Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Orquestra Jazz do Algarve

Orquestra

Em 2004, Hugo Alves teve os meios de poder elevar o Lagos Jazz a níveis que jamais pensou a tão curto prazo. Sem ser ainda um “grande Festival” deixou uma pegada bem mais visível. Dentro do Workshop que o Lagos Jazz carrega, além dos habituais combos de alunos, organizou uma “Big Band” de alunos, que foi um sucesso inesperado. Ainda decorria o evento e já alguns músicos lacobrigenses lhe propunham a criação de uma “big band”.

Fez uma proposta à Câmara Municipal de Lagos que revelou desde o início interesse no Projecto e era até então o único apoio financeiro oficial.  No entanto, e face à pronta cedência de uma sala por parte do Clube Artístico Lacobrigense (um dos mais carismáticos da cidade), marcou-se o primeiro ensaio e aprontou-se uma reunião com os futuros membros (músicos). Assim, a agora Orquestra de Jazz de Lagos tem por objectivo formar o melhor possível os músicos constituintes, passar-lhes em primeiro lugar toda a informação necessária para que possam efectivamente tocar jazz.

Em 2011, a OJL mudou de nome, tornand0-se a Orquestra Jazz do Algarve

«Não é por isso uma extinção, nem sequer uma renovação, mas sim a consolidação de uma aposta ganha a nível nacional».

A Orquestra de Jazz do Algarve continua a ter sede no concelho de Lagos, a cidade que sempre a acolheu desde 6 de outubro de 2004, data da sua fundação por Hugo Alves.

«É a cidade que lhe dá desde então, o Alto Patrocínio, determinante em toda a sua existência, financeiro e logístico», acrescenta o diretor da OJA.

A DGArtes “abriu-lhe” propositadamente espaço na Cultura Profissional do Algarve em 2009/2010, dando apoio às suas atividades, facto que acaba de reforçar para 2011/2012, duplicando o apoio – é aliás, a estrutura mais apoiada a nível nacional no último concurso.

«Esta Orquestra foi e sempre será do Algarve, um projeto profissional, para a Região, da Região, com músicos algarvios ou aqui residentes», sublinha Hugo Alves.

O seu projeto «assenta em três pilares estratégicos: 1.Palco e Performance (além da OJA completa, uma formação Redux, AJMMA All Stars, The Messy Band e ainda um 4tet de Saxofones); 2.Serviço Educativo (AJMMA – Atelier de Jazz e Música Moderna do Algarve, AJMMA Masterclasses, Jazz Na Escola,…), e ainda: 3.Co-Produção, de onde podemos destacar o Festival Lagos Jazz».

Partilhe
Share on Facebook
Facebook