Artigos

O fagote (do italiano fagotto) é um instrumento musical do tipo aerofone. É constituído por um longo tubo cônico de madeira de cerca de 2,5 metros, dobrado sobre si mesmo. A palheta dupla é fixada num bocal de cobre.

Na sua forma moderna apareceu no século XVIII. Figura em orquestras e grupos de música de câmara. Devido ao complicado dedilhado e às palhetas duplas, o fagote é um instrumento particularmente difícil de aprender, e os estudantes normalmente escolhem-no depois de dominarem outro instrumento de sopro, como a flauta ou o clarinete.

O fagote é o mais grave instrumento de madeira da família dos sopros. Ele se ramifica ainda em outros dois instrumentos: o fagotino e o contrafagote. O fagotino é um fagote menor e mais agudo, que atualmente está em desuso. O contrafagote é maior que o fagote, e soa uma oitava abaixo.

Instrumentos de sopro de madeira
Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Double contrabass flute, Magnus Manske

Double contrabass flute é a designação inglesa de um dos maiores e mais graves instrumentos de sopro da família da flauta transversal.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Flute, flauta transversal, Jethtro Tull

Flute é o termo inglês para flauta em geral, de madeira, osso, cana, metal ou outro material.

Designa também a flauta transversal, flauta transversa ou apenas flauta, aerofone da família dos sopros de madeira, embora seja na atualidade construída em metal.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook
Adriana Ferreira, flauta transversal

Flauta transversal, flauta transversa ou apenas flauta, é um aerofone da família dos sopros de madeira, embora seja na atualidade construída em metal.

A flauta transversal, tubo cilíndrico de metal aberto numa das extremidades, é composta por três peças independentes que o executante tem de montar de cada vez que vai tocar. Esta divisão facilita o transporte do instrumento mas, o que é mais importante, permite afiná-lo consoante se introduz mais ou menos a cabeça na parte superior do corpo.

As três secções são compostas pela cabeça (que acolhe a embocadura), o corpo (onde se encontra o complexo sistema de chaves), e o pé. Cada uma é montada na outra através das braçadeiras de encaixe metálico. A cabeça mede aproximadamente 22 cm de comprimento e possui um diâmetro que oscila entre os 17 e os 19 mm.

Museu Nacional das Bandas Filarmónicas

A embocadura apresenta um orifício lateral rodeado por uma chapa metálica na qual repousa o lábio inferior do executante. O corpo ou parte central é a de maior tamanho, cerca de 35,5 cm. Por ultimo, o pé tem um comprimento de 13 cm e é rematado por um aro final. Este instrumento não possui nenhuma palheta, mas o som é produzido através do bisel, colocado sob o lábio inferior do interprete. O bordo mais afastado do bisel corta a corrente de ar, na flauta moderna, uma chapa ajuda a dirigi-la corretamente e deste modo, é produzida a vibração da coluna interior e, por conseguinte, o som. Tem um som agradável e suave e oferece uma grande quantidade de matrizes sonoros consoante se toque no registo grave (mais quente) ou agudo (mais penetrante).

Fonte: Museu Nacional das Bandas Filarmónicas

Adriana Ferreira, flauta transversal
Adriana Ferreira, flauta transversal
Partilhe
Share on Facebook
Facebook