Sara Amorim, oboé e canto

Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Sara Amorim

Oboé

Natural de Rio Tinto (Porto/ Portugal), Sara Amorim iniciou os estudos musicais com Delfim Neves. Mais tarde, ingressou no Conservatório de Música do Porto, onde terminou o Curso Complementar de oboé, no ano 2000, na classe de Elen Teles.

No mesmo ano, iniciou a Licenciatura em Oboé na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto, na classe de Nelson Alves, tendo usufruído de uma bolsa da Fundação Gulbenkian nos dois últimos anos de curso. Concluiu-a no ano lectivo 2003/2004 sendo-lhe atribuído o Prémio da Fundação Eng. António de Almeida para melhor média “ex-aequo” de curso, nesse ano.

Em 2002, ganhou o 2º Prémio (nível médio) na categoria de solista – Oboé – no concurso “Prémio Jovens Músicos” da RDP.

Como oboísta, colaborou com várias orquestras portuguesas, tais como a Orquestra do Norte, a Orquestra das Beiras, a Orquestra do Algarve, a Orquestra Gulbenkian, a Orquestra Nacional do Porto e a Banda Sinfónica Portuguesa.

Trabalhou com os maestros António Saiote, Manuel Ivo Cruz, Osvaldo Ferreira, Cesário Costa, Joana Carneiro, António Vitorino de Almeida, Francisco Ferreira, Omri Hadari, Florin Totan, Marc Tardue, Güther Herbig, Pierre van Hauwe, Sokhiev Tougan, Kevin Waldron, Richard Gwilt, Lawrence Foster, Jan Cober, Douglas Bostock, Gerardo Estrada, entre outros.

Como cantora, Sara Amorim iniciou os seus estudos em 2006, na Escola de Música Maiorff, na classe de Pedro Teles.

Concluiu a licenciatura em Canto na classe de José Oliveira Lopes, na Escola Superior de Música e das Artes do Espetáculo do Porto, em 2009.

Frequentou o Mestrado em Canto na mesma escola, na classe de Rui Taveira. Em Maio de 2010, apresentou-se a solo com a Orquestra Nacional do Teatro Claudio Santoro em Brasília, sob direção do Maestro Ira Levin, interpretando a 9ª Sinfonia de Beethoven. Em Maio de 2013, apresentou novamente essa obra com a Orquestra Filarmónica de Pontevedra (Espanha) e o Coro da Universidade do Minho no Teatro de Pontevedra (Espanha).

Em 2009, ganhou o prémio para melhor interpretação de canção portuguesa no “Concurso de canto lírico da Fundação Rotária Portuguesa”.

Como contralto solista, interpretou obras como “Requiem” de G. Donizetti, “Requiem” de D. Bontempo, “Oratória de Natal” de S. Saens, “Missa” de Lobo Mesquita, “Gloria” de A. Vivaldi, “Missa” de C. Seixas, “Requiem” de A. Dvorak, entre outras. Apresentou-se nos papéis de Bruxa e de Haensel na ópera “Haensel und Gretel” de Humperdink, com encenação de António Durães e interpretou a personagem Nina na ópera “Lo frate ‘nnamorato” de Pergolesi, numa produção levada a cena no Centro Cultural de Belém (Lisboa) com encenação de Luca Aprea e direção musical de Marcos Magalhães .

Foi elemento do Coro da Casa da Música, onde trabalhou com os maestros James Wood, Simon Carrington, Laurence Cummings, Kaspars Putnins, Andrew Parrott, Christoph Konig, Peter Rundel Paul Hillier e Robin Gritton.

Foi elemento do Coro Capella Duriensis, sob direção do maestro Jonathan Ayerst.

[ Publicada na Meloteca a 11 de junho de 2020 ]

Partilhe
Share on Facebook
Facebook