Artigos

Estação de Santa Apolónia (Lisboa)

Santa Apolónia

Ando
de vez em quando
procurando o que há para achar
Se acho,
não me acho capaz para me encontrar
E parto,
de vontade em vontade, com vontade de andar
Que a cidade onde vivo
me faz vontade… voltar.
E ando
Vagueando
Chateado, um pouco zangado
Ando à toa,
… apanho o comboio, vou daqui para Lisboa.

Ando
Vagueando
Chateado, um pouco zangado
Ando à toa,
… apanho o comboio, vou daqui para Lisboa.

Ando
Vadiando
Chateado, um pouco zangado
Ando à toa,
… apanho o comboio, vou daqui para Lisboa.

Ando
Vagueando
Chateado, um pouco zangado
Ando à toa,
… apanho o comboio, vou daqui para Lisboa.

Chateado
Vagueando, um pouco zangado
Ando à toa,
… apanho o comboio, vou daqui para Lisboa.

Letra e música: Jorge Rivotti
Intérprete: Jorge Rivotti com Pedro Jóia (in CD “Lisboa a Sete”, Alain Vachier Music Editions, 2016)

Estação de Santa Apolónia (Lisboa)
Estação de Santa Apolónia (Lisboa)
Jorge Rivotti

Fugiu a Baixa,
de brinco de pérola ao Chiado;
Passou de passeio,
de risco de alfaiate ao Combro;
Subiu de navio
ao Poço dos Negros pontos,
dos sinais, no seu olhar.

Degrau em degrau,
Do bairro da Bica ao café ao alto
À proa… num alto,
no salto ao Bairro Alto.
À proa… num alto,
afundaste… do “Titanic”
… de Lisboa que há em ti.

Letra e música: Jorge Rivotti
Intérprete: Jorge Rivotti (in CD “Lisboa a Sete”, Alain Vachier Music Editions, 2016)

Jorge Rivotti
Jorge Rivotti
Jorge Rivotti

Lisboa, Lisboa,
Tu és a passagem por mim!
Lisboa, Lisboa,
O teu nome ainda nem vi!
Lisboa, Lisboa,
Tu és a passagem por mim!
Lisboa, Lisboa,
Só me basta que seja assim!

Ôh… ôh… ôh… ôh… ôh… ôh-ôh!…
Ôh… ôh… ôh… ôh… ôh… ôh-ôh!…

Ôh… ôh… ôh… ôh… ôh… ôh-ôh!…
Ôh… ôh… ôh… ôh… ôh… ôh-ôh!…

Letra e música: Jorge Rivotti
Intérprete: Jorge Rivotti (in CD “Lisboa a Sete”, Alain Vachier Music Editions, 2016)

Jorge Rivotti
Jorge Rivotti