Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

José Fernando Silva

Oboé

Após a conclusão dos seus estudos no Conservatório de Música de Gaia com  Saul Silva, José Fernando Silva ingressou na Escola Superior de Música de Lisboa onde completou a Licenciatura em Oboé sob orientação de  Andrew Swinnerton. Em Janeiro de 2014 tornou-se no primeiro oboísta português a alcançar o grau de Doutor em Performance, pela Universidade de Aveiro.

É desde a sua constituição, o solista em Oboé do Remix Ensemble , o agrupamento de música contemporânea da Casa da Música do Porto. Desde a sua formação em 2000 já participou na estreia absoluta de mais de setenta obras musicais.

O eclectismo do seu repertório que produz estende-se em incursões pela música cénica, acompanhamento de filmes, dança e jazz, a par da promoção de numerosos workshops com compositores como António Pinho Vargas, Brice Pauset, Emmanuel Nunes, Frédéric Durieux, Heiner Goebbels, Iris ter Schiphorst, James Dillon, Magnus Lindberg, Mark-Anthony Turnage, Luís Tinoco, Georges Aperghis, Helmut Lachenmann, Bernhard Lang, Matthias Pintscher, Harrison Birtwistle, David Horne, Wolfgang Mitterer, Hans Abrahamsen, Karin Rehnqvist e Jonathan Harvey.

Até ao presente, já tocou sob direcção dos maestros Stefan Asbury, Ilan Volkov, Kasper de Roo, Pierre-André Valade, Rolf Gupta, Peter Rundel, Jonathan Stockhammer, Jurjen Hempel, Matthias Pintscher, Franck Ollu, Reinbert de Leeuw, Diego Masson, Emilio Pomàrico e Paul Hillier, entre outros.

No plano internacional, apresentou-se em : Viena (Áustria), Berlin (Alemanha), Amesterdão (Holanda), Bruxelas (Bélgica), Valência (Espanha), Roterdão (Holanda), Huddersfield (Inglaterra),Barcelona(Espanha), Estrasburgo (França), Paris(França),Orleães(França),Bourges(França),Reims(França), Antuérpia (Bélgica),Madrid (Espanha), Budapeste (Hungria), Norrköping (Suécia).

Em 2010 realizou concertos na Fundação Gulbenkian, em Lisboa, no Grand Théâtre de Reims, no IRCAM – Grande Salle du Centre Pompidou e na Cité de la Musique, em Paris, no Festival Ars Musica, em Bruxelas, no Théâtre de Nîmes, no Festival Musica de Estrasburgo, em Saint-Quentin-en-Yvelines, na Konzerthaus de Viena, no Muziekgebouw de Amesterdão e no de Singel, em Antuérpia.

Em 2011 apresentou-se no Wiener Festwochen (Viena) e no Festival Agora (IRCAM – Paris). Distinguido regularmente pela crítica nacional e internacional (Financial Times, Le Monde de la Musique, El País, Standaard Antuérpia, Klassik Alemanha, Amadeus Itália, Público, entre outros), participou já na gravação de oito discos editados pela Casa da Música do Porto. Em 2004 o primeiro CD duplo com gravações ao vivo e em estúdio de obras de Pauset, Azguime, Côrte-Real, Peixinho, Dillon, Staud e Nunes, depois os registos dedicados a obras de Emmanuel Nunes (editoras Numérica e Westdeutscher Rundfunk WDR), Bernhard Lang (Villa Concordia), António Pinho Vargas (Numérica), Wolfgang Mitterer (Casa da Música), Klaus Ib Jorgensen (Da Capo) e James Dillon (Aeon).