Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Olavo Barros

Flauta

Olavo Tengner Barros nasceu em Coimbra a 12 de Setembro de 1957. Iniciou os estudos de flauta transversal com Eduardo Lucena, tendo-se diplomado pelo Conservatório de Música do Porto.

Prosseguiu os seus estudos musicais na Holanda onde obteve o diploma de solista (U. M.) na Academia Superior de Artes Constantijn Huygens em Zwolle sob a orientação do professor Jorge Caryevschi.

Como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, estudou flauta com Abbie de Quant e traverso com Marten Root no Conservatório de Utrecht. Frequentou cursos de interpretação de música contemporânea com Pierre-Yves Artaud e de música barroca com David Reichenberg, Phillipe Suzanne, Wilbert Hazelzet e Marc Hantai.

Obteve em 1984 o 1º prémio do Concurso de Música de Braga e em 1988 o 1º prémio (nível superior) do Concurso da Juventude Musical Portuguesa.

Como solista, actuou com a Orquestra Sinfónica da RDP Porto sob a direcção dos maestros Costa Santos e Gunther Arglebe, com a Orquestra Gulbenkian sob a direcção do maestro Max Rabinovitsj e com a “Orquestra Filarmonia das Beiras” sob a direcção do maesto António Lourenço. Colaborou com as orquestras “Sinfónica da RDP Porto”, “Régie Sinfonia”, Gulbenkian e “Sine Nomine”. Foi solista na “Camerata Musical do Porto” e flautista principal na “Orquestra do Norte”.

É membro dos grupos “Música Nova”, “Segréis de Lisboa”, “Capela Real” e “Flores de Música”. Forma duos regulares com o guitarrista Paulo Vaz de Carvalho (duo “Iter”) e com a pianista Irene Bessa Alves. Fundou, em 1999, juntamente com a cravista Cândida Matos, o grupo “Contraverso”, que se dedica à execução de música de câmara barroca.

Em 2002, formou o grupo “D’Amore”, com Jean-Loup Leconte (Viola d’Amore e violeta) e Mário Carreira (Viola francesa do séc. XIX), abordando repertórios do Barroco tardio ao início do Romantismo. É membro fundador do “Portogalante Ensemble”. Integra agrupamentos e orquestras de jazz, tendo sido dirigido por Maria Schneider, Carlos Azevedo, Pedro Guedes e Gianluigi Trovesi. Tem colaborado na apresentação e divulgação de obras inéditas de compositores portugueses.

Dirigiu classes de aperfeiçoamento em S. João da Madeira nos “Encontros de Música de Vila Real”, nos “Cursos de Verão de Oliveira do Bairro”, na Escola Profissional de Mirandela e no Conservatório do Funchal. Lecciona flauta transversal no Conservatório de Música do Porto e na Escola Superior de Música de Lisboa. É professor de traverso na Área de Música Antiga da Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Porto.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook