Artigos

Sticks, pauzinhos

Sticks – o mesmo que musicsticks, clappers ou clapsticks – são um idiofone de percussão direta constituído por um par de paus utilizados para manter a pulsação e acompanhar música vocal de aborígenes da Austrália, acompanhando o didgeridoo. Os aborígenes Yolngu do nordeste de Anhem Land chamam-lhe bimli ou bilma. Ao invés das baquetas, utilizadas para percutir em tambores, estas peças de madeira foram feitas para percutirem uma na outra.

Clapsticks

Clapsticks – o mesmo que musicsticks, clappers ou apenas sticks – são um idiofone de percussão direta constituído por um par de paus utilizados para manter a pulsação e acompanhar música vocal de aborígenes da Austrália, acompanhando o didgeridoo. Os aborígenes Yolngu do nordeste de Anhem Land chamam-lhe bimli ou bilma. Ao invés das baquetas, utilizadas para percutir em tambores, estas peças de madeira foram feitas para percutirem uma na outra.

Litofone é um instrumento de percussão constituído por pedras sonoras de diferentes tamanhos, em forma de barras ou outras, dispostas como as dos xilofones, ou em placas suspensas.

Wind chimes

Wind chimes é um idiofone de mão formado por tubos de metal ou de bambu pendentes que batem entre si com a agitação provocada pela mão ou pelo vento.

Taça tibetana

Taça tibetana é um idiofone tibetano de percussão direta constituído por uma taça metálica percutida ou friccionada por uma baqueta de madeira.

Agogô, Brasil

Termo yoruba que significa “sino”, agogô é um idiofone de percussão direta tradicional do Brasil constituído por duas, três ou quatro campânulas de ferro, coco ou madeira ligados entre si. O executante toca batendo com uma baqueta de madeira numa das campânulas (ou batendo uma campânula na outra, no caso dos agogôs de metal). O agogô entrou no Brasil por via africana, sendo utilizado nas danças de origem africana e similares (capoeira, e candomblé, por exemplo). O agogo de madeira é muito usado na música tradicional do Brasil e na Educação Musical em muitos países.

Chocalhos de Alcáçovas

Chocalho é uma campainha colocada pelos pastores ao pescoço das ovelhas, cabras ou vacas. Não sendo propriamente um instrumento musical, o chocalho de vaca já teve utilização em obras orquestrais (Sinfonia dos Alpes, de Richard Strauss, e Sinfonias nº 6 e nº 7 de Gustav Mahler). Chocalho aparece também como nome genérico de idiofones de agitamento do tipo maraca, com pequenos objetos no interior, ou do tipo chincalho, com soalhas que chocam. O Fabrico de Chocalhos, considerado Património Cultural Imaterial, é uma arte singular que existe na região do Alentejo há mais de dois mil anos. Ofício importante na identidade da região, esta arte preserva-se ainda sobretudo nos concelhos de Estremoz, Reguengos de Monsaraz e Viana do Alentejo, tendo sido passada de geração em geração, O centro de fabrico principal fica na freguesia de Alcáçovas, onde também se pode visitar o Museu do Chocalho, uma coleção particular com mais de 3.000 peças recolhida ao longo de 60 anos. O chocalho português é um instrumento de percussão tradicional, com um som inconfundível e um papel fundamental na paisagem sonora das áreas rurais, sobretudo onde ainda se pratica o pastoreio. A prática é transmitida de pais para filhos e requer um processo de fabrico manual muito próprio, antes das peças serem polidas e aperfeiçoadas.

Brinquinho, Madeira, Portugal

Brinquinho é um idiofone típico do folclore madeirense constituído por bonecos vestidos com trajes regionais, com caricas e castanholas que se movimentam pelo eixo vertical de uma cana de 60/70 cm. O registo iconográfico mais antigo data do início do século XX.

Caixa chinesa

Caixa chinesa é um idiofone de percussão direta em forma de caixa de madeira percutido com baqueta.

Almofariz

Pilão, ou almofariz, é uma ferramenta de cozinha utilizada também como instrumento de percussão direta, de madeira.