Teses de Música na Universidade de Évora

Universidade de Évora, Escola de Artes

Teses de Música discutidas na Universidade de Évora

[ Artigo em desenvolvimento, com base nas fontes da UE ]

Aspetos fisiológicos, interpretativos e técnicos a ter em conta na atribuição do reportório a uma voz, Ana Luísa Cardoso, 2013. Consulte AQUI.

A assimilação de influências de cariz popular na escrita contemporânea para saxofone, Tiago Jorge Cordeiro, 2012. Consulte AQUI.

A Canzona Prima A2 de Marcin Mielczewski no contexto da reinterpretação do repertório barroco polaco, Ewa Michalska, 2013. Consulte AQUI.

A coexistência de linguagens musicais diferentes, Tiago de Derriça, 2011. Consulte AQUI.

A contribuição de Fernando Lopes Graça para o repertório violinístico, Júlio Lima Neto, 2012. Consulte AQUI.

A Cultura Judaica e sua influência na Música do Século XX: Ernest Bloch, Edison Verbisck, 2012. Consulte AQUI.

A escrita idiomática para guitarra na música contemporânea, Pedro Nuno Louzeiro, 2013. Consulte AQUI.

A escrita violinística na tradição da escola Franco-Belga do séc. XIX, Ana Rita Bandeira, 2013. Consulte AQUI.

A estadia de Fernando Lopes-Graça em Paris (1937-1939) e respectiva influência na sua obra para piano, Tiago Lopes Oliveira, 2015.

A Expressão do castizo na zarzuela oitocentista e novecentista e no universo lírico argentino do século XX – os exemplos de chueca, Serrano, Barbieri, Giménez, Chapi Piazzolla, Maria Beatriz Cebola, 2014. Consulte AQUI.

A Forma no Contexto de uma Linguagem Composicional por Principio Gerador Ùnico, Gilson Jappe Beck, 2012. Consulte AQUI.

A Funcionalidade da textura no Discurso Musical, João Miguel Antunes, 2011. Consulte AQUI.

A importância do corpo na praxis musical: execução, interpretação e percepção, André Rafael Tempera, 2011. Consulte AQUI.

A importância e a influência do Génio de Frédéric Chopin (1810-1849) na vida e obra do pianista e compositor Milosz Magin (1929-1999), Barbara Scheffs-Endres, 2010. Consulte AQUI.

A influência de Chopin na música brasileira dos séculos XIX e XX: Considerações históricas, e análise comparada de obras representativas, William de Bueno, 2014. Consulte AQUI.

A influência de Teilhard de Chardin nas obras para flauta de André Jolivet: espiritualidade e filosofia em Ascèses, Pipeaubec e Une Minute Trente, Joana Maria Fernandes, 2014. Consulte AQUI.

A interpretação das obras para violino e piano de Fernando Lopes-Graça: perspectiva histórica antes e depois do centenário (2006), Joana Inês Gomes, 2012. Consulte AQUI.

A língua Portuguesa na Ópera do século XXI: os casos de Christopher Bochmann e Pedro Amaral, Pedro Francisco, 2013. Consulte AQUI.

A música para piano de Clara Schumann: uma perspectiva analítica, Ana Fernandes, 2013. Consulte AQUI.

A Notação e o Discurso Musical, Jorge Alberto Machado, 2011. Consulte AQUI.

A Problemática interpretativa do Concierto de Aranjuez, Tiago Miguel Vicente, 2012. Consulte AQUI.

A problemática da escrita musical para guitarra, na obra de Mario Castelnuovo – Tedesco: análise editorial da Sonata op.77 (Omaggio a Boccherini) e proposta de edição e digitação da Suite op. 133, André Daniel Lopes, 2015. Consulte AQUI.

A problemática interpretativa do Nocturnal de Benjamin Britten, Ricardo Batista, 2012. Consulte AQUI.

A relevância das divisões rítmicas mais complexas, Manuel Joaquim Costa, 2011. Consulte AQUI.

A relevância das divisões rítmicas mais complexas, Manuel Joaquim Costa, 2011. Consulte AQUI.

António Carreira: 4 Peças Inéditas para Órgão, Pedro Miguel, 2013. Consulte AQUI.

António Pinho Vargas – uma caracterização musical. Inter-relações estéticas e técnicas com a música do próprio autor, Ricardo Luís Correia, 2013. Consulte AQUI.

Aspectos Morfológicos do Ritmo em Composição, Gonçalo Alves Lopes, 2010.

Bach-Busoni Chaconne: A arte da transcrição, António Pedro Cebola, 2012. Consulte AQUI.

El Concierto para clarinete y orquesta de Jean Françaix, Rubén Rosado, 2012.

El movimiento corporal como parte de una pieza musical en el repertorio para clarinete, Felix Picon Gonzalez, 2012.

Elementos de jazz na música contemporânea para saxofone, Alexandre Geirinhas, 2012. Consulte AQUI.

Essay IX para Trompete de Christopher Bochmann – A Obra e a Interpretação, André Filipe Marçal, 2013. Consulte AQUI.

Estudio interpretativo de los conciertos para fagot, cuerdas e continuo: Concierto en Sib Mayuor RV 501, “La Notte”, de Antonio Vivaldi y Concierto en Do Mayor FWVL: C2, de Johann Friedrich Fasch, Mónica Acosta Celdrán, 2015. Consulte AQUI.

