José Pais de Almeida e Silva, regente e compositor natural de Vagos

José Pais de Almeida e Silva

Regente . Compositor

Compositor e regente, José Pais de Almeida e Silva nasceu em Vagos a 6 de julho de 1899 e morreu em Lisboa a 27 de dezembro de 1968.

Em 1919 matriculou-se em Ciências Físico-Químicas na Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra. Formou-se igualmente em Engenharia Química e mais tarde em Matemática, pelo IST (Lisboa). Integrou o Orfeão Académico de Coimbra (OAC) em 1920 como elemento dirigente passando a membro ensaiador juntamente com um dos seus irmãos e outros dois elementos. No mesmo ano foi regente deste organismo na digressão realizada por várias cidades espanholas. Voltou a reger o OAC em 1925-1926.

Em 1924 fazia parte da Mesa da Assembleia Geral da Tuna e, em 1925, passou a ser diretor técnico. Foi também regente da tuna entre 1928 e 1929.

Na deslocação a Leiria (em fevereiro de 1929), a tuna tocou pela primeira vez, sob a sua direção musical, Momento Musical de Franz Schubert, composição que se havia de estabelecer como indicativo musical da tuna.

Esteve ligado à criação e era diretor do Grupo Musical de Instrumentos de Corda na Associação Cristã dos Estudantes. Fundou e regeu o Orfeão de Vagos e foi também regente do Orfeão de Leiria.

Possuidor de vasta produção musical (peças corais, canções, fados e composições para récitas de despedida), muita da sua obra foi divulgada por Almeida d’Eça, Armando Goes, Edmundo de Bettencourt e Luiz Goes.

Fonte:

Amparo Carvas e Virgílio Caseiro, EMPXX

[ Músicos naturais de Vagos ]

Partilhe
Share on Facebook
Facebook