Padre Manuel Simões

Manuel Simões

Liturgia

 Manuel Simões nasceu em Pousaflores, Ansião, a 10 de novembro de 1924 e morreu em Braga a 09 de fevereiro de 1995. Foi compositor, poeta, ensaísta, pedagogo e regente de coros. Entrou na Companhia de Jesus a 7 de Set. de 1942. Licenciou-se em 1950 na Pontifícia Faculdade de Filosofia de Braga, frequentando em seguida o Curso de Teologia em Granada (Espanha), onde foi ordenado padre em 1956.

Foi membro da Comissão Nacional de Música Litúrgica, “por determinação do Episcopado, tradutor e revisor dos textos litúrgicos” (Mário Garcia) nos anos 60, membro da Comissão Bracarense de Música Sacra e vogal do Serviço Nacional de Música Sacra. Discípulo de Manuel Faria, foi um dos homens que mais contribuíram para a música litúrgica renovada pelo Concílio Vaticano II, em Portugal. Compôs numerosos cânticos que foram editados na Nova Revista de Música Sacra, de cuja direcção fez parte, nos cadernos do Encontro Nacional de Pastoral Litúrgica, no Boletim de Música Litúrgica e na Liturgia das Horas (livro para canto). A sobriedade poética, simplicidade melódica e inspiração bíblica da sua obra estão patentes nos 2 volumes de Salmos e cânticos publicados em 1970/71 que se popularizaram na região de Braga.

Manuel Simões desenvolveu uma actividade multifacetada, tendo sido director da Casa de Camilo, em São Miguel de Ceide (Famalicão) desde 1982 até à sua morte, fundador e director do Centro de Estudos Camilianos (1987-1995), director cultural (1978-1995), administrador (1985-1995) e vice-presidente da Fundação Cupertino de Miranda (1993-1995).

Após o falecimento do P.e Benjamim Salgado (1978), foi director do Orfeão Famalicense e da Associação dos Coros Paroquiais de Vila Nova de Famalicão. Docente na Faculdade de Filosofia de Braga (UCP) desde 1982, foi titular da disciplina de Cultura Portuguesa até à sua morte. O seu reconhecido amor à língua e cultura pátrias é patente na adopção de poesias de autores como Gil Vicente para alguns cânticos. Autor de vários livros de poesia e ensaio, traduziu, além disso, diversos autores, entre os quais Miguel de Unamuno, Romano Guardini, Marie Noël, Simone Weil e Khalil Gibran.

OBRA MUSICAL EDITADA

(1970) Salmos e cânticos 1. Caldas da Saúde: Instituto Nun’Álvares.

(1971) Salmos e cânticos 2. Caldas da Saúde: Instituto Nun’Álvares.

OBRA LITERÁRIA EDITADA

(1984) “A música sacra e os seus problemas”, Laikos (3/4): 480-489.

(1991) Camilo e a música sacra. Braga: s.e.

António José Ferreira