José Carlos Xavier

Tenor lírico . Professor de Canto

Aluno do Conservatório Nacional de Lisboa, José Carlos Xavier estudou canto particularmente com Cristina de Castro. Muito jovem, ingressou no Corpo Coral do Teatro Nacional de São Carlos. Estreou-se como solista naquele teatro, interpretando papéis nas óperas Miguel Mañara, Cavaleiro da Rosa, Rigoletto, Fedora, Louise e Dona Mécia.

Convidado pelo Maestro Michel Corboz, ingressou no Grupo de Música de Câmara da Fundação Calouste Gulbenkian, actuando como solista em Espanha e Itália.

Foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian durante cinco anos, em Itália, no Liceo G. B. Viotti, de Vercelli, completando, sob a orientação de Zita Fumagalli, o Curso Superior de Canto, com a classificação máxima e louvor do júri, habilitação que lhe foi reconhecida pela Secretaria de Estado do Ensino Superior do Ministério da Educação.

José Carlos Xavier passou a residir em Itália.

Actuou nos Festivais de Música de Aix-en-Provence, Toulon (neste Festival foi distinguido pelo crítico Clarendon do Figaro como o melhor participante vocal do concerto), Festival da Toscana, 1º Festival de Música de Lagos, Festival de Vilar de Mouros, Festival de Música de Kriens (Lucerne). Com o “Angelicum”, de Milão, cantou Jephte e La Conversione di S. Agostino. Cantou o Messias e Petite Messe Solennelle, em diversas cidades italianas.

No campo operístico, José Carlos Xavier foi Ernesto de Don Pasquale, Dorvil de Scala di Seta, Peppe de Pagliacci, Beppe de Rita, Des Grieux de Manon (versão de concerto), Werther (versão de concerto), Testo de Combatimenti de Tancredi e Clorinda, Tamino de Die Zauberflöte.

Realizou recitais em toda a Itália, destacando-se as suas actuações nas famosas salas Circolo della Stampa, Famiglia Meneghina, Filodramatici e Centro Culturale Francese em Milão.

Com a Associação “Amici della Lírica”, realizou recitais em diversas cidades italianas.

Regressado a Portugal passou a colaborar com frequência com a Secretaria de Estado da Cultura (Norte, Centro e Sul), realizando recitais em todo o País.

A convite dos Governos Regionais da Madeira e Açores realizou recitais em ambos Arquipélagos.

A convite do Governo de Macau, realizou recitais naquele território.

Gravou comercialmente para a Decca-Valentim de Carvalho um ciclo de Canções de Trovador de Frederico de Freitas e para a Discoteca Básica da SEC, ciclos inéditos de Fernando Lopes-Graça.

Gravou para a Rádio Televisão Portuguesa: Canções de Trovador, de Frederico de Freitas – recital; Árias de Ópera (Italiana in Algeri, La Bohéme, Favorita, Faust, Manon) – recital; Ficções de Interlúdio, de António Victorino de Almeida – filme; Canções de Garcia Lorca – recital.

Gravou para a RTP (Madeira) Música portuguesa e espanhola – recital.

Gravou para a RTE – Televisão Espanhola: Algumas Canções de Trovador, comentadas pelo Maestro Frederico de Freitas.

Realizou recitais para a Radiodifusão Portuguesa e Francesa.

José Carlos Xavier ministra cursos de Canto no Conservatório Nacional, onde formou alguns dos mais importantes jovens cantores líricos portugueses.

É fundador e presidente do “Concurso Nacional de Canto Luísa Todi”.

É membro do Júri do “Concurso Internacional de Canto Bidu Sayão” (seis edições), no Brasil, do Concurso de Canto “Vozes do Brasil” do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e do “Concurso Internacional de Canto Lírico” de Trujillo, no Peru.