Luís Petrolino, guitarrista natural de Setúbal

Luís Petrolino

Guitarrista

Luís Carlos da Silva, Luís Petroline, Luiz Petrolino ou “O Petrolino” ficou a dever a alcunha de Petrolino ao gorro que usara em novo, igual aos dos antigos vendedores ambulantes de petróleo.

Ainda rapazito, estava um dia entretido à janela a dedilhar uma velha guitarra de cravelhas pertencente a um seu irmão, quando ali passou João Maria dos Anjos, que ao ouvi-lo logo reconheceu nele uma marcada vocação para aquele instrumento. A partir daí, com os ensinamentos daquele consagrado guitarrista, ao lado do qual se apresentou em público no Teatro Príncipe Real (depois Teatro Apolo) com apenas nove anos de idade, a carreira fulgurante de Petrolino havia de fazer dele o primeiro guitarrista português de projecção internacional.

Fez parte da célebre Troupe Gounod, dirigida pelo grande bandolinista Carlos Braga (que era cego e só tinha quatro dedos numa das mãos) e integrado nesse conjunto de instrumentistas manteve-se a partir de 1899 durante quinze anos na Rússia, onde tocou para o Grão-Duque Sérgio, tio do Czar, num espectáculo a que também assistiu o embaixador português junto da corte de S. Petersburgo. E, com o mesmo conjunto, exibiu-se ainda em Berlim, em Paris e Bordéus.

Petrolino que actuando na Legação da Inglaterra em Lisboa aquando da visita a Portugal de Eduardo II, fora felicitado por este e pelo nosso Rei D. Carlos que muito haviam apreciado a sua admirável execução, distinguiu-se não só como instrumentista primoroso, que tocava como ninguém o Fado Choradinho, mas também como autor de variações, em especial das que compôs em Ré Maior e Ré Menor.

Fonte: Lisboa, o Fado e os Fadistas – Eduardo Lucena

O recorte que ilustra a biografia é o obiuário retirado de Guitarra de Portugal (1934), quando o guitarrista tinha falecido aos 74 anos. Refere que Petrolino foi um dos primeiros guitarristas a dar a conhecer o fado por todo o mundo.

Fonte: Fadoteca

[ Músicos naturais de Setúbal ]
Partilhe
Share on Facebook
Facebook