Bios

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Samuel Cabral

Guitarra portuguesa

Samuel Cabral iniciou os estudos de guitarra portuguesa (fado de Lisboa) com Guilherme Mendes e Alexandre Brandão (digitação para a guitarra de Coimbra).

Entre 1984 e 1990 viveu em Paris, onde participou em projectos de fado com Alves de Oliveira, Aurélia Adelaide e o violista Fernando Coelho para o jornal Portugal no Mundo. Foi músico residente no Restaurante Saudade em Versalhes e no Marquês de Pombal em Paris.

De regresso ao Porto, ingressa no elenco da extinta Taverna S. Jorge com o violista Jorge Barradas.

A sua actividade divide-se entre o fado, o teatro e a televisão. Acompanhou artistas como Camané, Fafá de Belém, António Zambujo, Carlos Zel, Luís Represas, Mafalda Arnauth, Hélder Moutinho, Marco Paulo, Argentina Santos e Florência. Participou em festivais de cultura e gastronomia portuguesa em países como Venezuela, Noruega, México e Espanha. Acompanhou artistas em digressão em Angola, Guiné-Bissau, França, Alemanha, Holanda, Bélgica, Suíça, Inglaterra, Luxemburgo, Itália e China.

Mais recentemente, acompanhou a actriz e fadista Cátia Garcia no Festival de Cinema de Sarajevo (O Fado em 24 imagens por segundo). Participou em programas de televisão de Luís Pereira de Sousa, Herman José, Júlio Isidro, Fernanda Serrano e Luís Represas e no Festival RTP da Canção, entre muitos outros; foi músico residente do programa Portugal no Coração durante três anos.

Acompanhou o mestre Manoel de Oliveira numa recriação de Estêvão Amarante no filme Porto da minha infância. No âmbito do teatro, colaborou com Sérgio de Azevedo (A Severa), Filipe La Féria (Passa por mim no Rossio e Amália), Pedro Trepa (Tango, Rumba e Cha Cha Cha) e Ricardo Pais (Linhas Curvas Linhas Turvas e Arranha-Céus). Esteve ainda presente em vários espectáculos na Expo’98 e na Porto 2001 Capital Europeia da Cultura.

Gravou dois discos como solista (Temas Populares e Portugal uma porta para o mundo) e dezenas de colaborações como guitarrista acompanhador e como compositor.

2017

Partilhe
Share on Facebook
Facebook