Nuno Almeida

Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Nuno Almeida

Direção

Nascido na cidade do Porto em 1993, Nuno Miguel de Almeida iniciou os estudos musicais com 4 anos no Instituto Orff do Porto. Completando-os com 10 anos, ingressou no Conservatório de Música do Porto (C.M.P) onde integrou a classe de Piano de Anne Marie Soares e mais tarde a classe de Arminda Odete. Concluída esta etapa académica, foi admitido na classe de órgão de Paulo Alvim, onde concluiu o curso complementar do Conservatório em Órgão Literatura e Órgão Improvisação/Acompanhamento. Nesta mesma instituição, teve ainda oportunidade de ter como docentes de composição Fernando Valente e Fernando C. Lapa.

Em 2012, ingressou na Universidade de Aveiro onde concluiu a Licenciatura em Direcção, Teoria e Formação Musical.

Em 2016, concluiu V curso de Música Sacra Nacional – vertente Órgão – onde teve como principal coordenador António Esteireiro.

São diversos os cursos de aperfeiçoamento em que participa com regularidade, procurando aperfeiçoar-se nas áreas onde tem uma actividade artística activa – Órgão e Direcção.

Vem a apresentar-se publicamente em diversos pontos do País e no estrangeiro, destacando-se, como organista, os concertos dados nas catedrais de Ourense, Santiago de Compostela, Vigo, entre outras. Em Portugal destaca-se o papel de solista, acompanhado pela orquestra Sinfónica do Conservatório de Música do Porto, na execução da Iº Sinfonia em D menor de Alexandre Guilmant, na igreja de Nossa Senhora da Lapa (Porto).

Tornou-se mestre em Direcção Coral pela Universidade de Aveiro, sob orientação de Vasco Negreiros com o projecto intitulado “Da herança à criação”. Tendo como principal efeméride fazer memória dos 400 anos da morte de D. Pedro de Cristo, este projecto contou com a estreia de oito Magnificat, sendo quatro atribuídos a Pedro de Cristo, sobre os quais fez a transcrição e edição critica, e ainda quatro Magnificat contemporâneos dos compositores João Santos, Fernando C. Lapa, Paulo Banaco e Eugénio Amorim. Com o objectivo de dar por concluído este projecto, publicou pela AvA Musical Editions este conjunto de oito obras, oferecendo assim ao serviço da comunidade musical estes exemplos do património artístico Português.

Tem vindo a dirigir diversas formações, tendo como principal foco do seu trabalho, a formação coral. É nesta actividade que se destaca a sua integração na equipa de reactivação da Orquestra Sinfónica de Leiria que, no ano de 2017, juntamente com o Coro do Orfeão de Leiria e o Coro de Câmara do Orfeão de Leiria, marca o seu ressurgimento executando “Um Natal Português” de quatro conceituados compositores portugueses. Mais recentemente, no Natal de 2018, dirigiu estas mesmas formações executando “Music for the Royal Fireworks” de G. F. Haendel e Te Deum de M. A Charpentier.

Desde o ano de 2016 é Maestro e Director Artístico do Coro Orfeão de Leiria e do Coro de Câmara do Orfeão de Leiria, onde, entre inúmeras obras corais, executou até ao momento um total de seis obras corais sinfónicas, destacando-se entre elas as estreias nacionais de Ketevan Cantata de Vasco Negreiros e Magnificat do compositor e organista Sietze de Vries.

Exerce também funções de Maestro na Schola Gregoriana da Colegiada de S. Martinho de Cedofeita (Porto), onde procura recuperar e pôr em prática o canto gregoriano ao serviço da liturgia. Ainda nesta instituição, exerce desde o ano de 2005 funções de organista.

É maestro e membro fundador do ensemble Moços do Coro, formação que primordialmente se dedica à prática da Música Antiga e Música Portuguesa. São inúmeros os projectos criados e apresentados que espelham o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido por esta formação, entre eles destacam-se “Da herança à criação”, projecto anteriormente descrito; “O evangelho da Infância” que debruça o seu olhar no mistério do Natal fundamentado no evangelho de Lucas e Mateus, que propõe a execução de ricos motetes renascentistas em diálogo com reflexões presentes no livro Catena Aurea de S. Tomás de Aquino; “Erros meus, amor ardente” que sugere um caminhar pelas diversas fases do amor, confrontando motetes renascentistas profanos com a declamação de poemas de Luís Vás de Camões, entre muitos outros projectos de diversas temáticas.

São inúmeros os locais onde tem vindo a apresentar o seu trabalho, estabelecendo parcerias, ou integrando ciclos e festivais, sempre com a perspectiva de dignificar a prática Coral Portuguesa.

[ Bio facultada por Nuno Miguel de Almeida e publicada a 12 de maio de 2019 ]

Partilhe
Share on Facebook
Facebook