Raul Nery, guitarra

Raul Nery

Guitarra

Raul Filipe Nery, conhecido por Raul Nery, nasceu em Lisboa, na freguesia de Santa Engrácia, a 10 de janeiro de 1921. Desde cedo, Raul Nery revelou uma grande vocação musical. Inicialmente muito interessado pelo bandolim, viria a consagrar-se na guitarra por influência de um tio, recebendo lições, ainda em criança, de um professor. Com apenas 9 anos estreava-se em público a tocar guitarra, nos espaços de fado que envolviam a cidade.

Em 1933, Raul Nery era merecedor do destaque “o jovem e prodigioso guitarrista”, divulgado num programa que anunciava o espectáculo misto ao lado de Alfredo Gomes de Azevedo (viola) e Ercília Costa.

Com 18 anos, em 1939, Raul Nery tocava no “Retiro da Severa” ao lado de músicos consagrados como Armando Freire ou Armandinho, Abel Negrão e Santos Moreira. Este foi também um período em que Amália Rodrigues despontava para uma carreira que viria a ser de sucesso.

Mais tarde, com Santos Moreira (viola), acompanharia durante sete ou oito anos Amália Rodrigues em digressões pelo País e pelo estrangeiro (continente, ilhas, Angola e Moçambique), Espanha, França, Inglaterra, Irlanda, Suíça, Itália, Holanda, Bélgica, Roménia, Estados Unidos, Canadá, Brasil e no antigo Congo Belga.

Durante 20 anos, Raul Nery acompanhou a fadista Maria Teresa de Noronha, sucedendo a Fernando de Freitas. Neste período, de acompanhamento a Maria Teresa, apresentavam-se em actuações regulares nos programas na Emissora Nacional, na televisão, na gravação de discos, festas particulares e em espectáculos no estrangeiro.

Nunca descurando os estudos académicos, Raul Nery veio a concluir o curso de Agente Técnico de Engenharia já no auge da sua carreira de guitarrista.

Na década de 40 acompanhou também as vozes de Berta Cardoso, Ercília Costa, Estevão Amarante, Hermínia Silva, entre outras, em diversos quadros relacionados com o fado, também no teatro de revista. Durante alguns anos esteve ligado a diversas casas de fado, como o “Café Luso”, a “Adega Machado” ou a “Adega Mesquita”.

Em 1954, empregou-se na companhia petrolífera Sacor como inspector. Sempre conciliando a profissão de inspector com a actividade artística, Raul Nery acabou, naturalmente, por encontrar algumas dificuldades de conciliação de ambas as actividades, sobretudo aquando das deslocações ao estrangeiro, sendo forçado a abdicar do acompanhamento dos artistas, nomeadamente de Amália Rodrigues, em algumas circunstâncias.

Revelando-se um notável acompanhador, Raul Nery, formou em finais da década de 50 o Conjunto de Guitarras Raul Nery, constituído por 4 músicos excepcionais: Raul Nery, José Fontes Rocha, também guitarrista, o viola Júlio Gomes e Joel Pina, na viola-baixo. O quarteto apresentou-se sobretudo nos estúdios da Emissora Nacional, contabilizando inúmeras gravações, no acompanhamento de artistas e em deslocações a Inglaterra e ao Brasil, nomeadamente no acompanhamento de Amália Rodrigues, Maria Teresa de Noronha e Teresa Tarouca.

Em 1958 Raul Nery actuou em Inglaterra como solista em gravações com a Orquestra de George Melachrino. Nesta passagem por Londres, o guitarrista gravou: “Uma Casa Portuguesa”, “Canção do Mar”, “Mãe Preta”, “Coimbra”, “Um Pequeno Café”, “Fado Obrigado”, Rapsódia portuguesa, “Variações em Ré”. Raul Nery foi também convidado pela BBC para uma actuação no programa televisivo “In Town Tonight”, merecendo o destaque na imprensa inglesa como “the musical memory man”.

Raul Nery retirou-se cedo da actividade que o consagrou como um dos maiores executantes da Guitarra Portuguesa, personalidade incontornável da História do Fado.

Deixou centenas de gravações em disco acompanhando vozes como Maria Teresa de Noronha, Amália Rodrigues, Adelina Ramos, Lucília do Carmo, Estela Alves, Ada de Castro, Maria da Fé, Teresa Tarouca, Teresa Silva Carvalho, Carlos do Carmo, Carlos Ramos, Fernando Farinha, António Mourão, João Ferreira Rosa, Frei Hermano da Câmara, entre outros.

A 6 de junho de 1999, todos os elementos do Quarteto de Guitarras de Raul Nery foram homenageados pela Câmara Municipal de Lisboa no Museu do Fado, num espectáculo que contou com a participação do actor João de Carvalho, dos fadistas João Ferreira Rosa e Maria do Rosário Bettencourt e onde actuaram Raul Nery, José Fontes Rocha, Joel Pina e Francisco Perez, este último substituindo Júlio Gomes.

[ Fonte: Museu do Fado, acesso a 20 de junho de 2020 ]