Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Leandro Alves

Direção

Leandro Alves, oboísta e maestro, ingressou na Escola Profissional e Artística do Vale do Ave – ARTAVE, onde iniciou os estudos de oboé com os professores Saul Silva e Domingos Freitas, respectivamente.

É licenciado em Ensino de Música, variante de Oboé pela Universidade de Aveiro, sob a orientação de Pedro Ribeiro. Estudou também nesta instituição com Jean Michel Garreti.

Frequentou classes de aperfeiçoamento de Oboé sob a orientação de Alex Klein, Andreas Wittmann, Andrew Swinnerton, Diethelm Jonas, Hansjorg Schellenberger, José Manuel Coutinho, Kristo Kametsky, Pedro Ribeiro, Phillip Hill, Ricardo Lopes e Thomas Indermuhle.

Apresentou-se a solo com a Orquestra de Cordas do Conservatório de Música de Coimbra, a Orquestra de Cordas do DeCA – Universidade de Aveiro, Banda Sinfónica da Feira, a Camerata Antiqua e com a Orquestra Filarmonia das Beiras, tendo sido dirigido pelos maestros André Fonseca, Jan Cober e Luís Carvalho e Vasco Negreiros e em vários recitais com piano e noutras formações de câmara em várias edições dos Jovens Músicos de Guimarães, nos Jovens Solistas da Fundação Cupertino Miranda, no Made in DeCA. Foi 1º Oboé da Orquestra APROARTE (Associação Nacional de Ensino Profissional de Música e Artes) de 2000 a 2002.

Já colaborou com a Orquestra do Festival Portugal & Usa, Orquestra Sinfónica ESART, Orquestra e Banda Sinfónica de Santa Maria da Feira, Banda Sinfónica Portuguesa, Orquestra Clássica de Espinho, Orquestra Sinfónica da Póvoa de Varzim, Orquestra de Clássica do Centro, Orquestra do Norte, Camerata Antiqua, Orquestra do Algarve, Ensemble Orquestral do Porto, Orquestra Metropolitana de Lisboa, Orquestra Nacional do Porto entre outras.

Em 2009 após concurso, esteve à experiência com a Orquestra Nacional do Porto. Tem actuado regularmente como músico convidado com a Orquestra Filarmonia das Beiras e com a Orquestra Gulbenkian. Com esta actividade orquestral teve a oportunidade de trabalhar com os maestros António Saiote, António Vassalo Lourenço, António Vitorino D’ Almeida, Cesário Costa, Cristian Badea, Christoph Konig, Christoph Poppen, David Afkham, Ernst Schelle, François-Xavier Roth, James Tuggle, Jean-Claude Casadesus, Jean Sebastien Béreau, Joana Carneiro, John Nélson, Kirill Petrenko, Lawrence Foster, Marc Tardue, Michael Zilm, Michel Corboz, Osvaldo Ferreira, Pedro Neves, Rui Pinheiro, Takuo Yuasa, Vasily Petrenko, entre outros e com artistas de renome internacional tais como Artur Pizarro, Ivan Monighetti, Jean-Jacques Kantorow, José Carreras, Juliane Banse, Mischa Maisky, Sequeira Costa e os The Swingle Singers.

Participou nos Festivais Internacionais de Música do Algarve, de Aveiro, Ayamonte (Espanha), Castelo Branco, Coimbra, Espinho, Portugal & Usa (Viana de Castelo), Póvoa de Varzim, Terras de Santa Maria, Festival dos Oceanos (Lisboa), Festival da Primavera (Viseu), Festivais de Outono (Aveiro), Promenade de Jovens Músicos RDP, Festival Internacional de Guitarra Clássica de Sernancelhe, Festival de Ópera de Óbidos, Concertos de Promenade (Coliseu do Porto), Festival ao Largo (Lisboa), Dias da Música (Lisboa), Certame Internacional de Bandas de Valencia (Espanha), Certame Internacional de Bandas de Música Vila D’Altea (Espanha), no Music Contest Kerkrade (Holanda) e no Young Euro Festival (Konzerthaus, Berlim – Alemanha) entre outros.

Tocou ainda com personalidades tais como Adolfo Luxúria Canibal, Amélia Muge, André Sardet, Alessandro Safina, Boss AC, Bruno Nogueira, Camané, Carlão, Carminho, Dulce Pontes, Gisela João, Jáfumega, James, João Gil, José Mário Branco, Luís Portugal, Luís Represas, Manuela Azevedo, Marante, Maria João, Mário Laginha, Mão Morta, Nancy Vieira, Paulo de Carvalho, Paulo Flores, Rui Veloso, Sara Tavares e Vitorino.

Participou como artista convidado na gravação de alguns temas no álbum “Magála Invisível” dos Fadomorse (2012), tendo gravado como músico de orquestra para a RTP, Antena 2, Afinaudio, Edições Coimbra, Edições Casa da Música, Ethereal Sound Works, là ma guido, mpmp, Numérica, Public Art, Canal Mezzo e France Tv.

Leandro Alves é professor de Oboé no Conservatório de Música de Coimbra. Foi professor de Oboé na Academia de Artes de Chaves (2009-2014), no Conservatório Regional de Música de Vila Real (2010-2011), no Conservatório Regional de Coimbra (2010/2016) e no Conservatório de Música de Coimbra (2012/2016). Foi professor de Coro na Academia de Artes de Chaves no ano letivo 2011-2012 e de Orquestra no Conservatório de Música de Coimbra (2011-2017).

Orientou Masterclass de Oboé na Academia de Música de Castelo de Paiva (2010) e no Curso Intensivo Técnico-Instrumental da Guia (2013 a 2017) e no Festival de Música Júnior (2016). Maestro Frequentou o Mestrado em Direcção de Orquestra na Universidade de Aveiro com o maestro Ernst Schelle.