Estudos Interpretativos do Tenor nas Óperas – Rigoletto e Un Ballo in Maschera de Giuseppe Verdi, Marcos Santos, 2011. Consulte AQUI.

Heitor Villa-Lobos e a Educação Musical no Brasil, Jaqueline Barreto 2012.

Henri Dutilleux – Sonata para Piano – 1947/48, Pedro Gonçalves, 2012.

Henry Tomasi: Concerto para Trompete e Orquestra, Hélio Manuel Ramalho, 2012. Consulte AQUI.

Iniciación en la improvisación e creatividad en el jazz, Joaquin Montaña Maya, 2015. Consulte AQUI.

Introdução à música contemporânea no ensino do piano do 1º ao 8º anos, Ana Rita Nunes, 2012. Consulte AQUI.

Keiko Abe e a Marimba Solista, Ricardo Silveira, 2012. Consulte AQUI.

La Sonata para tuba “La Guerra de las Naranjas” de Salvador Rojo, Francisco Vidigal, 2014. Consulte AQUI.

Les Délices de la Solitude de Michel Corrette – O violoncelo e a Música Francesa de Século XVIII, Juliana Radke Silva, 2012. Consulte AQUI.

Manuel Ferreira Cardoso (1851-1923) A vida musical em Lisboa no final do século XIX e início do XX, Maria João Cerol, 2014. Consulte AQUI.

Mythes para violino e piano, op. 30 – contextualização e análise da obra de Karol Szymanowski, Francisco Moser, 2011.

O Aspecto visual na perfomance pianística, Ana Luísa Monteiro, 2010.

O choro contemporâneo de Hermeto Pascoal, Paulo Jorge Temeroso, 2013. Consulte AQUI.

O clarinete na música de câmara de Joly Braga Santos, João Pedro Santos, 2012.

O desenvolvimento do ensino de Alexander Scriabin através das suas quatro primeiras sonatas para o piano, Sara Fernandes, 2015. Consulte AQUI.

O Dramma Per Musica nos papéis verdianos de Nabucco, Rigoletto e Iago, Pedro Miguel Nunes, 2010.

O Hino “Veni Creator” de Nicolas de Grigny – Uma análise interpretativa da obra com especial ênfase na ornamentação e inegalité, Margarida de Oliveira, 2011. Consulte AQUI.

O Musical em Lisboa (2000-2010), Paulo Carrilho, 2012. Consulte AQUI.

O papel das Ferramentas para Gerar a Gerir a Figura como material de base do discurso musical, Ana Luísa Seara, 2010.

O Piano na Graciosa: Práticas Musicais durante a Primeira República, Fábio Manuel Mendes, 2011. Consulte AQUI.

O processo de difusão do violão clássico no Brasil através da ” Escola de Tárrega” entre 1916 a 1960, Leandro Gonçalves, 2015. Consulte AQUI.

O Ritmo nos limites da estruturação da memória: o estudo dos intervalos de tempo e das acentuações, César Filipe Silveira, 2013. Consulte AQUI.

O saxofone após o concerto de Jorge Peixinho 1961, Ricardo João Pires, 2011. Consulte AQUI.

Obra vocal de câmara de S. V. Rachmaninov, Anna Marenkova, 2011. Consulte AQUI.

Os Tentos de meio registo e as batalhas de Pedro de Araújo: questões de autoria e edição crítica, Sérgio Manuel Silva, 2011. Consulte AQUI.

Os Tímpanos como Instrumento Solista no Contexto da Percussão de Altura Definida, Lídio Correia, 2010. Consulte AQUI.

Pablo de Sarasate, Elena Rodríguez Adame, 2011. Consulte AQUI.

Phantasiestüke para clarinete e piano op. 73 de Robert Schumann: Uma outra voz, a mesma música, Carlos Tony Gomes, 2011. Consulte AQUI.

Primeros Pasos En La Educacion Musical Del Trombonista, David Taboada Rama, 2013. Consulte AQUI.

Referências à morte na música para piano solo nos séculos XIX e XX: Marchas Fúnebres e Tombeaux, Ana Carvalho Marques, 2012. Consulte AQUI.

Reportório de Jazz para guitarra solo, Mário Manuel Delgado, 2015. Consulte AQUI.

Ron Miller e o pensamento modal-cromático no jazz – abordagem analítica, Alexandre Diniz, 2015. Consulte AQUI.

Sonata op.22 de Alberto Ginastera – Estudos de Interpretação, Joana Maria Gama, 2010. Consulte AQUI.

Sonata para violino e piano de op.94 bis de Serguei Prokofiev: história e análise comparativa com versão original, Rui Pedro Cristão, 2012. Consulte AQUI.

Trompeta digital. Nuevas Tecnologias em el mundo clásico, Miguel Angel Melfi, 2014. Consulte AQUI.

Trompete – Interpretação e Condição Física, João Patrício Rocha, 2013. Consulte AQUI.

Uma Aproximação Estilística e Histórica ao Concerto n.º1 para Trompete e Orquestra de Charles Chaynes, André Filipe Dourado, 2014. Consulte AQUI.

Fonte:

Universidade de Évora, 15 de novembro de 2020

Partilhe
Share on Facebook
Facebook