Artigos

Afoxé

Afoxé (o mesmo que afuche, semelhante ao xequere africano) é um idiofone de agitamento tradicional do Brasil constituído por uma cabaça rodeada por uma rede de sementes ou contas (que podem ser de materiais diversos). O afoxe tradicional tem origem origem africana. Com uma configuração e materiais diferentes do tradicional, o afoxé moderno é mais resistente do que a cabaça natural.

Tantã, Brasil

Tantã (o mesmo que rebolo, ou tan tan) é um membranofone de percussão direta tradicional do Brasil. Tem forma cilíndrica (modelo que mais parece um tambor), ou afunilado na ponta (mais parecido com um atabaque). O corpo é de madeira ou alumínio. Em uma das extremidades usa-se uma pele que pode ser de animal ou polyester (napa). Existem vários calibres, fazendo com que o seu som varie do mais agudo ao mais grave. É utilizado para dar a marcação rítmica na música e muito importante no samba. O instrumentista serve-se das mãos para tocar, não se exigindo baquetas. Uma das mãos toca a pele do instrumento e a outra o corpo.

Zunidor

Zunidor é um aerofone livre e rodopiante, constituído por uma placa de 41 cm x 9,5 cm, pintada com pigmentos naturais, presa a um cordel, tradicional do Brasil. O Matapu, ou o espírito zunidor, é considerado um dos espíritos donos da plantação de Pequi. Neste importante ritual, os Mehinako fazem zunidores, que produzem um zunido ao ser girado em velocidade. Estas placas de madeira são parte da tradicional Festa do Pequi. Através deste ritual os Mehinako fazem preces para que este e outros espíritos tragam fartura na próxima colheita. O zunidor é, portanto, um objeto que carrega boa ventura e traz consigo toda a força e proteção da floresta através da cultura Mehinako.

Caxirola

Caxirola é um idiofone de percussão indireta por agitação do tipo chocalho criado por Carlinhos Brown para o Campeonato do Mundo de Futebol 2014 no Brasil. Inspirado no caxixi, é feito de plástico e material sintético e existe com as cores da bandeira do Brasil.

Caracaxá, Nordeste Brasileiro

Caracaxá é um instrumento tradicional de Pernambuco, Brasil, originário do Nordeste Brasileiro. Instrumento da família dos idiofones de agitamento, é feito de um recipiente de metal com sementes e tem um formato original e futurístico. Habitualmente cada mão segura um caracaxá que agita alternadamente, mas pode ser tocado por uma só mão.

Apito de samba, 5 x 18 cm

Apito, apito de samba, ou pito tradicional brasileiro, é um aerofone de som agudo, de madeira. Nas escolas de samba, ajuda o mestre de bateria a sinalizar mudanças de padrão rítmico e tímbrico. Há apitos de um, dois e três sons. O apito de samba brasileiro representa o mais autóctone da música tradicional, tanto o samba como a batucada. Fácil de transportar, é ideal para improvisar, ritmar e liderar a festa. Há apitos de outros materiais, tanto em Portugal como no Brasil, de metal, plástico ou cerâmica.

Atabaque com suporto

Atabaque, ou tabaque, é um tambor unimembranofone afro-brasileiro com corpo de madeira. O nome tem origem no termo árabe al-Tabaq.

Rói-rói infantil

Rói-rói é um aerofone livre e rodopiante, brinquedo sonoro tradicional do Nordeste brasileiro feito de madeira, corda de caroá e barro, também chamado zumbidor, zunidor e sonidor. É utilizado também para sonoplastia de estórias.

Rói-rói ou berra-boi folclórico

Berra-boi é um aerofone livre mais pequeno que os rombos africanos ou o bullroarer australiano, constituído por uma peça de madeira (pequena tábua oblonga, chapa de osso, marfim, metal ou matéria plástica) ligada por um fio de nylon ou cordel a um cabo em que foi passado verniz ou cera de abelha. Por ação da mão, a vara gira no ar e o fio fricciona o cabo produzindo-se um som semelhante ao chiar de carro de bois, ou ao mugir do boi. No Nordeste do Brasil vê-se muito em feiras e tem diversos nomes: rói-rói, sonidor, zumbidor, zunidor.

Repinique de alumínio

Repinique é um bimembranofone de percussão direta tradicional do Brasil. Também chamado repique, é um tambor pequeno com peles em ambos os lados, tocado com uma baqueta por uma das mãos enquanto a outra toca diretamente na pele. Criado pelas escolas de samba para repinicar um som mais agudo, serve, frequentemente, como uma espécie de condutor musical das escolas de samba, anunciando “deixas” para o grupo. Ele é, também, destacado como instrumento solista, às vezes tocando introduções para sambas ou solando em batucadas.