Maria Amélia Canossa

Maria Amélia Canossa

Cantora

Maria Amélia Canossa (1933-2022) foi uma cantora portuense e portista que gravou cerca de uma dezena de discos em vinil, nas etiquetas Alvorada e Philips, um deles intitulado “Lisboa à meia noite”. Nascida no seio de uma família portista, gravou o Hino do Porto pela primeira vez a 31 de março de 1952.

Começou a frequentar as bancadas do Campo da Constituição com apenas seis anos, pela mão do pai e do avô, e ainda muito jovem, começou a colaborar com a Rádio Clube do Norte.

No equador do século XX deu a cara e a voz nos espetáculos de angariação de fundos para a construção do Estádio das Antas – que tiveram lugar na nave central do Palácio de Cristal – e foi aí que germinou a Marcha do FC Porto, de que também é intérprete. O ex-líbris do seu repertório musical viria a surgir praticamente de imediato.

Graças à preciosa colaboração do poeta Heitor Campos Monteiro e do compositor António Figueiredo e Melo, Maria Amélia Canossa estreou-se a entoar o hino do FC Porto com apenas 18 anos, em pleno Coliseu, e logo mereceu uma ovação de pé da plateia. Voltaria a cantar na inauguração das Antas, poucas semanas volvidas, para gáudio da multidão ali presente.

Fonte: F.C. Porto

O filho de Maria Amélia Canossa publicou no Facebook da artista a mensagem que ela pediu que fosse divulgada após a sua morte:

“Vivi uma vida longa e intensa cheia de bons momentos. E são esses os que fizeram a minha vida longa.

A vossa amizade foi importante para mim e levo todos no meu coração. Fico grata pela vossa amizade e peço desculpa se ofendi alguém por isto ou aquilo. Não podemos ser todos iguais e por vezes as ideias são diferentes. Sempre defendi o que gostava e por esse motivo não posso agradar a todos mas também nunca critiquei ninguém pelo contrário. Não acho que isso seja o mais importante, temos de nos respeitar e aprender a respeitar. A minha carreira artística foi muito mais do que ser a cantora do hino do FCP mas tenho muito orgulho de o ser e gostaria fosse assim para sempre.”

Maria Amélia Canossa

Maria Amélia Canossa

Maria Amélia Canossa

Maria Amélia Canossa


Maria Amélia Canossa

Maria Amélia Canossa

Maria Amélia Canossa

Maria Amélia Canossa

Maria Amélia Canossa

Maria Amélia Canossa


Maria Amélia Canossa

Maria Amélia Canossa


Maria Amélia Canossa

Maria Amélia Canossa


Maria Amélia Canossa

Maria Amélia Canossa

O Hino do Futebol Clube do Porto é o hino oficial do Futebol Clube do Porto. Foi composto em 1922 e é ainda hoje tocado em aniversários e outros eventos do clube, bem como durante a entrada das equipas em campo sempre que o FC Porto joga em casa.

A letra é da autoria do escritor e dramaturgo Heitor Campos Monteiro (que desde 1998 dá nome a uma rua na freguesia de Paranhos, no Porto e a música foi composta pelo maestro António Figueiredo e Melo, primo de António Augusto Figueiredo e Melo, que viria a ser presidente do FC Porto em 1931, e regente da Banda do Asilo Profissional do Terço, que executou o hino em público pela primeira vez.

Na década de cinquenta, o hino do F.C. Porto foi interpretado e gravado pela cantora Maria Amélia Canossa.

Em 2006 foi lançado o CD Tanto Porto, resultado de uma parceria entre Luís Jardim e Carlos Tê, que incluía, além de cinco temas originais, três versões do hino do clube: a de Isabel Silvestre a cappella, uma versão com arranjo rock interpretada por Nuno Norte e uma regravação da versão clássica, tocada pela Orquestra Sinfónica de Londres e novamente com a voz de Maria Amélia Canossa.

Fonte: Wikipédia

Partilhe
Share on Facebook
Facebook