Cesário Costa maestro

Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Cesário Costa

Direção de orquestra

Cesário Costa (n. 1970) tem vindo a distinguir-se em Portugal como um dos mais activos maestros da sua geração. Realizou os estudos musicais em Paris, onde concluiu o Curso Superior de Piano, e na Alemanha, onde completou com a nota máxima a Licenciatura e o Mestrado em Direcção de Orquestra na Escola Superior de Música de Würzburg, na classe de Hans-Rainer Foerster. Em 1997, foi o vencedor do III Concurso Internacional Fundação Oriente para Jovens Chefes de Orquestra. Nesse mesmo ano, foi bolseiro do Festival de Música de Bayreuth.

Como maestro convidado, dirigiu a Orquestra Sinfónica Portuguesa, a Orquestra Gulbenkian, a Orquestra Sinfónica de Nuremberga, a Orquestra Nacional do Porto, a Orquestra Metropolitana de Lisboa, o Remix Orquestra, o Ensemble für Neue Musik (Würzburg), a Arhus Sinfonietta (Dinamarca), a Orquestra Filarmónica da Macedónia, a Filarmonia Sudecka (Polónia), a Orquestra de Extremadura (Espanha), a Orquestra do Algarve, a Orquestra do Norte, a Filarmonia das Beiras, o Grupo de Música Contemporânea da UniRio (Brasil), o ESART Ensemble, entre outras orquestras. Participou em inúmeros Festivais de Música, de que se destacam o Festival de Música Atlantic Waves (Londres), Aberdeen (Escócia), Arhus (Dinamarca), Neerpelt (Bélgica), Dresden (Alemanha), Murcia (Espanha), Estoril, Póvoa do Varzim, Espinho, Mafra, Coimbra.

O seu já vasto repertório estende-se do barroco ao contemporâneo, incluindo mais de quarenta obras em estreia absoluta. Colaborou com a Casa da Música (Porto) nas óperas “Lo Speziale” de Joseph Haydn, “A Raposinha Matreira” de Janacek, “Brundibar” de Hans Krasa e “Der Jasager” de Kurt Weil. Dirigiu, entre outras obras, “Pierrot Lunaire” de Schönberg, a ópera “Il Trionfo d’Amore” de Francisco António de Almeida, a versão portuguesa da ópera “Hänsel und Gretel” de Humperdinck no Teatro da Trindade, a Sinfonia “À Pátria” de Vianna da Mota no Teatro Nacional de S. Carlos e, com a OrchestrUtopica, três óperas em estreia absoluta na Culturgest.

Em 2004, dirigiu a obra “For Samuel Beckett” de Morton Feldman no Teatro Nacional de S. Carlos. Neste momento, prepara um doutoramento na Universidade Nova de Lisboa, sobre o Maestro Pedro de Freitas Branco. Actualmente é Maestro Titular da OrchestrUtopica e da Orquestra Clássica de Espinho. É também director artístico dos Concertos Promenade do Coliseu do Porto e professor na Universidade Católica Portuguesa.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook