Ricardo Nogueira trompete e fliscorne

Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Ricardo Nogueira

Fliscorne . Trompete

Bruno Ricardo Nogueira nasceu em Coimbra a 20 de Julho de 1988, e desde cedo que demonstrou interesse pela música. Aos 7 anos iniciou a sua atividade musical como percussionista na Filarmónica Fraternidade Poiarense, tendo-se tornado chefe de naipe de percussão e professor da escola de música aos 14 anos.

Em 2004 começou os estudos musicais em guitarra clássica com o professor Joaquim Pavão, com o qual estudou por cerca de dois anos.

Em 2006 participa no seu primeiro estágio de orquestra, como percussionista no Curso Regional para Jovens Músicos do INATEL. No mesmo ano, a pedido do maestro da Filarmónica Fraternidade Poiarense, foi transferido para o naipe dos metais, primeiro para tuba e depois para trompete, onde foi obrigado a aprender, como auto-didata os mesmos instrumentos.

Entre 2010 e 2011 participou no Curso Livre de Jazz do Conservatório de Coimbra em guitarra com o professor Giovani Malini, enquanto mantinha aulas de guitarra eléctrica com o professor Carlos Daniel Neves (de 2009 a 2012).

Em 2012 ingressa na licenciatura em Música, variante Música Electrónica e Produção Musical da Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco. No mesmo ano foi convidado para lecionar guitarra clássica na escola de música da Banda Sinfónica da Covilhã, onde permaneceu até 2014.

Em 2013 foi convidado para reabrir e reorganizar a escola de música da Filarmónica Fraternidade Poiarense, onde se manteve até 2015 como professor de formação musical, do naipe dos metais, de percussão e coro. Ainda no mesmo ano realizou o seu primeiro curso de direção de orquestra de metais e percussão com os maestros Pedro Andrade e Simão Francisco que foi organizado pelos The BellsBrass Ensemble. Também em 2013 participou no curso de Orquestra de Altifalantes e Especialização Sonora ministrado por Miguel Azeguime no festival Música Viva 2013 e no Curso de Direção de Orquestra de Sobros de Gouveia com o Maestro Jean Sébastien Béreau.

Em 2014 realizou um novo curso de direção de orquestra de metais e percussão e de orquestra de madeiras e percussão com os maestros Pedro Andrade, Simão Francisco, Tiago Alves e Sérgio Ventura organizado pelos The BellsBrass Ensamble em conjunto com os The BellsWood Ensamble. No mesmo ano inicia funções como maestro e professor de música fundador da Fanfarra dos Bombeiros Voluntários da Associação Humanitária de Condeixa e cria a Brass Orchestra com alunos de metais e percussão da Filarmónica Fraternidade Poiarense assumindo o papel de maestro.

Em 2015 começou a dar aulas de Música Electrónica e composição no estabelecimento prisional de Castelo Branco e terminou a Licenciatura em Música Electrónica e Produção Musical.

Ingressou no curso livre de trompete do Conservatório Regional de Castelo branco com o professor Bruno Cândido e foi aceite na licenciatura de Música, variante Formação Musical da Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco. Em 2016 ingressou no mestrado em Ensino da Música, variante Formação Musical e Música de Conjunto também na Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco.

Participou em dois cursos de direção de orquestra com o maestro Osvaldo Ferreira organizado pelo Conservatório Regional de Castelo Branco. Ainda em 2016 foi convidado para reestruturar a escola de música da Filarmónica da Casa do Povo de Penacova onde lecionou flauta transversal, clarinete, saxofone alto, trompete, bombardeio e percussão, formação musical e coro, co-organizou o primeiro estágio de orquestra de sopros e percussão da instituição e criou o Grupo Tradicional de Cordas da Casa do Povo de Penacova onde dá aulas de Bandolim, Guitarra e Cavaquinho.

Em 2017 participa na 5ª edição do Encontro de Investigação em Música, Artes e Design apresentando um poster cientifico sobre a sua investigação em Música tradicional Japonesa, situação que foi repetida na edição seguinte, em 2018, com um segundo poster com a continuação do mesmo tema, mas referente a um sistema de composição baseado no sistema tradicional japonês. Ainda em 2017 organizou o primeiro estágio de orquestra de sopros e percussão da Banda da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Condeixa onde foi diretor técnico e artístico e maestro residente.

Em 2018 foi contratado como professor substituto de Formação Musical pelo Conservatório Regional de Coimbra onde se encontrava a realizar um estágio profissional como professor de Formação Musical, de Ensemble Vocal e de Orquestra. Também em 2018 terminou a sua licenciatura em Música Variante Formação Musical.

Como compositor têm obras para orquestra de sopros, orquestra sinfónica, orquestra de metais, coro e orquestra, quarteto de saxofones, quinteto de saxofones, quinteto de madeiras, saxofone e electroacústica, saxofone e electrónica, música electrónica, música electroacústica, bandas sonoras e sonoplastias. Para instrumentos a solo compôs uma peça para clarinete em 2017 e três peças para guitarra clássica já em 2018. Fora da música erudita compôs varias músicas para bandas pop, pop-rock e metal.

Como produtor participou na produção de músicas da Banda Plano Z, gravou um CD ao vivo da Filarmónica da Casa do Povo de S. Pedro de Alva e compôs algumas peças para anúncios e curtas metragem para trabalhos de design.
Atualmente continua como maestro e professor na Banda da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Condeixa, maestro e professor do Grupo tradicional de Cordas da Casa do Povo de Penacova, durante o seu estágio académico no Conservatório Regional de Coimbra foi convidado a lecionar a disciplina de Formação Musical como professor substituto e realiza estágios e classes de aperfeiçoamento em diversas instituições musicais.

[ Publicado na Meloteca a 05 de junho de 2019 a partir do I Estágio de Orquestra de Sopros e Percussão da Filarmónica Pampilhosense ]

Partilhe
Share on Facebook
Facebook