Artigos

Cornet à bouquin

Cornet à bouquin é um instrumento de sopro geralmente feito de madeira com embocadura com sete orifícios dedilhadores. Há quem faça remontar a origem do cornet à bouquin ao olifante, outros ao shofar hebraico. Há em museus mais de 300 cornetas históricas. A corneta histórica é uma família de instrumentos de que fazem parte a corneta muda, corneta contralto e corneta tenor (cornet muet, cornet à bouquin alto e cornet à bouquin ténor).

Giga, França

Giga é um termo que designa um instrumento de corda francês que remonta à Idade Média.

Toupin, França

Toupin é um idiofone tradicional francês que consiste num chocalho que se prende por uma correia de couro ao pescoço das vacas na subida às pastagens de montanha. Além disso, acompanha um instrumento chamado bagnolet.

Binioù, gaita de fole, Betagne, França

Biniou é uma gaita de foles da Bretanha (França). Cabrette (Auvergne), cornemuse du Centre, musette du Centre (Centro de França), craba (Montagne Noire), Boha (Gasconha), chabrette, chabrette limousine (Limousin), musette bressanne (Bresse),  veuze, bombard, biniou (Bretanha), chabretta, chabreta, cabreta, bodega (Occitaine), bousine (Normandia), samponha (Pirinéus), sourdeline, musette de cour, musette bechonnet, são nomes de diferentes de gaitas de foles de diferentes regiões de França.

Boha, gaita de fole, Landes, Gascogne, França

Boha, o mesmo que xirolarru, é um aerofone da família da gaita de fole, da região de Landes, Gascogne, França.

Galoubet, Provença, França

Galoubet é uma flauta antiga tradicional da Provença, França.

Chalumeau, França

Chalumeau é um instrumento de sopro de palheta tradicional de França, da família dos clarinetes.

Melophone, palheta livre, França

Melophone (não confundir com mellophone, instrumento de sopro da classe dos metais) designa um instrumento de sopro de palheta livre – como o acordeão, a concertina, o harmónio e a harmónica. Foi inventado em Paris em 1837 para a música clássica. O inventor, Pierre Charles Leclerc, fabricante de caixas de música, convenceu o compositor Fromentin Halévy a incluir um solo de melophone na sua ópera Guido et Ginevra em 1838, e isso abriu-lhe as portas de muitos salões parisienses. Todavia, o sucesso do melophone foi modesto e foi caindo em desuso nas décadas de 1850 e 1860.

Vielle à roue, viela de roda, Musées de Grasse, França

Vielle à roue (viela de roda) é uma espécie de máquina de fazer dançar que associa um jogo de bordões a um jogo melódico leve. Permanece ativa de modo especial no Centro de França. É hoje utilizada tanto no folclore como nas músicas atuais e eletrónicas.

Flutina, França, c. 1845

Flutina é um precursor francês do acordeão de botões diatónico. A versão mais antiga deste instrumento data de 1831. Foi criado por “Pichenot, o filho” e foi provavelmente o um dos primeiros acordeões capazes de tocar uma melodia.