Helena Sarmento, fadista natural de Lamego

Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Helena Sarmento

Fadista

Helena Sarmento nasceu a 23 de agosto de 1981, em Lamego. A partir de 2004, radicou-se no Porto.

Em 2011 editou o seu primeiro disco, Fado Azul e em 2013 o segundo, Fado dos Dias Assim, qualquer deles editado também para todo o mundo pela prestigiada Sunset France, acontecimento raro, no que a um primeiro disco se refere.

É nas palavras que canta que Helena Sarmento se encontra e se reinventa e é nelas que se condensa, desde Fado Azul, a coerência que persegue na construção de um universo original, próprio e identificador do seu projecto.

Já pisou muitos e distintos palcos em Portugal e no mundo.

Em Portugal actuou nomeadamente no Casino Figueira, Casino Estoril, Teatro Ribeiro da Conceição em Lamego, Cine Fórum em Penedono, Teatro Sá da Bandeira em Santarém, Claustros da Câmara Municipal de Amarante, Belém Art Fest 2013, Festival Cais de Fado em Gaia, Largo da Misericórdia de Ponte da Barca, Parque Isidoro Guedes em Lamego, Gaia World Music na Serra do Pilar, Casa da Cultura de Ponte da Barca, Teatro Diogo Bernardes em Ponte de Lima, Casa das Artes de Felgueiras, Encontros da Gastronomia em Guimarães, “Excentricidades”, também em Guimarães, Auditório da Câmara Municipal de Cinfães, NOS em D’bandada 2015, Museu do Fado, Gaia é Fado, destacando ainda, pela sua singularidade, os concertos numa das mais belas livrarias do mundo, a Livraria Lello, no Porto, onde decorreu a apresentação pública de Fado dos Dias Assim, e a actuação no Fado na Janela da Casa de Amália.

No estrangeiro, actuou para público autóctone no Museu Leopold – Düren – Alemanha e no Teatro Slaski Katowice – Polónia e, a convite da Secretaria de Estado das Comunidades Europeias, no Theátre Jacques Prévert – Paris e em Lyon, por ocasião das comemorações dos 40 anos do 25 de Abril. Em 2015, também a convite da Secretaria de Estado das Comunidades Europeias, cantou nas comemorações do 1º de Maio em Dijon e Saint Etiénne.

Canta, com alguma regularidade, na Casa de Fados Restaurante Típico “O Fado”, no Porto.

Faz parte, enquanto artista e cidadã, do projecto “As Vozes do Silêncio – Les Voix du Silence” cuja missão é aproximar as pessoas através da Arte.

[ Bio publicada na Meloteca a 08 de agosto de 2020 ]

Helena Sarmento foi premiada e aclamada pelo seu segundo álbum, Fado Dos Dias Assim.

Canta sobretudo fados tradicionais com novos textos originais e o seu álbum de estreia, Fado Azul, foi editado em todo o mundo pela prestigiada Sunset France – acontecimento raro para um primeiro disco.

Segundo Rui Vieira Nery, com as suas interpretações de fados tradicionais “temos a sensação de eles estarem a ser reinventados, temos a sensação do novo”.

2014

Partilhe
Share on Facebook
Facebook