Tem participado em Cursos de Direcção de Orquestra e de Banda, onde trabalhou com diversos maestros dos quais se destacam Douglas Bostock, Ernst Schelle, Jean-Sebastien Béreau, Jésus Médina, Luís Gustavo Petri e Roberto Montenegro, e com a Orquestra Filarmonia das Beiras, a Orquestra do Algarve, a Orquestra Clássica do Centro, e o Ensemble da Banda Sinfónica Portuguesa. É maestro da Banda Filarmónica de Santa Comba Dão, da Orquestra da Tuna Académica da Universidade de Coimbra e da Orquestra Juvenil de Cascais e maestro assistente na Orquestra Académica da Universidade de Coimbra e da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, trabalhando com os maestros André Granjo e Nikolay Lalov.

Dirige regularmente como maestro convidado a Orquestra Filarmonia das Beiras, tendo recentemente dirigido a Orquestra de Sopros de Coimbra, a Orquestra Clássica do Centro, a Orquestra Vibrations, a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras no 43º Festival de Música Estoril – Lisboa e a Orquestra Filarmonia das Beiras no Coimbra World Piano Meeting.

É assistente do maestro Ernst Schelle no Curso de Arte Orquestral da Orquestra Filarmonia das desde 2015. Foi coordenador do naipe das madeiras no Estágio de Orquestra AECMC (Associação de Estudantes do Conservatório de Música de Coimbra – 2015 a 2017) onde trabalhou com os maestros Ernst Schelle, Rui Pinheiro e Jan Wierzba.

Ao nível de orquestras académicas ou de jovens, dirigiu a Orquestra de Sopros do VIII Estágio da Guia, a Orquestra da Escola de Artes da Bairrada, a Orquestra de Câmara da Maia, a Orquestra do Conservatório de Música de Torrelavega (Espanha) e a Orquestra de Cordas do DeCA – Universidade de Aveiro. Foi maestro da Orquestra do Conservatório de Música de Coimbra (2011-2017). Colaborou com o Coro Infantil, Juvenil e Adulto da União de Freguesias de Santiago e S. Simão de Litém e Albergaria dos Doze, o Coro Vox et Communio, o Coro Polifónico do Oeste, o Coro do Conservatório de Música de Cascais, o Coro Misto da Universidade de Coimbra e com o Orfeon Académico da Universidade de Coimbra.

Dirigiu solistas tais como Ana Beatriz Ferreira, André Roque Cardoso, Andrea Turini, Daniel Rodriguez Hart, Fumiya Koido, Inês Costa, Luís Costa, João Bettencourt da Câmara, Ruben Micieli (piano), Pedro Carneiro (violino), Nuno Dias, Taís Bandeira, Vera Silva, Alexandra Calado (canto) Paulo Vaz de Carvalho (guitarra), Ricardo Ramos e Rui Lopes (fagote), Henrique Portovedo (saxofone), Luís Granjo, Daniel Tapadinhas Fred Sautter e Adam Rappa (trompete) e Sérgio Carolino (tuba). Acompanhou também artistas nacionais da música ligeira como Luiz Caracol, Miguel Gameiro e Vitorino.

O seu repertório estende-se do barroco à atualidade, da oratória à ópera, e inclui algumas estreias absolutas. Júri Fez parte do júri do XXIV Festival Internacional de Tunas da Universidade de Aveiro, do X Concurso Interno Professor José de Oliveira (Escola e Artes da Bairrada) e dos V, VI e VII Concursos de Alunos Finalistas do Conservatório de Música de Coimbra, no V Concurso Internacional de Sopros do Alto Minho e no III Coimbra World Piano Meeting. Ator

É ainda de mencionar a sua participação como ator em projectos teatrais co-produzidos pela Universidade de Aveiro, Inatel e a Companhia de Teatro de Aveiro –Efémero, o Teatro Trindade, A Orquestra Filarmonia das Beiras, o Estúdio de Ópera do Centro e o Teatro Nacional D. Maria II: “O Navio” (2004), “Fungágá” (2005/2006), “A Dança do Universo” (2006), “Um Sonho de Uma Noite de Verão” (2007), “O Grito do Sufoco” (2008) e na Ópera “La Serva Padrona” (2017) onde trabalhou com os encenadores Jorge Fraga e Cláudio Hochman.

Encenador Foi assistente de encenação do encenador Cláudio Hochman nas Óperas “La Serva Padrona” de Pergolesi (2011) e “Dido e Eneias” de Purcell (2011) produzidos pela Orquestra Filarmonia das Beiras e pelo Estúdio de Ópera do Centro.

Trabalhou como encenador nos musicais “Mumaling (2009) e “O Pequeno Grande Músico – Uma viagem fantástica com Mozart” (2009) e “João e o Rato” (2010) produzidos na Universidade de Aveiro, e no teatro “Uma Questão de Ar” (2011) produzido pela Fábrica Centro Ciência Viva de Aveiro. Esta peça fez parte do cartaz do VI Encontro de Teatro Científico Ciência em Cena em Caxias-Maranhão (2012, Brasil).

Foi diretor artístico da peça de teatro “Claro como Água” (2013), uma produção da Fábrica Centro de Ciência Viva de Aveiro que recebeu o primeiro prémio na XV edição do concurso internacional “Ciencia en Acción”, realizado em outubro de 2014, na CosmoCaixa Barcelona, em Espanha.

No domínio da ópera destaca-se a sua direção como maestro e encenador (2013) e também como ator/encenador (2017) na ópera “La Serva Padrona” de Pergolesi com a Orquestra Filarmonia das Beiras e o Estúdio de Ópera do Centro.

30 de julho de 2018