Nuno da Rocha compositor

Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Nuno da Rocha

Composição

Nuno da Rocha (n. 1986) estudou Composição com Vasco Mendonça, Carlos Marecos, Luís Tinoco, Carlos Caires e António Pinho Vargas.

É licenciado em Composição pela Escola Superior de Música de Lisboa (obteve 19 valores no exame final de Composição).

No verão de 2009 participou na ‘19th internationale sommerakademie09’ na Áustria, tendo trabalhado com o compositor Nigel Osborne, com o maestro Michael Wendeberg e com o reconhecido grupo de música contemporânea klangforum Wien.

Em 2010 esteve presente no ‘16th young composers meeting’ em Apeldoorn (Holanda), com a Orquestra de ereprijs. Este encontro foi dirigido pelos compositores Louis Andriessen, Richard Ayres, Martijn Padding, Jan van de Putte, Micheal Smetanin e Helena Tulve.

Em 2011 escreveu música para a exposição “A kills B – acção imagética, Ifigénia e Isaac”, apresentada no Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian.

No ano lectivo de 2011/2012 foi Professor Adjunto Convidado na Escola Superior de Dança; leccionou a disciplina de “Música, Edição e Montagem”.

Encomenda para o Prémio Jovens Músicos 2012 (Antena 2/RTP) da peça obrigatória para a categoria de Canto (nível superior) – “Quatro Últimas Canções, quatro personagens a partir do romance de Vasco Graça Moura“.

Ganhou o 3º Prémio do Concurso de Composição da SPA / RTP (Setembro 2012) com a peça “O que será do rio without John Cage?” para Orquestra Barroca; peça estreada pelos Divino Sospiro (dir. Massimo Mazzeo) no Festival Jovens Músicos 2012.

Foi seleccionado para o TENSO Young Composers Workshop 2014, em Maio de 2014, na Bélgica. Neste workshop trabalhou com o coro Danish Radio VokalEnsemblet, com o maestro/compositor James Wood e com o compositor Leo Samama. Seguidamente, participou numa 2a fase em Riga (Letónia), em Outubro de 2014, e foi finalista do TENSO Award 2014 em Copenhaga (Dinamarca), em Novembro de 2014.

Foi seleccionado para o workshop “Composing for Voice” da rede ENOA, dirigido pelo compositor Magnus Lindberg e pela soprano Barbara Hannigan. Deste workshop resultou a estreia da sua peça “I could not think of thee as piecèd rot” (Setembro 2014), pela Orquestra Gulbenkian e pela soprano Inês Simões, sob a direcção de Magnus Lindberg.

Em Junho/Julho de 2015 participou no workshop “Opera Creation – Reflection” da rede ENOA, em Aix-en-Provence (França). Este workshop, dirigido pelo compositor Fabio Vacchi, contou com a presença de criadores de relevo internacional no mundo da Ópera, tais como Martin Crimp, Peter Sellars e Katie Mitchell.

Em Setembro de 2015 iniciou um projecto no “LOD musiektheater” (Ghent, Bélgica), que tem como ponto de partida o mito de “Orfeu”. Este projecto estará a ser desenvolvido em Fevereiro de 2017 pelas mãos do encenador Pedro Ribeiro.

Encomenda da peça “RESTART” para orquestra, da Fundação Calouste Gulbenkian, para o concerto inaugural da temporada Gulbenkian 15-16 (8 e 9 Outubro 2015).

Em 2015, Nuno da Rocha foi o Jovem Compositor em Residência na Casa da Música (Porto). Desta residência resultaram 3 encomendas: uma obra para o Trio Portucale, outra para o REMIX Ensemble e outra para a Orquestra Sinfónica Casa da Música.

Em 2016 foi um dos compositores residentes na “Song and Creation Residency”, promovido pela Academia do Festival de Aix-en-Provence (França). Durante esta residência foi estreada a sua peça “ECCE PUER”, para mezzo-soprano, barítono e piano preparado.

Em 2016 lançou o seu primeiro álbum monográfico (“Mesmo que faça frio”), que reúne todas as suas obras para vozes brancas.

É um dos compositores nomeados para a TOTEM (Théâtre Opéra Texte et Écriture musicale) 2017-18, organizado pelo Festival d’Avignon (França).

2017

Partilhe
Share on Facebook
Facebook