultural Española (AC/E). O programa detalhado e bilheteira disponíveis em festim.pt.

Loures, julho

Loures Jazz

Loures Jazz

Constância, Julho

Festival Internacional do Órgão e do Carrilhão

Festival Internacional do Órgão e do Carrilhão

Óbidos, julho-agosto

Semana Internacional de Piano de Óbidos

Semana Internacional de Piano de Óbidos

agosto-setembro

CIMA

CIMA

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Prémio Ilda Moura

A Escola de Música Guilhermina Suggia realiza em 2021 ano a 5ª edição do Prémio Ilda Moura, um concurso internacional de música que decorrerá no Porto de 10 a 13 de Junho.

Nesta 5.ª edição, além dos vários prémios atribuídos às várias categorias a concurso (cordas, sopros, piano e piano improvisação), serão entregues pela primeira vez dois prémios especiais:

  • o Prémio Ilda Moura, para o melhor candidato solista de entre todos os vencedores do escalão E, nos vários instrumentos, no valor de 1000€,
  • e o Prémio Daniel Cunha para o melhor intérprete de uma obra portuguesa na categoria Piano, em qualquer escalão aberto a concurso, no valor de 500€.

A 5ª edição conta ainda com outra novidade: a inclusão de uma nova categoria, o Piano Improvisação. Com esta iniciativa, o Prémio Ilda Moura procura dar visibilidade a outros géneros musicais – já lecionados na EMGS – começando por apoiar jovens pianistas amantes da improvisação em qualquer estilo musical.

Prémio Ilda Moura

Prémio Ilda Moura

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Festival Arte(S)em Palco

Organizado pela Bolsa D’Originais – Associação Cultural, com o apoio d Direção-Geral das Artes e do Município de Reguengos de Monsaraz, o Festival Arte(S)em Palco irá apresentar 15 espetáculos e 2 workshops a decorrer em 14 localidades do concelho de Reguengos de Monsaraz. Entre março e outubro de 2021, o público poderá assistir a espetáculos de música, teatro e marionetas.

Inserido num território geográfico de baixa densidade populacional e numa região já de si isolada do meio cultural nacional, o ciclo tem como objetivo principal ir ao encontro da população mais desfavorecida culturalmente, levando as pessoas a vivenciar e ter contacto com atuações artísticas às quais só poderiam ter acesso nos grandes centros urbanos.

Com a certeza de que a expressão artística e cultural é essencial para combater o empobrecimento e isolamento social, o Festival Arte(S)em Palco irá partilhar com o público momentos artísticos únicos, nunca antes assistidos nessas localidades.

Cique AQUI para ver o programa.

Festival Arte(S)em Palco

Festival Arte(S)em Palco

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
WPTA International Piano Competition

O I WPTA International Piano Competition (I WPTA Portugal IPC) é um concurso online de piano realizado através de seleção por vídeos, organizado pela equipa da divisão portuguesa da WPTA (World Piano Teachers Association) Portugal.

Regulamento:

1. O concurso é aberto a participantes de todas as nacionalidades.

2. A inscrição deve ser preenchida através do formulário de inscrição disponível em wpta.info/portugal

3. Não serão aceites inscrições incompletas.

4. A taxa de inscrição não é reembolsável.

5. As decisões do painel do júri são finais e irrevogáveis.

6. Os participantes que sejam alunos do júri não poderão participar no concurso.

7. O prazo de inscrição termina a 12 de junho de 2021. As inscrições recebidas após esta data não serão aceites.

8. Os resultados serão divulgados no dia 2 de julho de 2021, nas páginas web do concurso.

9. Poderão ser escolhidos vários participantes para o mesmo prémio em cada uma das categorias, com exceção do Absolute First Prize (Platinum Award).

10. Todas as peças deverão ser tocadas de memória, com exceção do repertório da categoria a quatro mãos (Piano Four Hands).

11. Os candidatos poderão participar em ambas as categorias Piano Solo e Piano Four Hands.

12. Para a categoria a solo (Piano Solo), a idade do participante no dia do encerramento das inscrições (12 de Junho) deverá ser considerada para efeitos de inscrição.

13. Para a categoria a quatro mãos (Piano Four Hands), a média de idade de ambos os participantes deverá ser considerada para efeitos de inscrição.

14. As taxas de inscrição para cada categoria são as seguintes:

• Piano Solo: 40€
• Piano Four Hands: 50€

15. Os participantes concedem à WPTA Portugal autorização para transmitir as gravações de vídeo dos vencedores nas páginas das redes sociais da associação.

16. A WPTA Portugal reserva o direito de realizar quaisquer alterações ao regulamento, calendário e outras informações relacionadas com os prémios.

17. Para informações adicionais, por favor contactar portugal@wpta.info

2 Categorias:

Piano Solo: Piano Four Hands:

A) 6-8 anos A) 6-8 anos
B) 9-11 anos B) 9-11 anos
C) 12-14 anos C) 12-14 anos
D) 15-17 anos D) 15-17 anos
E) 18-23 anos E) 18-23 anos

Repertório:

Piano Solo:

A) Duas peças contrastantes, até 5 minutos de duração.

B) Duas peças contrastantes, até 7 minutos de duração.

C) Uma peça ou andamento de sonata clássica e uma peça contrastante, até 10 minutos de duração.

D) Um andamento de sonata clássica e duas peças contrastantes, até 15 minutos de duração.

E) Uma sonata clássica (sem repetições) e duas peças contrastantes, até 25 minutos de duração.

Piano Four Hands:

A) Duas peças contrastantes ou andamentos de obra, até 5 minutos de duração.

B) Duas peças contrastantes ou andamentos de obra, até 7 minutos de duração.

C) Duas peças contrastantes ou andamentos de obra, até 10 minutos de duração.

D) Duas peças contrastantes ou andamentos de obra, até 15 minutos de duração.

E) Duas ou mais peças contrastantes ou andamentos de obra, até 20 minutos de duração.

Regras para as gravações para concurso:

Os participantes deverão enviar gravações de vídeo do repertório necessário para a participação no I WPTA Portugal IPC. As gravações de vídeo enviadas devem atender às seguintes condições:

• A gravação de vídeo deve mostrar sempre, com clareza, o rosto, as mãos e os pés do participante.

• A gravação não tem que ser profissional, mas aconselha-se a que esta deva ter boa qualidade de vídeo e áudio com o mínimo ruído de fundo possível.

• Só serão aceites gravações sem quaisquer edições.

• Os participantes poderão apresentar gravações diferentes para cada peça levada a concurso.

• A duração total dos vídeos enviados não pode exceder o limite de tempo especificado na seção Repertório.

• Os vídeos devem ser publicados no Youtube, como link público ou não listado, e serem enviados juntamente com a inscrição.

• Cada vídeo deve conter as seguintes informações na descrição do vídeo: nome do concurso, nome do participante, categoria em que o participante está a concorrer, nome da(s) peça(s) apresentada(s), compositor(es) e data de gravação.

• As gravações deverão ser posteriores a Março de 2020.

Procedimentos para inscrição e pagamento

• Toda a informação relativa aos formulários de inscrição e pagamento encontra-se disponível em www.wpta.info/portugal

• O formulário de inscrição para a categoria Piano Solo pode ser acedido através do seguinte link: https://form.jotform.com/211005478808354

• O formulário de inscrição para a categoria Piano Four Hands pode ser acedido através do seguinte link: https://form.jotform.com/211004135506035

• Para efetuar o pagamento da inscrição, por favor consulte o site www.wpta.info@portugal e siga as instruções apresentadas. De seguida, receberá um comprovativo de pagamento, que deverá ser anexado ao formulário de inscrição disponível no mesmo site.

Resultados:

Os participantes serão avaliados numa escala de 0 a 100 pontos, podendo obter as seguintes premiações:

• Absolute Prize – Platinum Award – 98 a 100 pontos.
• First Prize – Gold Award – 90 a 97 pontos.
• Second Prize – Silver Award – 80 a 89 pontos.
• Third Prize – Bronze Award – 70 a 79 pontos.

Poderão ser ainda atribuídos outros prémios, tais como:

• Merit Award
• Best Baroque Award
• Best Classical Award
• Best Romantic Award
• Best XX/XXI Music Award
• Best Piano Duo Award
• Young Virtuoso Award

Prémios:

• Todos os participantes receberão um diploma relativo ao respetivo prémio, assim como feedback do júri do concurso a propósito da respetiva prova.

• Será atribuído um diploma de reconhecimento de mérito aos professores cujos alunos obtenham resultados de destaque no concurso.

• Os participantes premiados serão apresentados nas páginas web da WPTA Portugal, através de publicação com a sua fotografia e dos vídeos da prova vencedora, após o concurso.

• Masterclasses (online) com membros do júri para os participantes premiados.

• O júri selecionará um primeiro prémio absoluto (Absolute First Prize) para oferecer a participação deste no concurso principal da WPTA, na Sérvia, cobrindo os custos da inscrição.

• O júri selecionará um participante premiado para participar no Festival Internacional de Música de Ávila (Espanha), em 2022, cobrindo os custos relativos às masterclasses.

• O júri poderá escolher um ou vários participantes premiados para oferecer a participação em diversos recitais a se realizarem nos anos 2022/2023.

WPTA International Piano Competition

WPTA International Piano Competition

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
South Music, Faro 2021

South Music junta músicos do Algarve e profissionais da indústria musical em Faro, nos dias 15 e 16 de junho de 2021.

Nos dias 15 e 16 de junho de 2021, Faro, cidade candidata a Capital Europeia da Cultura 2027, transforma-se na Capital da Música em Portugal, realizando a primeira edição do South Music. O evento tem por missão estimular o diálogo entre os músicos locais e os profissionais do sector musical, nomeadamente programadores, editores, agentes, produtores e meios de comunicação social.

O acontecimento assenta em quatro grandes vertentes: ações de formação e capacitação dos projetos musicais selecionados; showcases; networking; e conferências, com temas, convidados e moderadores a revelar brevemente, em conferência de imprensa. A comitiva de participantes e convidados será recebida pela organização do South Music e seus embaixadores, Dino D’Santiago, Júlio Resende, Nuno Guerreiro, Viviane e Zé Eduardo, músicos consagrados com fortes ligações ao Algarve.

Os projetos musicais do Algarve sempre tiveram alguma dificuldade em ganhar dimensão fora da região. Ciente desta realidade, a organização decidiu empenhar-se em encurtar as distâncias através da criação de um circuito de comunicação fluido, começando pelo convite aos profissionais do sector musical para se deslocarem a Faro e conhecerem alguns destes projetos. Deste modo, o South Music irá contribuir para dotar os artistas de ferramentas práticas que complementem o seu talento e os ajudem a alcançar a visibilidade necessária à integração no circuito musical nacional.

South Music, Faro 2021

South Music, Faro 2021

Para se candidatarem ao South Music, os artistas, a solo ou em banda, deverão cumprir alguns requisitos, desde logo, apresentar criações originais e ser algarvios ou residentes no Algarve, sendo valorizada a ligação dos projetos a Faro. As candidaturas devem ser submetidas até ao dia 30 de Abril de 2021, através do preenchimento do formulário no site www.southmusic.eu, onde poderá ser consultado o regulamento completo.

Os projetos serão avaliados por um painel de júri constituído pelos jornalistas Inês Meneses e Rui Miguel Abreu; pelo animador de rádio Fernando Alvim; pelo diretor do Teatro das Figuras Gil Silva; pela promotora, agente, manager e presidente da direção da APEFE Sandra Faria; pelo compositor, músico e produtor Renato Júnior; por Paulo Silva, programador do Festival Med e do Cineteatro Louletano; e por Nuno Saraiva, presidente da AMAEI.

Os projetos selecionados terão oportunidade de se apresentar em formato showcase aos participantes no South Music e frequentar ações de formação preparatórias, em áreas fulcrais para o desenvolvimento do seu percurso artístico.

Após o evento, o South Music continuará como uma plataforma alojando vídeos, áudios, informações e contactos das bandas participantes, funcionando como um agregador de conteúdos e veículo de comunicação com a indústria musical.

O South Music é uma iniciativa da Câmara Municipal de Faro, Teatro Municipal de Faro e Faro2027, relevante no processo de candidatura de Faro a Capital Europeia da Cultura, que tem procurado capacitar os agentes culturais. Nesse contexto, o South Music pretende afirmar-se como um exemplo da forma como o sector cultural e criativo pode ser apoiado e incentivado. É também um modelo de cooperação regional, ao extrapolar as fronteiras do Município de Faro para abrir as candidaturas a todo os músicos e bandas do Algarve.

A região tem respondido com o total apoio a este processo de candidatura através do envolvimento, desde a primeira hora, das principais entidades regionais, nomeadamente da AMAL, Universidade do Algarve e Região de Turismo do Algarve que se assumiram como co-produtoras da candidatura mas também da DRCultura, CCDR Algarve e IPDJ que confirmaram o seu interesse colaborativo. Importa ainda referir que o aumento da exportação da criatividade regional (interna e externa) é fundamental para dar a conhecer e expandir a produção cultural algarvia.

No contexto específico do South Music, além dos objetivos centrais da iniciativa, a Faro2027 irá apresentar a iniciativa South Music Geração Cápsula, que procura chegar a jovens criativos dos 14 aos 18 anos, através de um processo de curadoria que irá permitir lançar uma nova geração de músicos de Faro e do Algarve.

O South Music tem como parceiros a APEFE, SPA, GDA, Audiogest, AMAEI, Aporfest e a AEAPP – Associação Espetáculo.

Conheça AQUI os produtos Meloteca!

Meloteca, recursos musicais criativos para crianças, professores, educadores e animadores

Meloteca, recursos musicais criativos para crianças, professores, educadores e animadores

Meloteca, recursos musicais criativos para crianças, professores, educadores e animadores

Meloteca, recursos musicais criativos para crianças, professores, educadores e animadores

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Francisco de Sá Noronha (1820-1881). Um músico português no espaço atlântico
Francisco de Sá Noronha (1820-1881)

Em Outubro de 2019, na Biblioteca Nacional de Portugal, teve lugar o lançamento do livro Francisco de Sá Noronha (1820-1881). Um músico português no espaço atlântico, da autoria de Luísa Cymbron.

O livro traça a biografia de um violinista e compositor cuja vida decorreu entre Portugal e o Brasil num arco de sessenta anos que abrange as décadas centrais do século XIX. Nascido em Viana do Castelo, Noronha morreu no Rio de Janeiro, tendo cruzado cinco vezes o oceano Atlântico.

Português, emigrante, deveu a sua afirmação artística ao meio teatral carioca, tendo aí habitado durante o reinado de D. Pedro II. Como violinista, viajou pelas Américas e regressou à Europa e a Portugal, onde era praticamente um desconhecido. Empenhou-se na tentativa de criar, desde o Rio, o projecto de uma ópera nacional.

Depois de 1860, Francisco de Sá Noronha fixou-se durante uma larga temporada entre Lisboa e Porto e lutou obstinadamente para conseguir levar as suas obras à cena nos teatros de ópera portugueses.

Foi casado com Juana Paula Manso, uma escritora argentina, pioneira na defesa dos direitos da mulher, da qual se separou passados cerca de dez anos, e aparentemente viveu o resto da sua vida sem família.

Os seus derradeiros sucessos foram operetas que logo caíram no esquecimento.

No prefácio, Rui Vieira Nery, que também apresentou a obra, explica-nos que o texto nos esclarece “sobre a tipologia formal do repertório instrumental de concerto e de salão, bem como dos vários géneros vocais da canção de câmara e do teatro musical.

Analisa em profundidade a apropriação e a manipulação pelo compositor, na sua obra, das convenções de composição da ópera italiana e da opereta francesa do seu tempo.

Aborda em termos particularmente lúcidos a problemática da criação de uma ópera nacional em língua portuguesa, tanto em Portugal como no Brasil, à luz das estratégias de construção de identidades nacionais características da ideologia romântica, mas também das lógicas de distinção cosmopolita que pressupunham a circulação e a partilha, mesmo que transformando-os localmente, dos modelos de escrita emanados dos grandes centros de referência da vida musical europeia. […]

E consegue fazer tudo isto com uma narrativa cativante, uma linha de raciocínio clara e articulada, uma fundamentação rigorosa mas sem impedir a legibilidade da escrita, e, além do mais, com um suporte iconográfico de uma riqueza e uma diversidade impressionantes, permitindo ao leitor o contacto visual directo, não só com os retratos dos personagens e as imagens dos lugares do enredo, mas igualmente com uma documentação gráfica preciosa.”

Texto facultado por Luísa Cymbron, publicado na Meloteca a 15 de novembro de 2020

Partilhe
Share on Facebook
Facebook