Margarida Guerreiro

Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Margarida Guerreiro

Voz . Fado

Margarida Guerreiro nasceu no Alentejo, terra onde o cante alentejano se estende na planície e se enraíza no espírito das pessoas mais sensíveis…

Margarida, cresceu a ouvir estes sons juntamente com os discos de Amália Rodrigues que faziam parte da escolha de seus pais. E foi assim a ouvir Amália que nasceu a vontade de cantar. Este é o sentimento que a torna diferente, a junção da sua raiz popular com o misticismo do fado.

Aos 11 anos conheceu Manuel Justino Ferreira, poeta, guitarrista, homem da rádio e do teatro que se enterneceu com a curiosidade de uma menina que ligou para um programa de rádio a fim de participar num concurso, acabando a cantar em directo o Ai Mouraria de Amália Rodrigues. Foi o início de uma amizade e de uma cumplicidade de muitos anos.

Em 1991 estreou-se num dos concertos mais importantes da sua vida, como fadista amadora fez a primeira parte do concerto de Amália Rodrigues (Cine Teatro Curvo Semedo, Montemor-o-Novo) obtendo assim a bênção da Diva.
Seis anos depois conquistou o primeiro lugar no concurso “Amália Clube de Fado“, do qual surgiu o seu primeiro registo fonográfico. De seguida foi convidada a representar o seu Alentejo na Expo 98, viajou até à Venezuela Festival de Música Internacional el Hatillo, Festival das 4 Cidades (Portugal), voz convidada do projecto “Fado – Flamenco” – Duas músicas… Um Sentimento durante um ano a levou a muitos palcos em Espanha.

Em 2003, foi editado o seu primeiro trabalho discográfico “Sal e Mel“ (Ovação).

Margarida Guerreiro tornou-se presença assídua em programas de televisão, rádio, além de vários show-case nas diversas lojas FNAC espalhadas por Portugal, confirmando assim o reconhecimento e o carinho do público português.

Apresentou o seu concerto “Sal e Mel“ de norte a sul do país. Com este trabalho iniciou também um percurso de reconhecimento internacional (Espanha, Canadá, Suíça, Alemanha, Grécia, Estados Unidos…)

Em 2005 entre muitos concertos destaca-se o convite de Gabriela Canavilhas e António Eustáquio para a participação no Festival “Rencontres Musicales de Méditerranée”, Córsega, onde interpretou alguns fados acompanhada de guitarra portuguesa e quarteto de cordas.

Em 2006 a cantora criou com Custódio Castelo o projecto Encores Fado, com o qual realizou inúmeros concertos (Espanha, México, França, Eslováquia, Itália, Alemanha…) um dos quais registado em CD: ENCORES FADO Live (Ovação) editado em Portugal no início de 2007 como disco Antena 1. Neste projecto interpreta poetas como: Fernando Pessoa, Cecília Meireles, Pedro Homem de Mello, Jorge Fernando, Pedro Abrunhosa, David Mourão Ferreira… O tema “Ausente” integra a banda sonora da novela “Vila Faia” e a revista Arte Sonora elege “ENCORES FADO Live” como disco do Mês de Fevereiro 2007.

… “Este primeiro disco do projecto Encores Fado, inicialmente pensado apenas com um formato de concerto, é um álbum estupendo que em boa hora foi captado para um registo físico.

… É um testemunho da beleza da língua portuguesa, dos seus autores (como é sublime ouvir aqui Fernando Pessoa cantado em “O Que Nunca Te Direi”, talvez o momento máximo do álbum), de como escrevem o amor, o encontro com o outro, mágoas que a vida edifica, a inevitável saudade, e como canta Margarida Guerreiro essas palavras, como nos embala em momentos com a melancolia doce da sua voz e noutros com alegria “alfacinha”…
In Revista Arte Sonora

Casino da Figueira da Foz (Ciclo de espectáculos dedicados a Amália Rodrigues), Festival de Alpedrinha, Ollinkan Festival (México), Festival Sete Sóis Sete Luas, Embaixada de Portugal em Itália (Roma), Montecastello (Itália) …

… “Após o êxito de Teresa Salgueiro pensei que este ano Montecastello, este ano não viveria outra noite similar. Enganei-me. Logo na noite seguinte o êxito repetiu-se, agora graças a Custódio Castelo e Margarida Guerreiro. Ele, ora em improvisos ora em composições suas; ela quer cantado fados de Amália Rodrigues, quer poemas de Vasco Graça Moura, Pedro Homem de Mello, Cecília Meirelles ou David Mourão Ferreira, deram um autêntico show. A voz portentosa e esfuziante presença em palco da fadista, aliadas à arte do guitarrista, conquistaram o público que de novo encheu a Villa Malaspina, obrigando a dupla a vários encores.
Rodrigues da Silva in Jornal das Letras

Margarida foi convidada pela companhia francesa Mecanique Vivante a cantar no inédito projecto “O canto das sirenes encontra o fado“ apresentado no “Imaginarius 2007”

Convidada de Custódio Castelo no concerto “Sobre Camões” apresentado na Casa da Música no Porto.

O ano de 2007 culminou ao lado de Custódio Castelo, Camané e Teresa Salgueiro nas “Galas do Montepio Geral” nos Coliseus de Lisboa e Porto.

Regista três temas inéditos com poesia de António Manoel Morais, “Hino à Cantadeira” e “Corpo de Ébano” com música de Custódio Castelo e “Meu Alentejo, Meu Fado“ com música do saudoso professor Fontes Rocha. A acompanhar Margarida a Guitarra de Castelo, a Guitarra clássica de Carlos Garcia, o Contrabaixo de Carlos Menezes e o violoncelo de Davide Zaccaria. Este trabalho teve a produção de Custódio Castelo e contou também com a participação de Joana Amendoeira, Diamantina, Célia Leiria e Luisa Rocha (Edição – Ocarina).

Também em 2008 foi convidada pelo director do conceituado festival “7 Sóis 7 Luas”, para representar Portugal na multi-étnica “7 Sóis OrKestra” onde interpretou temas do seu repertório (Ausente e Libertação), e temas originários de outros países do mediterrâneo, em 7 línguas e dialectos diferentes, dialecto siciliano, dialecto da Calábria, espanhol, italiano, árabe, grego antigo e sabir (a língua mãe de todo o mediterrâneo).

Este projecto foi registado em concerto ao vivo na Sicília em Maio de 2008, resultando no CD “A night in Sicily” e apresentado em concertos durante 4 anos em Portugal Continental e Açores, Itália Continental, Sicília Sardenha, Espanha, França, Croácia, Israel…

Além da voz de Margarida Guerreiro, participaram neste projecto: Stefano Saletti (Italia) Produção, Bouzouki e Oud, Massimo Cusato (Itália, Calábria) – Bateria e percussão, Jamal Ouassini (Marrocos) – Violino, Miguel Ortis (Espanha) – Guitarra Flamenca, Eyal Sela (Israel) – Sopros e Mario Rivera (Sicilia) – Baixo.
Em 2008 radicou-se em Itália, onde viveu durante 6 anos, abraçando outras sonoridades, cruzando a sua voz com géneros tão diferentes como os ritmos de Quartaumentata, Scialaruga, a arpa de Giuliana de Donno ou o canto de Raffaello Simeone.

Foi convidada do grupo de música étnica Quartaumentata a gravar um tema inédito “Stringimi” no CD “ Sirene e Naviganti” editado pela Sony Music Itália a que se seguiu uma longa tounée em Itália.

Convidada do programa “Manhãs do Europeu” RAI em representação de Portugal e da nossa seleção.

No período que viveu em Itália, Margarida criou com o percussionista e produtor Massimo Cusato o concerto “Margarida Guerreiro Project” (piano, acordeão, percurssões e bateria, guitarra e contrabaixo), um concerto de fusão entre Portugal e Itália e o projecto “Luna Piena” (percussão, guitarra e voz) numa viagem intimista e de homenagem à MULHER (Amália Rodrigues, Simone de Oliveira, Mercedes Sosa, Edith Piaf, Violeta Parra, Mia Martini, Cesária Évora, Rosa Balistreri e Lhasa de Sela). Margarida continua a trabalhar em ambos os projectos.

Dos muitos concertos realizados, destaque para: Ai Confini del Sud Festival (Itália), Festival D’ Autunno (Itália), Emmas Festival (Sardenha), Icarus Festival (Ikaria – Grecia), Paleariza Festival (Itália) “… É impossível ficar indiferente ao ouvir a voz de Margarida, única, profunda, capaz de prender a alma de quem a escuta e transportá-la numa nostalgia melancólica e vital ao mesmo tempo…” Giuseppe Panella In “MusicalNews” Festival d’autunno

DISCOGRAFIA

Própria:

2003

Sal e Mel (Ovação)

2007

Encores de Fado Live (Ovação)

Participação em Coletâneas:

2004

“Divas do Fado Novo” (Difference)
“Cantar Amália” (Seleções Readers Digest)

2006

“A Voz das Cerejas”
“Fado Capital 6“ (Ovação)

2007

“Fado Capital 7” (Ovação)
“Saudade – Amália noutras vozes“ Vol I (Som Livre)
“Fado Português“ (Edel Classique)

2008

Fadário (Poemas de António Manoel Moraes)
Edição – Ocarina

2008

“Fado Capital – A essência do fado de A a Z.” (Ovação)
“Saudade – Amália noutras vozes“ Vol II (Som Livre)

2010

Best of Fado – Alma Portuguesa

2011

“Fado Património da Humanidade – Vol I
“Fado Património da Humanidade – Vol II“

2012

“Original fado de Lisboa”

2013

Fado Capital 8 (Ovação)

Partilhe
Share on Facebook
Facebook