Victor Gama

Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Victor Gama

Composição

Victor Gama nasceu em Angola e vive atualmente entre Luanda, Bruxelas e Sintra. O seu trabalho de composição musical intersecta áreas tão diversas como a música, imagem, gravação de campo, instalação áudio e vídeo e desenho de instrumentos musicais contemporâneos.

Gama tem vindo a atrair encomendas por parte de alguns dos ensembles e instituições de prestígio mundial como a Chicago Symphony Orchestra, a Kronos Performing Arts Association, o National Museums of Scotland, o Tenement Museum de Nova Iorque, a Prince Claus Fonds, o Amsterdam Fonds for the Arts, a Royal Opera House de Londres ou o Kennedy Center em Washington DC.

Formado em Engenharia de Electrónica e com um mestrado em Organologia e Tecnologia da Música pela Faculdade Sir John Cass of Art, Architecture and Design da Universidade Metropolitana de Londres, foi recentemente guest artist no Center for Computer Research in Music and Acustics da Universidade de Stanford na Califórnia e no MIT Center for Arts Science and Technology.

Compôs para os Kronos Quartet a peça Rio Cunene, estreada por aquele quarteto no Carnegie Hall em Nova Iorque com estreia europeia no Centro Cultural de Belém. A peça multimedia Vela 6911, estreou no Harris Theater de Chicago em Março de 2012 sob encomenda da Orquestra Sinfónica de Chicago e MusicNOW e o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian que a apresentou em 2013. Vela 6911 foi apresentada recentemente no Dinkelspiel Auditorium em Stanford, e na Hous der Kultur der Welt em Berlim. A sua ópera multimédia 3 mil RIOS estreou em 2016 no Grande Auditório Gulbenkian por encomenda daquela Fundação. Em 2017 apresentou a peça Aisa Tanaf: the Book of Winds no Kennedy Center com músicos da National Synphony Orchestra dirigida por Edwin Outwater.

As suas peças são quase sempre acompanhadas por um trabalho de vídeo experimental com um carácter socioambiental. Gama tem estado na origem de projetos como Berimbau-Ungu com Naná Vasconcelos e Kituxi, que acompanhou em 2004 numa digressão pela África Austral, o Folk Songs Trio com os nova-iorquinos William Parker e Guillermo E. Brown, Odantalan com Bárbaro Martinez-Ruiz e Hugo Candelário, e a Makakata Exchange na África do Sul com Diso Platges e os Kalahary Surfers.

Iniciou em 1997 a plataforma de músicos do interior de Angola, Tsikaya. Entre várias obras editadas em CD, inclui-se álbum Pangeia Instrumentos editado por Aphex Twin na Rephlex Records, Naloga (PangeiArt 2012) e Quatro Momentos (PangeiArt 2016).

Citando

‘a mais impressionante combinação de som, visão e concepção de todo o festival foi INSTRUMENTOS, uma exposição e performance de Victor Gama na imponente Royal Opera House… cada instrumentos é um objecto magnífico; cada um sugerindo uma viagem audio-visual tanto étnica como high tech.’

(The Guardian)

01 de dezembro de 2018

Partilhe
Share on Facebook
Facebook