Henrique Luís Gomes de Araújo, investigador

Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Henrique Luís Costa Gomes de Araújo

Investigação

Henrique Luís Costa Gomes de Araújo nasceu no Porto em 23 de Julho de 1947.

Descendente de duas famílias amantes da musica, teve as suas primeiras lições de piano, aos 7 anos, com sua avó materna Leonilda Moreira de Sá e Costa, prosseguindo depois os estudos com sua tia, Helena Moreira de Sá e Costa.

Seu avô materno, Luiz Costa, pianista e reputado compositor, sucedera a seu sogro Bernardo Valentim Moreira de Sá na Direcção Artística do Orpheon Portuense (1924—60) e, mais tarde, na Direcção do Conservatório de Música do Porto (1933-34), dando assim continuidade à obra de renovação do panorama musical portuense, a partir dos finais do séc. XIX que este empreendera.

Sua mãe, Madalena, violoncelista e sua tia, Helena, tinham iniciado a sua formação musical no ambiente familiar e concluído os respectivos cursos superiores no Conservatório de Música de Lisboa, desenvolvendo, depois, carreiras artísticas de reconhecido mérito, a nível nacional e internacional.

O avô paterno, neurologista, antigo assistente da Escola Médico – Cirúrgica do Porto, era um violinista amador, animador de saraus musicais na sua casa na Foz do Douro e seu pai, Henrique Maria d’ Almeida Gomes de Araújo, psiquiatra, antigo estagiário do Prof. Egas Moniz, foi crítico musical no Circulo de Cultura Musical (Fev.1947 – Dez.1950)

1969 – 1971

É Tesoureiro do Orpheon Portuense

1972 – 1973

É Secretário da Mesa da Assembleia Geral do Orpheon Portuense.

1999

Publica “A Celebração da Vida em Helena Sá e Costa” in Arte Musical, (a convite de Helena Rodrigues (dir.) 15, 13-15.

2001

Cria, com outros colegas, o Clube de Música na Escola Secundária Rodrigues de Freitas, destinado à audição e divulgação do reportório de 3 estudantes de música, alunos da referida escola, tendo sido realizadas, até à data, 13 audições.

2003

Profere conferências no Iº Simpósio Música e Músicos em Guimarães (Museu Alberto Sampaio), na Escola das Artes do Centro Regional do Porto da Universidade Católica, no Conservatório de Música do Porto e na Fundação Para o Desenvolvimento Social do Porto, a propósito dos 150 anos do nascimento de Bernardo Valentim Moreira de Sá (1853).

Escreve a entrada “Bernardo Valentim Moreira de Sá” In Dicionário dos Educadores Portugueses (a convite do Prof. António Nóvoa (dir.).

Publica “A Lição de Bernardo Moreira de Sá (1853-1924). Autoridade e Comunidade Artística e Pedagógica” In Trabalhos de Antropologia e Etnologia, 44(3-4), 131-141.

2004

Coordena o dossier “O Tempo e a Música” (I), com textos de Adriano Jordão, Filipe Pires, Jorge Castro Ribeiro e dele próprio nos Trabalhos de Antropologia e Etnologia, 44.

2005

Apresenta à Casa da Música (CdM) como investigador do Centro de Investigação em Ciência e Tecnologia das Artes (CITAR) da Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa, com o Prof. Rui Vieira Nery, um “Projecto de Edição de Obra sobre o Orpheon Portuense”.

Publica “Music and Utopia” In Maria de Fátima Vieira e Marinela Freitas (ed.s) Utopia Matters, Porto: Editora da Universidade do Porto, 245 – 249.

2006

Coordena o dossier “O Tempo e a Música” (II), com textos de Eduardo Lourenço, João-Heitor Rigaud e do Maestro Manuel Ivo Cruz.

Publica Nascimento, Sofrimento, Amor e Morte. Ensaios sobre Quatro Temas de Antropologia In col. Antropologia(s) (dir.).

2007

Profere palestra intitulada “Fernando Gil – um Filósofo Melómano” na “Audição da Primavera”, promovida pelo Clube de Música da Escola Secundária Rodrigues de Freitas.

Aceita o convite do Prof. António Ferreira para ser colaborador do site “Meloteca”.

Publica no Caderno de Música. Edição Comemorativa dos 90 Anos do Conservatório de Música do Porto (1917 – 2007) o artigo “Bernardo Valentim Moreira de Sá e a Fundação do Conservatório de Música do Porto”.

2008

Participa na Conversa sobre “Leonilda Moreira de Sá e Costa e o seu tempo” (Madalena Sá e Costa e Helena Costa Araújo) na Delegação do Porto da Juventude Musical Portuguesa (11 de Janeiro)

Participa na Assembleia Geral do Orpheon Portuense, com o ponto único: Extinção do Orpheon Portuense, onde apresenta a proposta de a Casa da Música incluir, todos os anos, na sua programação um concerto comemorativo do Orpheon Portuense, pelo dia 12 de Janeiro (dia da sua fundação).

Organiza a mesa – redonda “Mestre Luiz Costa: vida e obra”, integrada nos XXº Cursos de Música Luiz Costa em Fralães, constituída pelos Prof.s Bruno Caseirão, João-Heitor Rigaud, Madalena Sá e Costa, e Sofia Lourenço, sendo a coordenação a cargo do Eng. Hélder Sampaio. Com este objectivo, entrevista as antigas alunas do Mestre, Maria Teresa de Macedo e Maria Filomena Campos (DVD).

2009

Escreve “Mestre Luiz Costa: um Compositor do Baixo Minho? O Tempo, a Música e os seus contextos” In Actas do 1º Congresso Internacional de Vinho Verde. Editor: APHVIN / GEHVID e Confraria do Vinho Verde.

Organiza um seminário e conferência sobre Etnomusicologia, no âmbito das actividades da Sociedade Portuguesa de Antropologia e Etnologia, em colaboração com o Museu Nacional Soares dos Reis e o Instituto de Etnomusicologia da Universidade Nova de Lisboa na pessoa da sua Presidente, Profª Doutora Salwa Castelo Branco (14 de Novembro).

2010

Publica com Christine Beirão “Luiz Costa:In Commemoration of the Fiftieth Anniversary of his Death” In Citar Journal. Porto: Universidade Católica Portuguesa (UCP) CITAR: Research Centre for Science and Technology of the Arts, Portuguese Catholic University, 22 – 33.

Publica ” A Construção da Identidade de um Artista – O Tempo e o Poder do Sagrado nos Dons da Criação Musical” in Trabalhos de Antropologia e Etnologia, vol. XLIX, (1-4), 187-193.

2014

Publica “Do “Tempo Longo” ao “Tempo Acelerado”. A Sociedade Musical de Guimaraes na Guimarães CEC – 2012″ In M. Helena Vieira e Armindo Achada, (org.s ) Pensar a Música II. Guimarães, 105 – 121.

Escreve “Nota Prévia”, “Músicos e Empresários: Fundadores do Orpheon Portuense” e coord. A Sociedade Orpheon Portuense (1881-2008). Tradição e Inovação. Porto: Universidade Católica Editora – Porto (prefácio Rui Vieira Nery).

Publica “O Período Coral (1881 – 2009) da Sociedade Orpheon Portuense (1881 – 2008): Textos e Contextos” In Maria do Rosário Pestana (coord.) Cantar em Coro em Portugal (1880 – 2014), Aveiro: MPMP, 101 – 115.~

Publica com Constança Vieira de Andrade ” Sociedade Orpheon Portuense (1881 – 2008).Tradição e Inovação. A Questão Metodológica” In IIº Congresso do Porto Romântico. Porto: CITAR (publ.on – line)

2015-2017

Na verdade, como foi por ele aduzida na proposta apresentadaà CdM, um dos “resultados previstos” do referido projecto, consistia na realização de um concerto anual (2013, p.17). O primeiro concerto realizou-se a 24 de Maio desse na de 2015, com a interpretação pelo pianista Arcadi Volodos de obras de Ludwig van Beethoven, Joahnnes Brahms e Franz Shubert, no quadro da celebração do 102º aniversário de Helena Sá e Costa. Além da proposta da supracitada declaração, colaborei no fornecimento à CdM de uma mailing list de antigos sócios vivos do Orpheon Portuense e seus descendentes.

O segundo concerto realizou-se em 1 de Julho de 2016 em que foi solista a violoncelista Stéphanie Huang que tinha vencido a edição de 2015 do Prémio Internacional Guilhermina Suggia. Nesta organização também colaborei: 1º na actualização da referida mailing list, 2º na proposta da organização de um jantar no Restaurante da CdM para os antigos sócios e seus descendentes, 3º na proposta de reedição dos últimos Annais do Orpheon Portuense, relativos à sua última actividade a partir de Janeiro de 1976, para os antigos sócios que ainda os não tivessem, e 4º na realização de um palestra proferida por mim próprio no dia seguinte, a 2 de Julho, na CdM, sob o título “A História do Orpheon Portuense. Da Extinção à Renovação da sua Memória”.

O terceiro concerto dedicado ao Orpheon Portuense realizou-se a 28 de Maio de 2017 em que foi solista “o jovem e prestigiado pianista Christopher Park, cujo recital se integra no evento de homenagem a Helena Sá e Costa, por ocasião dos 104 anos do seu nascimento, e que apresenta um programa de grande virtuosismo que incluirá três andamentos da célebre Petruchka de Stravinski e as majestosas Variações sobre um tema de Haendel, de Brahms” (da carta convite aos antigos sócios). Esta colaboração incluiu os três primeiros pontos da minha participação na organização do concerto de 2016 e uma nótula na folha de sala deste concerto, centrada na fundação e no período em que Helena Sá e Costa foi sua Diretora Artística (1960 – 2006).

2016

Realização de cinco conferências / comunicações, sobre Sociedades Musicais: Instituto de Educação da Universidade do Minho (U.M.) /11 de Abril; Escola Superior de Artes Aplicadas do Politécnico de Castelo Branco /4.Maio; FCG / 26 de Maio; VI Congresso da Associação Portuguesa de Antropologia (APA) / 4 de Junho; Concerto Orpheon Portuense na Casa da Música (CdM) / 2 de Julho (já acima referida);

2017

Realização de uma outra, a convite da Sociedade Musical de Guimarães (SMG) / 25 de Março de 2017.

2009-2015

Realiza um Pós – Doutoramento com o relatório de Investigação A Antropologia do Tempo e das Temporalidades do Desenvolvimento, com a classificação de Muito Bom, na Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa e com a orientação dos Professores Joaquim Azevedo e Salwa Castelo-Branco (co -orientação).

2016

Apresenta candidatura (sem sucesso) a investigador do INET- MD.

2017

A obra que agora escreve, tem como objetivo principal, ir fazendo nascer um corpus teórico que possa unificar dois campos de trabalho e de observação participante tão distintos como são o das empresas familiares e das sociedades anónimas (objeto do PhD), por um lado e o das sociedades musicais (objeto do Pós-doc), por outro.

10 de novembro de 2017