Hermínio do Nascimento, regente natural de Torres Vedras

Hermínio do Nascimento

Regente . Musicólogo

Compositor, regente de coros, professor, crítico e musicólogo, Hermínio José do Nascimento nasceu em Torres Vedras, a 4 de janeiro de 1890 e morreu em Lisboa a 14 de outubro de 1972.

Iniciou a formação musical no Conservatório Nacional, onde estudou violino com Alexandre de Bettencourt, piano com Marcos Garin e composição com António Eduardo Ferreira e Frederico Guimarães.

Foi professor de composição no mesmo Conservatório, a partir de 1919, tendo assumido o cargo de subdirector entre 1924 e 1938. Autor prolífico no domínio do lied e da música de câmara (sonatas, quartetos, peças para piano), uma boa parte do seu catálogo é preenchido com obras para coro e orquestra e para coro à cappella, tendo também publicado diversos arranjos de melodias tradicionais e livros didácticos.

Lecionou a cadeira de música e Canto Coral na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, tendo sido diretor e maestro do Orfeão Académico de Lisboa, com o qual realizou uma digressão de concertos no Brasil, em 1925.

Nas suas contribuições ao I Congresso orfeónico no Porto (1927) e ao I Congresso da União Nacional (1933), insistiu na importância do Canto Coral para a formação física, moral, cívica e artística do povo, salientando a utilidade política de «orfeonizar a Nação», projeto de valor não só artístico, mas também patriótico.

Em 1936, foi nomeado Director geral do Canto Coral da Mocidade Portuguesa, tendo estabelecido o primeiro cancioneiro e dirigindo massas corais nas principais celebrações do Estado Novo.

A partir dos anos 50 e até ao fim da sua vida, dedicou-se à investigação e divulgação da etnografia musical da Lunda, integrado nos projectos culturais da Companhia de Diamantes de Angola, que incluíam recolha de registos sonoros, realização de filmes e edição de antologias. Proferiu sobre esse tema diversas conferências em Lisboa, no quadro das actividades do SNI, tendo ainda utilizado temas de folclore angolano nas suas últimas composições, como o Quinteto com piano, de 1966.

O seu espólio musical e pessoal encontra-se depositado na Área de Música da Biblioteca Nacional de Portugal.

Manuel Deniz Silva

[ Músicos naturais de Torres Vedras ]

Partilhe
Share on Facebook
Facebook