Artigos

Dobro

Dobro é um cordofone dedilhado com braço trastejado da família das guitarras, com um ou mais discos de ressonância no corpo criada na República Checa (Europa).

Cantar, dançar e movimentar-se ao som da música são atividades perfeitas para favorecer o despertar musical de uma criança. Não há necessidade de ser um músico e de cantar muito bem para fazer jogos musicais com o bebé. O importante sentir prazer. É preferível propor-lhe curtas atividades para manter o seu interesse.

Eis algumas sugestões de atividades a fazer para jogar com a música.

Cante para o bebé no dia-a-dia. Aproveite os momentos de cuidados ou rotinas, como a mudança de fraldas, o banho, o arrumar dos brinquedos e a rotina do adormecer. Não hesite em cantar-lhe canções da sua infância. Recite também lengalengas pois desenvolvem o ritmo e divertem as crianças.

Divirta-se a transformar em conjunto canções e lengalengas. Por exemplo, cante com uma voz de “rato” ou de “gigante”, tocando nas suas mãos, mimando ou alterando as palavras. Estas variações permitem à criança familiarizar-se com elementos musicais como a duração, a intensidade e os diversos timbres de voz.

Convide a criança a prestar atenção aos sons quando ouve uma música. Por exemplo, faça-a ouvir um excerto de música colocando-lhe questões: “Que estás a ouvir?”, “Em que te faz pensar esta música?”. “O Carnaval dos Animais” de Camille Saint-Saëns, com excertos como “A Marcha Real do Leão” ou “Cangurus”, é uma obra interessante para este tipo de jogo. Faça-lhe ouvir várias vezes o mesmo excerto pois a repetição desenvolve a memória auditiva.

Deixe a criança divertir-se com instrumentos feitos em casa. Por exemplo, garrafas vazias bem fechadas, com arroz seco ou pedrinhas podem fazer maracas e um recipiente de gelado vazio e duas colheres de madeira pode funcionar como tambor. Ela aprende assim a fazer sons e a criar um ritmo.

Privilegie instrumentos musicais “verdadeiros” (carrilhão, xilofone, tamborim, maracas, triângulo) em vez das imitações de instrumentos em brinquedo (piano ou guitarra de brincar), pois o som que produzem é de melhor qualidade. Por motivos de higiene, instrumentos que vão à boca, como a harmónica ou a flauta, devem ser reservados a um só utilizador.

Crie ritmos batendo as mãos e peça à criança que os reproduza, depois inverta os papéis. Peça ao pequenino para inventar uma dança ao som da música. Pode também jogar à estátua musical: a criança deve dançar com música e fazer de estátua quando a música para.

Atenção à fadiga auditiva

Evite deixar música a tocar continuamente em casa. A música de fundo pode cansar a criança. Mesmo com volume baixo, há o risco de tornar a criança irritável e diminuir o seu desejo de ouvir e de comunicar. Não deixe a rádio ou a televisão ligada continuamente e desligue a música quando o pequenino já não lhe dá atenção. Momentos de calma permitem-lhe apreciar os sons do meio envolvente, e mesmo o silêncio.

A reter

A música faz muito bem à criança: diverte, acalma, além de estimular as suas aprendizagens, a sua criatividade e a sua linguagem.

Cantar, dançar e tocar instrumentos são formas de despertar a criança para a música.

Não é obrigatório ser músico ou cantar muito bem para iniciar a criança na música. O importante é divertir-se.

FONTES E REFERÊNCIAS

BOLDUC, Jonathan et Pascal LEFEBVRE. Des comptines pour apprendre. Les Éditions Passe-Temps, 2017, 45 p.

CORBEIL, Mariève et autres. «Singing Delays the Onset of Infant Distress», Infancy, vol. 21, no 3, mai-juin 2016, p. 373-391.

DÉSY PROULX, Monique. Pourquoi la musique? Son importance dans la vie des enfants. Les Éditions du CHU Sainte-Justine, 2014, 271 p.

MALENFANT, Nicole. L’éveil du bébé aux sons et à la musique. Québec, PUL, 2004, 384 p.

MALENFANT, Nicole. Vivement la musique! Avec les 3 à 6 ans. Montréal, Chenelière éducation, 2012, 232 p.

PEREZT, Isabelle. Apprendre la musique. Nouvelles des neurosciences. Éditions Odile Jacob, 2018, 155 p.

VAILLANCOURT, Guylaine. Musique, musicothérapie et développement de l’enfant. Éditions du CHU Sainte-Justine, 2005, 186 p.

Tradução do Francês, de Naître et grandir, por António José Ferreira

Bianca Ferreira e a maraca

Bianca Ferreira e a maraca

Portfolio Items