Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

João Paulo Santos

Piano

João Paulo Santos nasceu em Lisboa, em 1959, tendo concluído o curso de piano do Conservatório Nacional desta cidade, na classe de Adriano Jordão. Trabalhou ainda com Helena Costa, Joana Silva, Constança Capdeville, Lola Aragón e Elisabeth Grümmer.

De 1979 a 1984, estudou em Paris com Aldo Ciccolini, inicialmente como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian.

Ainda em Paris, foi convidado pela direcção do Teatro Nacional de São Carlos para, a partir da temporada de 1984/85, desempenhar as funções de Maestro Assistente deste Teatro.

Na temporada de 1987/88, foi convidado para Assistente do então Maestro Titular do Coro, Gianni Beltrami, acumulando estas funções com as que já exercia. Desde a temporada de 1990/91, desempenha o cargo de Maestro Director Titular do Coro do Teatro de São Carlos.

Paralelamente, desenvolve uma importante actividade como pianista, tendo colaborado com quase todos os cantores portugueses. Forma dois duos permanentes, com Irene Lima e com Olga Prats. Iniciou a sua actividade como maestro em Julho de 1990, dirigindo a ópera de William Walton, “The Bear”, para a RTP, no Teatro da Cornucópia, com encenação de Luís Miguel Cintra. Dirigiu ainda, em 1994, as óperas “Cânticos para a Remissão da Fome” de António Chagas Rosa e “Let’s make an opera” de Britten. Dirigiu também a estreia mundial da ópera “Édipo”, a “Tragédia do Saber” de António Pinho Vargas, na Culturgest.

Prossegue uma carreira dinâmica na direcção musical, tendo dirigido no Teatro Nacional de São Carlos a primeira apresentação em Portugal da obra “Renard” de Stravinsky, a estreia mundial da ópera “Os Dias Levantados” de António Pinho Vargas, um programa inteiramente preenchido com música do século XX (Schnittke, Pousseur e Corghi) e ainda “Les Noces” de Stravinsky. No Teatro Nacional D. Maria II, dirigiu “Sweeney Todd” de Stephen Sondheim. Gravou vários discos, nomeadamente com obras de Erik Satie e Luís de Freitas Branco (EMI classics). Apresenta-se frequentemente em recital, como pianista acompanhador.