Artigos

João Afonso

Mano Pedro

O coração tem a vista
bem virada para o mar
Tua mão cheia de areia
faz de conta que é luar

Quando o vento se põe lesto
faz-te à chuva e ao relento
O meu irmão tem um sonho
eu tenho-o no pensamento

O silêncio diz às vezes
tudo aquilo que guardamos:
os receios e os medos
e outras coisas que não damos

Quando o céu se torna estrela
a brilhar por um momento
o meu irmão tem um sonho
eu tenho-o no pensamento

Quando procuro guarida
nas canções, no desabafo
a dançar ao fim do dia
no guardar do teu abraço

Pensar na cor da janela
p’ra cantar, fazer em verso
O meu irmão tem um sonho
eu tenho-o no pensamento

Eu tenho-o no pensamento
Eu tenho-o no pensamento
Eu tenho-o no pensamento

Letra e música: João Afonso Lima
Intérprete: João Afonso (in CD “Missangas”, Mercury/Polygram, 1997, reed. Universal Music, 2017)

João Afonso

Com a Minha Toada

Vinha com a minha toada
entretida na viola
Mas quando penso o que penso
com a vertigem duma história
fico apenas com a minha toada
fico apenas com a minha toada

Janela aberta e o pastor dormia
O tempo inerte sob o sol sumia
e beijo a moça num lençol de rio
e beijo a moça num lençol de rio

Andam cavalos pintados
no campo, numa lagoa
O sonho pertence à tel
e alguém desenha que voa
Fico apenas com a minha toada
Fico apenas com a minha toada

Janela aberta e o pastor dormia
O tempo inerte sob o sol sumia
e beijo a moça num lençol de rio
e beijo a moça num lençol de rio

A moldura sem retrato recua pr’além
Protesto, mundo errado
que este mundo tem

A moldura sem retrato recua pr’além
Protesto, mundo errado
que este mundo tem

Letra e música: João Afonso Lima
Intérprete: João Afonso (in CD “Missangas”, Mercury/Polygram, 1997, reed. Universal Music, 2017)

João Afonso
João Afonso
João Afonso

Carteiro em Bicicleta

Quando for grande vou ser
quero ser um realejo
ter um pedaço de terra
fogo que salta ao braseiro
dormir no fundo da serra
quero ser um realejo

Carteiro em bicicleta
leva recados de amor
Vem o sono com a música
ao som do… do realejo

Quando for grande vou ser
quero ser um realejo
ter um burro, viola e cão
chamar a dança dos sapos
correr com a bola na mão
quero ser um realejo

Quando for grande vou ser
quero ser um realejo
colher amêndoa em telhados
dar banana às andorinhas
dobrar o cabo do mundo
quero ser um realejo

Carteiro em bicicleta
leva recados de amor
Vem o sono com a música
ao som do… do realejo

Quando for grande vou ser
quero ser um realejo
ter um burro, viola e cão
chamar a dança dos sapos
correr com a bola na mão
quero ser um realejo

Carteiro em bicicleta
leva recados de amor
Vem o sono com a música
ao som do… do realejo

Letra e música: João Afonso Lima
Intérprete: João Afonso (in CD “Missangas”, Mercury/Polygram, 1997, reed. Universal Music, 2017)

João Afonso
João Afonso
João Afonso, Missangas

Fala do Índio

O que é a vida? É o brilho.
O que é a vida? É a noite.
É o sopro do bisonte
no inverno, no inverno.

É sombra que corre na erva
e se perde ao fim do dia.
As cinzas dos antepassados
são p’ra nós sagradas
e quando os bosques sussurram
não sentimos medo,
e quando os bosques sussurram
não sentimos medo.

O que é a vida? É o brilho.
O que é a vida? É a noite.
É o sopro do bisonte
no inverno, no inverno.

É sombra que corre na erva
e se perde ao fim do dia.
As cinzas dos antepassados
são p’ra nós sagradas
e quando os bosques sussurram
não sentimos medo,
e quando os bosques sussurram
não sentimos medo.

O que é a vida?

O que é a vida? É o brilho.
O que é a vida? É a noite.
É o sopro do bisonte
no inverno, no inverno.

O que é a vida?
O que é a vida?

O que é a vida?

Letra e música: João Afonso Lima
Intérprete: João Afonso (in CD “Missangas”, Mercury/Polygram, 1997, reed. Universal Music, 2017)