organista Joaquim Simões da Hora

Joaquim Simões da Hora

Órgão

Joaquim Simões da Hora (Vila Nova de Gaia, 2 de Maio de 1941 – Lisboa, 1 de Abril de 1996). Foi um organista, professor e produtor português.

Concluído o Curso Superior de Órgão no Instituto Gregoriano de Lisboa sob a orientação de Antoine Sibertin-Blanc, frequentou o Curso de Interpretação de Música Antiga dirigido por Macario Santiago Kastner no Conservatório Nacional de Lisboa.

Entre Outubro e Dezembro de 1970, como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, realizou um estágio de aperfeiçoamento artístico na Bélgica, sob a orientação do organista Kamiel D’Hooghe.

A sua actividade de concertista incluiu tanto apresentações regulares nos principais órgãos do país, como uma carreira internacional intensa traduzida em frequentes concertos e participações em festivais de diversos países da Europa e nos Estados Unidos da América.

Paralelamente desenvolveu um trabalho sistemático de estudo e divulgação da Música Antiga Ibérica, quer através de gravações discográficas (para as etiquetas EMI-Valentim de Carvalho e Movieplay) – entre os quais importa salientar as realizadas nos órgãos históricos das catedrais do Porto, Évora, e Faro, na Igreja de Santa Maria Maria de Óbidos e na Capela da Universidade de Coimbra- quer por meio de uma significativa actividade pedagógica.

A partir de 1977 (e até Dezembro de 1994), exerceu o cargo de professor da Classe de Órgão do Conservatório Nacional de Lisboa, tendo simultaneamente regido diversos cursos internacionais de interpretação, ao lado de personalidades como José Luis Gonzallez Uriol, Ton Koopman e Jordi Savall.

Nos últimos anos da sua vida colaborou estreitamente com a Movieplay Portuguesa onde gravou o disco “Batalhas e Meio Registos: Música Ibérica para Órgão do séc. XVII”, e produzido outros discos de compositores e intérpretes portugueses.

Em 1995, no Dia de Portugal, o Presidente da República Mário Soares atribuiu-lhe o grau de Comendador da Ordem do Infante.

Morreu em Lisboa, em 1996, deixando uma obra de inegável valor artístico-musical.

É considerado no meio artístico e académico como tendo sido o melhor organista português do século XX.

DISCOGRAFIA SELECIONADA

Hora, Joaquim Simões da (1975), O Órgão da Sé Catedral de Évora, Lusitana Música. Valentim de Carvalho, LP.

Hora, Joaquim Simões da (1981), O Órgão de Santa Maria de Óbidos, Lusitana Música. Valentim de Carvalho, LP.

Hora, Joaquim Simões da (1985), O Órgão da Sé Catedral do Porto, Lusitana Música. Valentim de Carvalho, LP.

Hora, Joaquim Simões da (1994), Órgãos Históricos Portugueses: Évora & Porto, Lusitana Musica, Volume I, EMI Classics / Valentim de Carvalho. CD [Remasterização de LP].

Hora, Joaquim Simões da & Isabel Ferrão (1994), Órgãos Históricos Portugueses: Faro & Óbidos, Lusitana Musica, Volume III, EMI Classics / Valentim de Carvalho. CD [Remasterização de LP].

Hora, Joaquim Simões da (1994), Batalhas & Meios Registos, MoviePlay Classics. CD

Hora, Joaquim Simões da (2002), Joaquim Simões da Hora: In Memoriam. São Vicente de Fora, 18.XII.1994, Portugaler. CD

Hora, Joaquim Simões da (2016), Joaquim Simões da Hora: In Concert, Portugaler. CD

BIBLIOGRAFIA

ALMEIDA, Mário de (1996), “Joaquim Simões da Hora: Um valor musical gaiense que desaparece”, in Boletim da Associação Cultural Amigos de Gaia, n.º 41, 6º vol., Porto, Imprensa Portuguesa, pp. 39-40.

HORA, Tiago Manuel da (2010), Joaquim Simões da Hora: Intérprete, Pedagogo e Divulgador, Dissertação de Mestrado em Ciências Musicais, Faculdade de Ciências Socias e Humanas, Universidade Nova de Lisboa, Policopiado.

HORA, Tiago Manuel da (2013), “Joaquim Simões da Hora: o melhor organista português do século XX”, in Revista Glosas, n.º 8, Maio, pp. 50-53, MPMP. [Número dedicado a Clotilde Rosa].

HORA, Tiago Manuel da (2014), “Joaquim Simões da Hora, Produtor: o legado para a história da produção discográfica de música erudita em Portugal”, in Actas do II Encontro Ibero-Americano de Jovens Musicólogos, Porto: Casa da Música, Fevereiro de 2014. Tagus-Atlanticus Associação Cultural.

HORA, Tiago Manuel da (2014), “Lusitana Música: clássicos da discografia portuguesa. Três pérolas da música antiga em Portugal”, in Revista Glosas, n.º 11, Novembro, MPMP. [Número dedicado a César Guerra-Peixe].

HORA, Tiago Manuel da (2015), Joaquim Simões da Hora: Intérprete, Pedagogo e Divulgador, Edições Colibri.

HORA, Tiago Manuel da (2016), Joaquim Simões da Hora In Concert, [Texto do CD], Portugaler. [Livro do CD].

Jornal de Notícias (1996), “Morreu Joaquim Simões da Hora: O Melhor Organista Nacional”, 2 de Abril.

MANZONI, Teresa (1996), “Joaquim Simões da Hora: No tempo da história”, in Jornal de Letras, Artes e Ideias, 23 de Abril.

NERY, Rui Vieira, João Vaz e Joaquim Simões da Hora (1994), Ciclo de Concertos: Junho-Outubro 1994, Lisboa 94: Capital Europeia da Cultura, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, Edições Asa.

NERY, Rui Vieira (2002), Joaquim Simões da Hora: In Memoriam, [texto português: pp. 5-11], Portugaler, Audiopro, Lisboa. [Livro do CD].

NERY, Rui Vieira et al. (2006), Joaquim Simões da Hora: In Memoriam, [Programa de Sala], Juventude Musical Portuguesa.

NERY, Rui Vieira (2010), “Hora, Joaquim Eduardo Simões da”, in Enciclopédia da Música em Portugal no Séc. XX, Vol. 2, pp. 623-624, Círculo de Leitores e Temas e Debates.

Público (O) (1996), “O Órgão emudeceu: Morreu Joaquim Simões da Hora”, 2 de Abril.

RIBEIRO, Fernando (1997), “Simões da Hora: Madalenense e Maior Organista Português”, in Escritores de Gaia, Ano 2, n.º 3, Gaia, Associação de Escritores de Gaia, pp. 28-29.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook