Artigos

Chikara é um instrumento de corda friccionada de Bengal, Índia, usado no folclore indiano.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Ektar, Índia

Ektar, ektara, iktara, ou ik tara, é um instrumento de uma corda com corpo circular tocado na Índia, Bangladesh, Egito e Paquistão.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Duggi, membranofone, Índia

Duggi, dugi ou dukkar, é um membranofone indiano de percussão direta, em forma de timbales, tocado com os dedos e a palma da mão.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Dollu, bimembranofone, Índia

Dollu é um instrumento de percussão bimembranofone originário de Karnataka, Índia. Instrumento grande e pesado, tem corpo de madeira e pele de ovelha ou de cabra.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Dotara, cordofone, Índia, Bangladesh

Dotara, dotar, dotora, instrumento tradicional da Índia e nacional do Bangladesh, é um cordofone com corpo em forma de pera e braço longo em forma de cabo com duas cordas.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Iktara, Índia, Bangladesh, Egito e Paquistão

Iktara, ektar, ektara, ou ik tara, é um instrumento de uma corda com corpo circular tocado na Índia, Bangladesh, Egito e Paquistão.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Elathalam, pratos, Índia

Elathalam, ou llathalam, é um idiofone de percussão direta que consiste em dois pequenos pratos de bronze que entrechocam por ação das mãos do executante. É uma instrumento tradicional de Kerala e Tamil Nadu, no sul da Índia.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Ekkalam, Índia

Ekkalam é um aerofone usado especialmente em Tamil Nadu, Índia. Consiste num tubo comprido de metal com pavilhão. O som é produzido pela vibração do ar provocada executante, podendo a altura ser modificada pela tensão dos lábios e a força do sopro.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Urumili, Kerala, Índia

Urumili, ou urumi, é um tambor bimembranofone, em formas de ampulheta ou de cilindro, tradicional da Índia. É tocado com as mãos.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Santur, Índia

Santur (santoor, santour) é um instrumento de cordas tendidas horizontalmente que são percutidas com dois finos martelinhos de madeira esculpida. É um instrumento muito antigo da família das cítaras, com corpo trapezoidal, utilizado na Índia, Iraque e Irão. É um instrumento difícil e delicado que exige virtuosismo. O santur iraquiano difere um pouco do iraniano e do grego: tem mais possibilidades sonoras, com os seus 23 a 25 grupos de cordas “irmãs”; conforme os músicos, cada grupo pode ter 3, 4 ou mesmo 5 cordas.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook