Artigos

A filosofia pedagógica de Duarte Costa

Excerto da dissertação de mestrado de Aires Pinheiro, José Duarte Costa – Um caso no ensino não-oficial da Música, Universidade de Aveiro 2010.

Na sua obra “Método de Guitarra” José Duarte Costa (1926-2004) introduz a guitarra aos Portugueses como instrumento erudito.

Depois de um prefácio escrito pelo famoso guitarrista espanhol Narciso Yepes o autor apresenta uma sucinta história da evolução da guitarra e a sua influência na música das sociedades em que se inseriu. Este breve texto termina com a sua opinião pessoal sobre os benefícios do estudo da música e em particular da guitarra na formação psicossocial dos jovens.

“É portanto, a guitarra o instrumento ideal para a juventude que estuda oferecendo-lhe o prazer de tocar um belo instrumento que pode aliviar-lhe a fadiga mental e contribuir para um conhecimento de si próprio, desenvolvendo-lhe através da sublimação, uma personalidade mais forte em benefício de tudo quanto venha a realizar na vida.”

Como podemos notar pelas suas palavras, José Duarte Costa é uma pessoa preocupada com a formação da juventude. O seu trabalho não tem como objectivo unicamente a formação de técnicos especializados na arte musical, mas também a formação de pessoas com um bom carácter e uma personalidade sólida e saudável. Assim sendo, podemos notar uma preocupação de âmbito pedagógico. Duarte Costa procura conduzir a juventude para um “bom caminho”, utilizando a música e particularmente a guitarra como veiculo de transporte.

Além de preocupações sociais Duarte Costa manifesta também preocupações de nível motivacional como se percebe pela seguinte frase de sua autoria: “Que fosse fácil, progressivo e sobretudo agradável, foi sempre o propósito psico-pedagógico que me propus”. Esta é uma frase que se destaca no prefácio escrito por Duarte Costa para a primeira parte do seu Método de Guitarra composto em cinco partes.

Nesta frase o autor dá-nos a conhecer as suas preocupações no âmbito formativo e o seu ponto de partida para a elaboração desta obra de pendor pedagógico.

Neste prefácio José Duarte Costa apresenta a linha estrutural do que constitui o seu Método, enunciando os princípios de base que orientaram a elaboração do seu trabalho.

“1º – Proporcionar aos dedos da mão direita uma preparação isolada.

2º – Evitar, de princípio, a presença de notas agudas e ligados.

3º – Oferecer o maior número possível de estudos recreativos, quase pequenas peças, tudo dentro dos primeiros quatro trastos.

4º – A dedilhação, essa, foi estudada escrupulosamente de forma a oferecer a maior segurança ao estudante. Assim, as barras levam indicadas o número exacto de cordas que o dedo deve abranger, de quando são fixos os dedos da mão esquerda e, o mais importante, quando a pulsação da mão direita tem de ser apoiada.”

Os princípios a que se propõe o autor revelam uma preocupação formativa coerente do ponto de vista cinestésico e mecânico associado ao estabelecimento de momentos recreativos durante o processo de aprendizagem. O autor procura assim inter-relacionar duas vertentes que são indispensáveis para o sucesso da aprendizagem – a cognição e a motivação.

Em 1942, data do inicio da realização deste método, José Duarte Costa era já um professor consciente dos benefícios da interacção entre o processo cognitivo e motivacional.

As suas preocupações a este nível revelam que se trata de um professor consciente e informado sobre as questões pedagógicas. Não se trata de mais um virtuoso a dar aulas mas sim de um pedagogo que aplica as mais variadas técnicas didácticas de forma a extrair o melhor resultado possível do seu aluno.

Neste texto o autor ainda chama a atenção para a inclusão de uma segunda guitarra destinada aos professores de forma a embelezar o método e proporcionar uma maior fruição da performance por parte do aluno.

O facto da inclusão de uma segunda guitarra para embelezar e dar uma maior sensação de fruição ao aluno mostra a preocupação que Duarte Costa tem em proporcionar momentos de fluxo na aprendizagem. Duarte costa termina o seu prefácio em forma de conselho para as novas gerações, segundo o qual:

“…tão ligadas devem estar às coisas do espírito.”

Através deste prefácio podemos perceber a importância do ensino da Guitarra e da Música para José Duarte Costa.

Trata-se de um músico e de um professor inspirado que tem preocupações pedagógicas de nível formal e social.

Para Duarte Costa o ensino da Música está para além do simples lazer ou do aprofundamento virtuosístico da técnica, deve fazer parte da educação e formação do cidadão. A Música é um pilar estruturante da personalidade do indivíduo.

Aires Pinheiro, Universidade de Aveiro, 2010

guitarrista Aires Pinheiro

Aires Pinheiro tocando guitarra clássica

Portfolio Items