Segréis de Lisboa

Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Segréis de Lisboa

Agrupamento

Fundado em 1972 pelo alaudista e musicólogo Manuel Morais, o grupo “Segréis de Lisboa” é constituído por uma formação variável de cantores e instrumentistas, cuja preocupação essencial se traduz em fazer reviver a Música Antiga com a maior autenticidade, fundamentando-se nos conhecimentos musicológicos, históricos e estilísticos presentemente disponíveis e recorrendo a instrumentos originais ou a réplicas modernas.

O exaustivo trabalho de investigação desenvolvido pelo agrupamento compreende o estudo e prática das notações e ornamentações de cada período, bem como das respectivas técnicas históricas de execução, baseando-se nos tratados originais e, nalguns casos, no resultado do estudo da música tradicional ibérica, num esforço de permanente criatividade.

Ainda que com um reportório muito diversificado, os Segréis de Lisboa visam principalmente a recuperação da música portuguesa e espanhola dos séculos XIII ao XIX.

O grupo realizou inúmeros concertos e gravações radiofónicas e televisivas, tanto em Portugal como noutros países da Europa. As suas digressões internacionais levaram-no igualmente aos Estados Unidos, ao Extremo Oriente e à Índia. Tem participado em Festivais de Música Antiga, como o de Saints (França), o Musica Antiqua Europae Orientalis (Bydgoszcz, Polónia) e as Jornadas Gulbenkian de Música Antiga, nas quais colabora regularmente.

Nas suas mais recentes digressões internacionais a qualidade dos Segréis de Lisboa tem sido unanimemente reconhecida pelo público e pela crítica especializada, sendo de destacar as referências elogiosas do New York Times à apresentação do agrupamento na Columbia University (The Kathryn Bache Miller Theater) de Nova Iorque e o sucesso alcançado nos concertos realizados no âmbito da Europália e do Festival de Utrecht. Em 1991, o grupo foi agraciado com a Medalha de Mérito Cultural da Secretaria de Estado da Cultura. A qualidade dos Segréis de Lisboa foi também alvo de distinção pela atribuição de um Choc da Revista Le Monde de la Musique (N.º 201, Julho-Agosto de 1996) ao disco Música Maneirista Portuguesa – Cancioneiro Musical de Belém.

Na sua discografia destacam-se ainda os CDs: Música Ibérica da Idade Média e do Renascimento (EMI/Valentim de Carvalho), A Música no Tempo de Camões (EMI/Valentim de Carvalho), La Portingaloise: Música no Tempo dos Descobrimentos (Movieplay), Música de Salão no Tempo de D. Maria I (Movieplay), Modinhas e Lunduns dos Séculos XVIII e XIX (Movieplay), Saudade, Amor e Morte nos Cancioneiros dos Séculos XV ao XVIII (Polygram), Música Sacra de João de Sousa Carvalho, José Joaquim dos Santos e Luciano Xavier dos Santos (Com o Coro de Câmara da Universidade de Salamanca; Movieplay) e Música no Tempo de D. João V: Cantatas Humanas a Solo e a Duo (Movieplay).

01 Setembro 2000

Partilhe
Share on Facebook
Facebook