Padre Manuel de Carvalho Alaio

Manuel Alaio

Liturgia

Manuel de Carvalho Alaio nasceu em Fão, Esposende, a 07 de dezembro de 1888 e morreu em Fão, a 17 de maio de 1973. Foi padre, professor, compositor e regente de coros, desenvolveu uma intensa actividade em Braga ao longo do primeiro terço do séc. XX: enquanto compositor de música religiosa,. pedagogo e regente. Contribuiu juntamente com António Domingues Correia (1877-1953) para a formação da Escola de Braga numa orientação caracterizada pelo desejo de fidelidade ao Magistério da Igreja.

A Escola de Braga ocupou um lugar cimeiro na música religiosa em Portugal no séc. XX, patente na actividade dos coros, maestros, organistas e diversidade de compositores para a liturgia, sobretudo.

Neste contexto privilegiou a utilização do canto gregoriano, a promoção do canto litúrgico em português, a abertura à influência da *música tradicional minhota e da poesia de sabor popular, a polifonia clássica e moderna e a manutenção do acompanhamento e literatura de órgão. Iniciou os estudos musicais no Colégio dos Órfãos de São Caetano, em Braga, onde aprendeu clarinete e integrou a Banda Filarmónica local. Aprendeu teoria musical, piano, harmónio e composição no seminário de Santo António e São Luís Gonzaga (Braga).

Leccionou solfejo e canto gregoriano no mesmo seminário entre 1915 e 1934. Organizou um coro conhecido por Capela do Padre Alaio, bem como o Orfeão do Seminário de Braga. A sua acção desenvolveu-se também no Orfeão do Liceu Sá de Miranda, em Braga, e no Orfeão de Braga, que fundou em 1923, com cerca de 120 vozes masculinas. Foi elemento preponderante da Comissão Bracarense de Música Sacra. Compôs cânticos religiosos cujas raízes remontam à música tradicional minhota, patentes sobretudo na harmonização em terceiras e na utilização de quadras de redondilha maior (versos de sete sílabas) com rima ABCB.

OBRA MUSICAL EDITADA

1931-1951) Ecos do Santuário: Colecção de motetes e cânticos religiosos. Braga: Livraria e Papelaria Nacional [25 Cânticos a uma ou duas v. individuais com acompanhamento de órg. ou harm., em latim e em português].

(1935) Marcha Jocista. Braga: s.e.
(1978) “Hino do Arcebispo Primaz”, NRMS 5 (2ª série): 15-1

(1988) “Bendito e louvado seja”, NRMS 48: 18-1

(s.d.) “Jesus”, Laus Deo 5: 41-4

(s.d.) “Ladainha do sagrado coração de Jesus”, Laus Deo 5: 41-43

António José Ferreira

Partilhe
Share on Facebook
Facebook