Nuno Oliveira organista e cravista

Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Nuno Oliveira

Cravo, órgão

Aos 6 anos, Nuno Oliveira começou a estudar piano na Igreja de Nossa Senhora de Fátima, em Lisboa. Aos 9 anos ingressou na Escola de Música do Conservatório Nacional em Lisboa, onde concluiu o Curso Superior de Piano com a classificação final de 19 valores, tendo tido como mestres, as professoras Leonor Pulido e Melina Rebelo.

Actuou em vários locais do país e estrangeiro como pianista, cravista, organista e dirigindo vários conjuntos.

Em 1988, foi convidado para duas gravações na RTP: numa delas interpretou Mozart ao piano; na outra foi solista convidado para representar Portugal num concerto de jovens intérpretes realizado na Finlândia, no qual foi acompanhado ao piano pela Orquestra da Radiotelevisão Finlandesa, dirigida pelo conceituado maestro Jukka-Pekka Saraste.

Interpretou e dirigiu obras inéditas de compositores de Coimbra dos séculos XVIII e XIX. Em alguns dos elencos de intérpretes, participaram elementos dos Segréis de Lisboa e das Orquestras da Capela Real, Gulbenkian e Sinfónica Portuguesa. Dirigiu outros conjuntos musicais em obras de Bach, Vivaldi e Pergolesi.

Foi também intérprete e organizador da primeira récita da Oratória Messias de Haendel realizada em Portugal com instrumentos da época e músicos portugueses. Integrou a temporada de concertos da Antena 2, em parceria com o CCB.

Tem colaborado com a Orquestra Metropolitana de Lisboa como cravista e organista, onde actuou sob a direcção de Leonardo García Alarcón, Hans-Christoph Rademann, Cesário Costa, João Paulo Santos, Michael Zilm ou Nicholas Kraemer.

Colaborou como cravista com a OrquestrUtópica, em várias récitas e gravação em CD (ao vivo) da Ópera “A Rainha Louca” de Alexandre Delgado. Tem sido convidado para vários concertos organizados pela ESMAE. Com os agrupamentos Flores de Mvsica e Capella Joanina, realizou uma gravação em CD da Missa em Fá de Francisco António de Almeida, cuja estreia em primeira audição moderna se deu em 2012, estando a aguardar o seu lançamento. Realizou vários concertos para a Antena 2 no âmbito do programa “Concerto Aberto”, e realizou gravações para esta estação de rádio.

Em 1988 obteve o segundo prémio no Concurso Nacional Maria Campina para piano, realizado no Algarve. Foi organista titular do Mosteiro de S. Vicente de Fora em Lisboa entre 1987 a 1995. Leccionou formação musical, coro e piano, em Coimbra e em Lisboa.

Frequentou semanas e cursos de interpretação de música antiga, órgão, cravo, baixo contínuo e canto gregoriano, tendo trabalhado com Jacques Ogg, Leonardo García Alarcón, Lucy van Dael, Menno van Delft, Bob van Asperen, Pablo Escande, Max van Egmond, António Duarte e Idalete Giga, entre outros. Foi convidado pela Orquestra Barroca Divino Sospiro para ser cravista acompanhador de uma classe de aperfeiçoamento organizada pela mesma e dirigida pelo conceituado violinista Enrico Onofri. Acompanhou vários instrumentistas em concursos.

De 1999 a 2001 estudou cravo no Conservatório Real de Haia com Jacques Ogg e baixo contínuo com Jan Kleinbussink, a convite do primeiro. De 2001 a 2003 estudou no Sweelinck Conservatorium em Amsterdam, nas classes de cravo de Bob van Asperen e de baixo contínuo de Menno van Delft.

Em 2015 fundou o AVRES SERVA, um agrupamento destinado à execução de música antiga de acordo com insterpretações historicamente informadas e que se estreou no Ciclo de Música do Convento dos Capuchos nesse mesmo ano.

É licenciado em Medicina e em Medicina Dentária pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, e especialista em Patologia Clínica.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook