Filipe Quaresma violoncelo

Bio+

Filipe Quaresma

Violoncelo

Filipe Quaresma iniciou os estudos musicais na Covilhã, tendo como primeiro professor de violoncelo Rogério Peixinho na EPABI. Mais tarde estudou violoncelo em Londres, na Royal Academy of Music com David Strange e Mats Lidström, e em Florença, Scuola di Musica di Fiesole com Natalia Gutman. Participou também em classes de aperfeiçoamento com Colin Carr, Zara Nelsova, Frans Helmerson, Anssi Karttunen, Jian Wang, Eliaz Arizcuren, Márcio Carneiro, Luís Sá Pessoa, entre outros.

Obteve primeiros prémios em vários concursos nacionais tais como Prémio Jovens Músicos – RDP Antena 2, Concurso Internacional Júlio Cardona – Covilhã, e foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, Royal Academy of Music e Suggia Scholarship. Em 2010 obteve o Prémio Valter Boccacini da Scuola di Musica di Fiesole. Ainda no seu período académico integrou a Orquestra de Jovens da União Europeia, tendo tido a oportunidade de se apresentar nas principais salas de concerto europeias, assim como de trabalhar com os mais prestigiados maestros, tais como Sir Colin Davis, Vladimir Askehnazy, Mariss Janssons e Bernard Haitink.

É primeiro violoncelo da Orquestra Barroca da Casa da Música (CdM) e violoncelista do Darcos Ensemble. É violoncelista principal convidado do Remix Ensemble CdM, Sond’Arte Electric Ensemble e Oficina Musical. Já se apresentou a solo com a Orquestra Sinfónica Portuguesa, Drumming Grupo de Percussão, Coro Gulbenkian, Orquestra Barroca Casa da Música, Remix Ensemble CdM, Orquestra Filarmonia das Beiras, I Maestri Orchestra, St John´s Smith Square, entre outras. Em Novembro de 2013 foi convidado para integrar a Orchestre Révolutionnaire et Romantique com Sir John Eliot Gardiner, com a qual já gravou um disco dedicado às sinfonias de Beethoven.

Para além de já se ter apresentado em todas as principais salas de concerto de Portugal, e de integrar regularmente a programação dos principais festivais de música portugueses, também já tocou em Barcelona, Estrasburgo, Paris, Orleães, Reims, Antuérpia, Madrid, Viena, Witten, Berlim, Amesterdão, Colónia, Zurique, Luxemburgo e Bruxelas. Em 2011, com o Remix Ensemble, apresentou-se no Wiener Festwochen (Viena), e em 2012 no Festival Musica de Estrasburgo e na Filarmónica de Berlim. É também com o Remix Ensemble que tem vários discos editados com obras de Côrte- Real, Peixinho, Jorgensen, Nunes, Pinho Vargas, Pascal Dusapin e Luca Francesconi, sendo que o disco dedicado a Dusapin mereceu o destaque da revista Gramophone tendo sido colocado na lista da Escolha dos Críticos de 2013.

Trabalha com os mais aclamados compositores portugueses e estrangeiros da atualidade, num trabalho notável de expansão do repertório para violoncelo. Em 2014 lançou o seu primeiro disco a solo “Portuguese Music for Solo Cello” exclusivamente preenchido com obras de compositores portugueses, incluindo “Labirintho” de C. Azevedo e “Quasi Ostinato” de R. Ribeiro, obras a si dedicadas, com o qual teve as melhores críticas nacionais e internacionais.

É professor na Escola Superior de Música e das Artes do Espetáculo do Porto. Filipe Quaresma detém o prestigiado título “Associate” da Royal Academy of Music.

2016