maestro Óscar Saraiva

Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Óscar Saraiva

Direção . Clarinete

Óscar Saraiva iniciou o seu percurso musical aos 7 anos na escola de música da Banda da Quinta do Picado – Aveiro.

Como aluno de clarinete, frequentou o Conservatório de Música de Aveiro (CMACG), a Escola Profissional de Música de Espinho (EPME) e a Universidade de Aveiro (UA).

É detentor de um Mestrado em Ensino de Música (Clarinete), encontra-se em conclusão do seu segundo Mestrado em Música – Performance (Direção de Orquestra), e em 2017 frequentou ainda o 1º ano do Doutoramento em Direção de Orquestra, na Universidade de Aveiro.

Como clarinetista teve como principais professores Luís Carvalho e Nélson Aguiar. Participou em classes de aperfeiçoamento com António Saiote, António Rosa, Bruno Graça, Iva Barbosa, José Ricardo Freitas, Bruno Graça, Manuel Jerónimo e Victor Pereira, entre outros.

Teve a oportunidade de colaborar com a Orquestra Clássica de Espinho, Filarmonia das Beiras, Orquestra Clássica do Centro, Orquestra APROARTE, Banda Sinfónica Portuguesa, Orquestra Académica da Universidade de Coimbra, Orquestra de Sopros da Póvoa de Varzim, Banda Sinfónica de Santa Maria da Feira, Banda Sinfónica da Bairrada, Orquestra de Jovens de Águeda e Orquestra do XIX Curso Internacional do INATEL.

Foi membro fundador do grupo Klezmer OSMAVATI com o qual fez várias gravações e atuou por todo o país. Foi solista na obra Ebony Concerto (Stravinsky) acompanhado por Jazzband (EPME 2004) e participou no ClarinetFest – Porto 2009 – Casa da Música com a obra New York Counterpoint.

Paralelamente à sua área vocacional, participou também em workshops de Musicoterapia, de Iniciação ao Jazz, de Interpretação de Música Ligeira e em Debates sobre a Educação no âmbito do Ensino Regular.

Já orientou diversos workshops e masterclasses técnico-interpretativas de Clarinete e Música de Câmara, atuou diversas vezes para a RTP e SIC, e também em países como Portugal, Brasil, Espanha, Luxemburgo, Áustria, França e Alemanha.

Dedica-se também à Direção de Orquestra. Em 2016 foi Maestro-assistente na Sinfonia nº2 – Ressurreição (Gustav Mahler) dirigindo um dos ensembles off-stage da Filarmonia das Beiras na 11ª edição dos Festivais de Outono.

Já em 2018 e 2019 dirigiu o integral da cantata profana Carmina Burana (Carl Orff), com a participação conjunta da Banda da Quinta do Picado, Orfeão de Barrô, Coral Vera Cruz, Coral da Cruz Vermelha Portuguesa-Delegação de Águeda, Coro do DeCA (UA), Coro Voz Nua e Coro Allegrus do Conservatório de Música de Águeda, juntamente com os solistas de renome Isabel Alcobia (soprano), Pedro Rodrigues (tenor) e Rui Baeta (barítono).

Em 2017 foi o Maestro-convidado do 2º Estágio de Orquestra Juvenil OF12 (Orquestra Filarmónica 12 de Abril – Travassô); Já em 2018, a convite da direção da Banda Sinfónica Portuguesa, dirigiu o ensaio de leitura de uma das obras selecionadas para a semi-final do VI Concurso Nacional de Composição BSP 2018.

No ano 2019, foi o maestro-convidado do IV Estágio de Orquestra de Sopros e Percussão do Conservatório Regional de Música de Ferreirim (Abril 2019), Maestro- convidado para o 1º Estágio / Formação de Orquestra de Sopros e Percussão do Município de Madalena – Ilha do Pico – Açores (Abril 2019), e convidado para dirigir o concerto de encerramento do 10º Encontro Nacional de Violas d’Arco, em Águeda (Maio 2019).

Como maestro, em masterclasses ou concertos, Óscar Saraiva já dirigiu a Banda Sinfónica do Exército, a Banda Sinfónica Portuguesa, a Orquestra de Sopros da Universidadede Aveiro, a Orquestra de Sopros da Escola Superior de Música de Lisboa, a Orquestra Sinfónica do Conservatório de Música do Porto, a Orquestra de Sopros do Conservatório Nacional de Lisboa, a Orquestra de Sopros da Escola Profissional Metropolitana, a Orquestra de Sopros do Médio-Tejo, a Banda Militar do Porto, a Banda Amizade – Banda Sinfónica de Aveiro, o Chamber Ensemble do Royal Northern College of Music (Manchester-Inglaterra), a Sinfonisches Jugendblasorchester Baden-Württemberg (Alemanha), a Orquestra de Sopros do Conservatório de Música de Águeda, a Banda da Escola de Música da Quinta do Picado (Aveiro), e várias outras Orquestras de estágios ou workshops onde participou.

Foi diretor artístico e coorganizador de várias edições de masterclasses de Instrumento, Música de Câmara ou Direção de Orquestra, em Aveiro e Maestro titular da Banda da Quinta do Picado de 2011 a 2019.

Foi por diversas vezes selecionado a participar em masterclasses de Direção de Orquestra no Royal Northern College of Music (Manchester-Inglaterra), escola de renome mundial.

O seu percurso na Direção de Orquestra foi influenciado pelas aulas que teve com Jean-Marc Burfin, Douglas Bostock, Felix Hauswirth, Clark Rundell, Johan de Meij, Shannon Kitelinger, Mark Heron, Morten Wensberg, Jon Malaxetxebarria, Craig Kirchhoff, Pedro Neves, Jean Sebastien Bereau, Andre Granjo, Robert Houlihan, Vasco Negreiros e José Ignacio-Petit.

Óscar Saraiva já lecionou Clarinete e Classes de Conjunto no Conservatório de Música de Aveiro, Conservatório de Música David de Sousa, Conservatório Artes e Comunicação Oliveira do Bairro e na Escola de Artes SAMP.

Atualmente desempenha as funções de professor de Clarinete e de Orquestra de Sopros no Conservatório de Música de Águeda, e desde Outubro de 2019, é o Diretor Artístico da Banda Alvarense (Casal d’Álvaro – Águeda).

[ Bio facultada por Óscar Saraiva e publicada na Meloteca a 02 de dezembro de 2019 ]

Partilhe
Share on Facebook
Facebook