Francine Benoit

Francine Benoit

Piano

Francine Germaine Vane Gool Benoit (França, Périgueux, 30 de julho de 1894 – Lisboa, 27 de junho de 1990), foi naturalizada portuguesa em 1929 embora vivesse no nosso país desde 1906.

Francine Benoit, que foi professora, pianista, crítico musical e conferencista, viveu grande parte da sua vida em Lisboa. Desde logo, frequentou o curso de Padre Tomás Borba na Academia dos Amadores de Música e depois, o Conservatório de Lisboa onde cursou piano e composição.

Francine Benoit exerceu como professora da Escola Oficial nº1 de Lisboa, da escola da Voz do Operário, do Museu João de Deus e da Academia dos Amadores de Música. Maria João Pires e Emanuel Nunes foram seus alunos. Refira-se que em 1932, não chegou a ser nomeada para professora do Conservatório pelo concurso que ganhara, por razões políticas.

Francine também dirigiu a Academia de Amadores de Música e participou na fundação do Conservatório de Música de Coimbra, assim como, em 1942, na Sociedade de Concertos Sonata, com Fernando Lopes Graça, Maria da Graça Amado da Cunha, Joaquim Silva Pereira e Macário de Santiago Kastner.

Deixou também o seu nome ligado à crítica musical com extensa colaboração publicada na Seara Nova, A Capital, Diário de Lisboa, Ilustração, Gazeta Musical, O Diário, Revista de Portugal ou Vértice, entre outras publicações periódicas.

Benoit integrou ainda os movimentos da oposição ao Estado Novo ao assinar as listas do MUD e sendo presença frequente em encontros de elites oposicionistas, tal como colaborou com a Associação Feminina Portuguesa para a Paz, o Conselho Nacional das Mulheres Portuguesas e o Movimento Democrático das Mulheres.

Toponímia de Lisboa, 08 de março de 2018