Grupo dos Sargaceiros da Casa do Povo de Apúlia

  • Morada

    Rua da Casa do Povo, nº 26
    4740-047 Apúlia
    Esposende

  • Telefone

    (+ 00 351)

  • E-mail

  • Descrição

    O Grupo dos Sargaceiros da Casa do Povo de Apúlia foi fundado em agosto de 1934 por António Torres. Baseou-se na indumentária genuína do sargaceiro. Foi, então, organizado para representar o concelho de Esposende na Grande Exposição do Mundo Colonial português que teve lugar, nesse ano, no Palácio de Cristal, no Porto. O sargaceiro tornou-se, assim, o ex-libris da região, quer pela originalidade e autenticidade do traje, que remonta ao período da romanização da Península, quer pela atividade agro-marítima que representa – a apanha do sargaço. O GSCPA é um representante ímpar do folclore do litoral do Baixo-Minho, requisitado nos maiores festivais no País e no Estrangeiro. Está filiado no INATEL e é membro efetivo da Federação do Folclore Português. O sargaceiro não é um homem do mar, mas antes o agricultor que trabalha o dia-a-dia no amanho das suas terras. Mas quando surge a “mareada”, volta costas à terra e, então, é vê-lo a correr praia fora, mar adentro, as pregas da “branqueta” ondeadas pela marcha, lembrando o perfil de um guerreiro romano. Enfia-se no mar, arrancando o sargaço às ondas encapeladas, numa tarefa árdua e perigosa, que exige grande destreza de manejo e muito sangue frio. E assim, o sargaço – um composto de várias espécies de algas marinhas – é utilizado, depois de seco, como fertilizante das terras de Apúlia. Em tempos idos, enquanto esperavam pelo “assejo” – isto é, o momento em que o mar traz à costa o sargaço – a gente nova cantava e dançava na areia da praia, com a alegria bem característica das gentes da beira-mar. Durante a sua existência, registam-se alguns factos determinantes na vida dos Sargaceiros – Apuramento na 1ª Olimpíada Europeia de Folclore, em 1956; 1º Prémio da Taça “Abril em Portugal”, em 1968; Medalha de Mérito Cultural da Câmara Municipal de Esposende, em 1993; “Troféu de Qualidade” do INATEL, em 2000 e 2007. Registam-se, também, deslocações a Espanha, França, Bélgica, Suíça, Brasil, Madeira e Açores.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook