José Gama Morgado

Clarinete . Saxofone . Direção . Composição

Natural da cidade do Porto, José Gama Morgado é clarinetista, saxofonista, professor, compositor e maestro. Iniciou os estudos de Clarinete aos 12 anos com Alberto Vieira, 1º Sargento da Banda da Região Militar do Norte. Em 1990, estudou no Conservatório de Música do Porto na classe de Moreira Jorge. Nesse mesmo ano, ingressou voluntariamente na Banda da Região Militar do Norte (Exército), onde muito cedo lhe foram atribuídas funções de patente superior em muitos concertos como solista e/ou concertista. Foram-lhe atribuídos três públicos louvores por bons serviços prestados à instituição. Durante este período interpretou uma obra para clarinete solo: “Introdução, Tema e Variações” de Rossini. Estudou com o conceituado clarinetista francês Paul Meyer.

Foi durante vários anos elemento da orquestra “Surprise Project”, com a qual trabalhou no Casino Solverde (Espinho), e também por todo o país em vários eventos, actuando com artistas consagrados como Rui Veloso, Luís Portugal, Fernando Pereira, entre outros.

Foi solista da OLVS Big Band em Clarinete e Sax-alto, tendo feito muitos espectáculos por todo o país e também participado em programas televisivos. Foi convidado a participar em alguns programas da Porto Canal.

Gravou para a RTP, SIC e TVI. Participou na novela da TVI “Sonhos Traídos”, inserido na orquestra privativa do elenco e banda sonora.

Foi membro fundador do quarteto de clarinetes “Adágio” e elemento do quinteto de sopros “Ventus”. Foi membro fundador do quinteto clássico Altu’s Quintet. Foi solista da Orquestra da Câmara de Pedroso, Orquestra Gulbenkian de Braga e Orquestra Sine Nomine, da Igreja da Lapa, tendo-se apresentado a solo nas mesmas. Também prestou serviços na Orquestra do Norte.

Colabora regularmente com a Orquestra Clássica do Centro.

Participou na estreia da ópera “Os Sinos da Macieira” de Natasha e Marina Pikoul. Tocou a solo em várias salas de Portugal e estrangeiro, em particular na sala Suggia da Casa da Música, interpretando um concerto para clarinete de Franz Danzi sobre um tema de Wolfgang Amadeus Mozart (D. Giovanni).

Colabora em muitas bandas filarmónicas do norte e centro do país como solista convidado. Gravou, a convite da Banda Flor da Mocidade Junqueirense, a obra Czardas de Vittorio Monti para clarinete solo.

Em 2014 foi convidado a participar no World Contest of Composition, tendo gravado as obras vencedoras nas categorias de Orquestra Sinfónica e Clarinete e Guitarra.

É compositor de várias obras para banda e vários grupos de música de câmara, como Quinteto de Sopros, Ensemble de Clarinetes e grupos corais.

Colaborou e trabalhou com conceituados maestros como: António Vitorino D’Almeida, Ivo Cruz, José Ferreira Lobo, Gunther Arglebe, António Saiote, Virgílio Caseiro, David Wyn Lloyd, António Baptista, Cesário Costa, Cónego António Ferreira dos Santos, José Atalaya, etc.

Leccionou as disciplinas de Clarinete, Saxofone e Formação Musical no Externato da Imaculada Conceição, Centro de Estudos Musicais em Gueifães (Maia) e na escola da Banda de Vila Boa de Quires (Marco de Canaveses). É professor de Clarinete e Saxofone na AACE (Ermesinde) e na escola Hangar do Rock, onde também lecciona Formação Musical.

Foi solista e chefe de naipe da Banda de Vila Boa de Quires. É membro fundador do Duo Contrastus. É membro fundador do Quinteto de sopros Douro Quintus. Trabalha regularmente na empresa Douro Azul com o Duo Contrastus, Altu’s Quintet e a solo. Ministrou, em Março de 2015 uma classe de aperfeiçoamento de Clarinete na Banda de Rio Tinto, (BSCRT). Ministrou, em Novembro de 2015 uma classe de aperfeiçoamento de Clarinete na Sociedade Artística Musical Carvalhense, Lavos – Figueira da Foz. É chefe de Naipe/Solista A da Orquestra Sinfonietta. Interpretou a solo o concerto para clarinete nº 1, Op. 73, de C. M. Von Weber.

É Chefe de Naipe/Solista A da Douru’s Orquestra e Chefe de Naipe/Solista da Banda Musical da Trofa. Frequentou o Curso de Direcção Musical (maestro) na vertente coral e orquestra de sopros, leccionado pelo Maestro Afonso Alves na sede do Orfeão da Foz do Douro.

Apresentou-se a exame para obter o grau de licenciatura em Direcção Musical conferido pela ABRSM (Associated Board of the Royal School of Music do Reino Unido).