Artigos

Agustina Bessa-Luís

Garras dos Sentidos

Não quero cantar amores.
Amores são passos perdidos,
São frios raios solares,
Verdes garras dos sentidos.

São cavalos corredores
Com asas de ferro e chumbo,
Caídos nas águas fundas.
Não quero cantar amores.

Paraísos proibidos,
Contentamentos injustos,
Feliz adversidade,
Amores são passos perdidos.

São demência dos olhares,
Alegre festa de pranto;
São furor obediente,
São frios raios solares.

Da má sorte defendidos,
Os homens de bom juízo
Têm nas mãos prodigiosas
Verdes garras dos sentidos.

Não quero cantar amores
Nem falar dos seus motivos.

Poema: Agustina Bessa-Luís
Música: Popular (Fado Menor)
Arranjos: Ricardo J. Dias
Intérprete: Mísia* (in CD “Garras dos Sentidos”, Erato, 1998)

*Mísia – voz
Ricardo J. Dias – acordeão
Manuel Rocha – violino
Custódio Castelo – guitarra portuguesa
António Pinto – viola
José Moz Carrapa – viola
José Marino Freitas – viola baixo
Direcção musical – Ricardo J. Dias
Co-direcção – Mísia
Produtor executivo – Ricardo J. Dias
Gravado nos Estúdios Xangrilá, Lisboa, em Outubro de 1997
Técnico de som – Nuno Pimentel
Mistura – Ricardo J. Dias e Mísia (Studios Plus XXX, Paris)
Técnico de som – Emmanuel Pothier
Masterização – Yves Delaunay (Dyam Studios, Paris)

Agustina Bessa-Luís
Agustina Bessa-Luís