Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Sónia Alcobaça

Soprano

Nascida em Lisboa, Sónia Alcobaça diplomou-se no Curso Geral de Piano do Conservatório Nacional e concluiu em 2002 a Licenciatura no Curso Superior de Canto da Escola Superior de Música de Lisboa, obtendo, sob a orientação de Joana Silva, a mais alta classificação.

Estreou-se no Teatro da Trindade, no papel de Adina em “L’elisir d’amore” de Donizetti, sob a direcção do maestro Manuel Ivo Cruz. No Teatro Nacional de São Carlos interpretou Carmela (“La Vida Breve” – Falla) dirigida por José Pons; Sainte Marguerite (“Jeanne d’Arc au bûcher” – Honegger) com direcção de Jonathan Webb; o solo de soprano da obra “De Profundis” de Oscar Esplá; e, no Ciclo de Concertos para Canto e Piano do Foyer Aberto Temporada 2007/2008, interpretou sob a direcção do maestro João Paulo Santos, árias e conjuntos das óperas portuguesas “L’arco di Sant’Anna” e “Beatrice di Portogallo” de Francisco Sá de Noronha e “Fra Luigi di Sousa” de Freitas Gazul.

Em Dezembro de 2008 e a convite do compositor António Pinho Vargas interpretou “Mulher” na estreia absoluta da ópera “Outro Fim”, apresentada na Culturgest em co-produção com o Teatro Nacional de S. Carlos. Na edição Foyer Aberto 2009 do TNSC, interpretou obras de Carlos Gomes, Donizetti e Bellini, no concerto subordinado ao tema “São Carlos no séc. XIX – Depois da Guerra Civil – O repertório italiano”.

Em Outubro de 2009 interpretou Gutrune em “Götterdämmerung” de Wagner, ópera que conclui o ciclo “Der Ring des Nibelungen”, na mais recente produção de Graham Vick para o palco do TNSC.

No Grande Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian apresentou-se como Primeira Dama e Papaguena na ópera “Uma pequena Flauta Mágica”, sob direcção de Felix Krieger e estreou o papel de Psalmodia na ópera “Metanoite” de João Madureira, com a Orquest’Utópica e Cesário Costa. Nas duas primeiras edições do Curso de Encenação de Ópera do Centro de Arte Moderna, interpretou Femme em “Le Pauvre Matelot” de Darius Milhaud e Elle em “La voix humaine” de Poulenc e Cocteau. Na inauguração e semana de estreia da exposição “Amadeo de Souza-Cardoso, Diálogos de Vanguarda”, apresentou-se no Foyer da Galeria de Exposições da FCG , interpretando poetas e compositores contemporâneos do pintor português. Em Fevereiro de 2009, no Ciclo Novos Intérpretes, apresentou-se em Recital com o pianista João Paulo Santos, no Auditório 2 da Fundação Calouste Gulbenkian. Em Junho de 2009 integrou o quarteto de solistas da ópera “The little sweep” de Britten, inserida no espectáculo “Vamos fazer uma ópera” apresentado no Grande Auditório da FCG.

Na ópera destacam-se ainda as interpretações de Nedda (“I Pagliacci” – Leoncavallo), com a Orquestra da Op-Companhia Portuguesa de Ópera dirigida por Giovanni Andreoli no Festival de Ópera de Óbidos 2008 e no CAE da Figueira da Foz; Condessa d’Almaviva (“As Bodas de Figaro” – Mozart), com a Orquestra Metropolitana de Lisboa e Orquestra Clássica de Espinho sob a direcção de Cesário Costa; Lucy (“The Beggar’s Opera” – Britten), no Teatro Aberto, dirigida por João Paulo Santos; Erste Dame (“Die Zauberflöte” – Mozart), com Jean Bernard Pommier; Micaela (“Carmen” – Bizet), com José Ferreira Lobo e Orquestra do Norte; Belinda (“Dido and Aeneas” – Purcell) no Festival de Ópera de Óbidos 2007; e Pepa (“A vingança da cigana” – Leal Moreira), com Nikolay Lalov e a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras.

Em recital, salienta-se igualmente a apresentação no São Luiz Teatro Municipal com o pianista Nuno Vieira de Almeida, num recital de lied dedicado a Alban Berg, Schönberg e Webern; e os recitais inseridos na Temporada de Música da Casa de Ópera do Cabo Espichel – 2009 e 2010, com o pianista Nuno Lopes, centrados no repertório operático.

Em oratória e repertório de concerto foi solista nas seguintes obras: “Stabat Mater” de Pergolesi, “Missa Dolorosa” de Caldara, “Missa em Sol” de Carlos Seixas, “Magnificat” de Vivaldi, “Membra Jesu Nostri” de Buxtehude, “Missa em fá menor” de A. Bruckner, “A Sea Symphony” de V.Williams, “Missa em Dó M” – K.66 (Dominicusmesse) de Mozart, “Petite Messe Solennelle” de Rossini, “Missa in Angustiis (Lord Nelson Mass)” de Haydn e 9ª Sinfonia de Beethoven (CCB – Dias da Música 2010).

03 de dezembro de 2018

Partilhe
Share on Facebook
Facebook