Miguel Ramos, viola de fado, Lisboa

Miguel Ramos

Viola . Fado

Apesar de ter iniciado a sua actividade profissional tocando um reportório musical erudito (acompanhando algumas vezes o guitarrista Carmo Dias em teatros e no Conservatório Nacional no final da década de 1920), foi no âmbito do fado que Miguel Ramos teve mais oportunidades de actuação. Esse novo caminho deu-lhe acesso a uma faceta – que será de importante contribuição à cultura portuguesa (particularmente destacando o Fado) – a de compositor.

Grande parte das suas actuações desenvolveu-se em restaurantes de fado (área de Lisboa) entre outros: Retiro das Marialvas (com o guitarrista José Nunes durante a década de 1940), Cervejaria Luso, Café Luso (acompanhando Jaime Santos), Café dos Anjos, Olimpia Clube (entre as décadas de 30 e 40), Adega Machado (entre 1960 e 1970) onde acompanhou o guitarrista Acácio Gomes, Parreirinha de Alfama (último estabelecimento onde terá trabalhado) e Lisboa à Noite (acompanhando Fernanda Maria).

A maioria de artistas fadistas apreciava o seu acompanhamento e, considerado referência, era admirado pelos seus colegas, violistas e guitarristas, entre os quais M. d’Assunção e J. Nunes.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook