Leonor Sá, violoncelo barroco

Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Leonor Sá

Violoncelo barroco

Leonor Sá iniciou os estudos musicais na Fundação Conservatório Regional de Gaia aos 9 anos, na classe de violoncelo de Valter Mateus.

Participou nas duas edições da “Maratona de Violoncelistas” da Casa da Música (Porto) e nas duas edições do “Concurso Interno” organizado pela Fundação Conservatório Regional de Gaia.

Foi chefe de naipe da orquestra da FCRG, sob direção de Mário Mateus, e participa frequentemente com a Orquestra Filarmonia de Gaia, tendo já realizado vários concertos com obras como Stabat Mater (G.B. Pergolesi), Glória (Antonio Vivaldi), As Bodas de Fígaro e A Flauta Mágica (W.A. Mozart), Requiem À memória de Camões (J.D. Bomtempo), entre outros.

Já trabalhou com vários maestros, como Ertug Korkmaz, Miguel Salmon del Real, Gyudi Sándor, Juan Carlos Lomonaco e Gabriele Pezone.

Apresentou-se como solista no Auditório Municipal de Vila Nova de Gaia em 2016.

É licenciada em violoncelo barroco pelo Curso de Música Antiga da Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto, na classe de Fernando Santiago García.

Nesta mesma instituição foi também aluna de Marco Ceccato. Participou na 2.ª, 3.ª e 4.ª Academia Júnior de Música Barroca organizada pelo Curso de Música Antiga da ESMAE e no 13.º, 14.º e 15.º Curso Internacional de Música Antiga ESMAE/ESML, onde trabalhou com Stefano Veggetti, Marco Ceccato, Olivia Centurioni, Pedro Sousa Silva, Ana Mafalda Castro e Benjamin Chénier.

Participou também na VIII edição dos CIMA realizados em Idanha a Nova, tendo trabalhado com Alejandro Marías, Lorenzo Colitto, Paul Esswood, Vinícius Perez e João Paulo Janeiro. Em 2018 participou num estágio sob direção de Ton Koopman e Peter de Groot, com um programa de duas cantatas de J.S. Bach, em Paris. Frequentou classes de aperfeiçoamento com Jed Barahal, Filipe Quaresma, Ophélie Gaillard e Amandine Beyer.

Trabalhou também com Laura Puerto Cantalejo, Nacho Rodríguez, Marisa Esparza, Jean-Denis Monory, Rafael Muñoz, Wilbert Hazelzet e Daniel Cuiller.

Apresentou-se a solo na 4.ª Academia Júnior de Música Antiga da ESMAE com o Concerto para violoncelo em Dó Maior RV398, de Antonio Vivaldi.

Em orquestra e ensemble Renascentista já interpretou obras como D. Quixote, Tafelmusik, Overture in E minor, de G.P. Telemann, Misere ZWV 57, de J.D. Zelenka, L’Europe Galante, de Andre Campra, Missa Decantabat Populus, de Giovanni Croce, Ballo delle Ingrate e Combattimento de Tancredi e Clorinda, de Claudio Monteverdi, Magnificat, Quinti Toni e Missa Dicebat Jesus, de Duarte Lobo, Dido and Aeneas, de Henry Purcell, Messiah, de Georg Frideric Haendel.

Integra vários grupos dedicados à interpretação historicamente informada, tais como Gli Accenti, Cuore Armonico, La Voix de l’Âme (do qual é um dos membros fundadores) e Concerto Ibérico. Participa frequentemente em vários concertos, recitais e festivais em Portugal e Espanha, tanto em contexto de orquestra como música de câmara.

Bio publicada a 12 de junho de 2021

Músicos naturais de Gaia

Partilhe
Share on Facebook
Facebook