pianista Fernando Laires

Fernando Laires

Piano

Fernando Laires nasceu em Lisboa a 3 de janeiro de 1925 e faleceu em Rochester, a 9 de setembro de 2016, aos 91 anos. Alcançou o virtuosismo enquanto adolescente e dedicou a sua carreira à interpretação, promoção e ensino. Iniciou a carreira internacional aos 19 anos com o ciclo completo das 32 sonatas de Beethoven de memória numa série de concertos. Nessa data, apenas outro pianista com menos de 20 anos tinha conseguido tal proeza.
Diplomou-se no Conservatório de Lisboa com a mais elevada classificação e continuou os estudos com Winifred Wolf, Isidor Philipp, Ernest Hutcheson, e James Friskin.

Foi para os Estados Unidos da América nos anos 50 para ensinar na Universidade do Texas e aí permaneceu a maior parte do resto da sua vida. Foi para Rochester em 1987, quando a sua esposa, Nelita True, assumiu o lugar de professora de piano em Eastman. Fernando Laires juntou-se à esposa na Faculdade em 1992 e aí ensinou até 2004.

Como intérprete, Fernando Laires destacou-se pelo seu repertório variado, incluindo todas as sonatas de Beethoven e os estudos de Chopin. Gravou ao longo da sua carreira mais de 86 diferentes obras e tocou como solista com orquestras de todo o mundo, incluindo na China.

“Ele aprendia muito rápido e tinha uma técnica espetacular, e muito respeito pela música.” – disse Lenita True, sua esposa durante 44 anos.

Fernando Laires foi igualmente conhecido pelos seus esforços de promoção da música portuguesa. Fundou uma organização dedicada a esta causa e supervisionou a produção de uma coleção de 20 volumes de música contemporânea portuguesa com apoio da Fundação Calouste Gulbenkian. Foi co-fundador e diretor da Pro-Arte, organização dedicada à programação de música e artistas portugueses.

Foi bolseiro dos governo português, e recebeu apoios do U.S. Department of Health, Education, and Welfare para observar 20 universidades e conservatórios dos Estados Unidos.

Fundou em 1964 a American Liszt Society e foi em parte responsável pela reaparecimento da música de Liszt em salas de concerto dos Estados Unidos da América.

“A arte musical e o humanitarismo de Fernando Laires inspirou alunos, colegas e todos os que o conheceram”. Como embaixador internacional para a música, o seu trabalho com a American Liszt Society e as atividades pioneiras na China tiveram uma influência profunda no desenvolvimento no presente mundo global de pianistas.” (Douglas Humpherys)

Laires visitou quatro continentes nos papeis de pianista, pedagogo e diretor artístico. Com uma agenda muito ocupada, Fernando Laires lecionou e vários conservatórios e faculdades, incluindo o Conservatório de Lisboa, Peabody Conservatory, Interlochen Arts Academy, University of Texas-Austin, Catholic University e Eastman School of Music (University of Rochester).

Deu classes de alto aperfeiçoamento e publicou artigos em diversos jornais e publicações.

Frequentemente convidado para júri de concursos, foi membro do júri do Concurso Internacional Tchaikowsky International em Moscovo, Van Cliburn, First North American Tchaikowsky, Casagrande, Gina Bachauer, entre outros.

Foi galardoado com a Beethoven Medal in memory of Artur Schnabel dos Harriet Cohen International Music Awards, Londres, pela sua interpretação das sonatas de Beethoven, e a Ordem do Infante D. Henrique pelo Governo Português. Foi também agraciado com a medalha Franz Liszt da Sociedade Liszt da Hungria e a Medalha Comemorativa Liszt da República Popular da Hungria.

Testemunhos de colegas em Eastman destacam-no como homem da cultura e do conhecimento, homem de paz, pessoa delicada e afetuosa, curioso em relação às diferentes culturas, apaixonado pelo conto e a filosofia, músico maravilhoso, “poeta do piano”, uma pessoa muito especial.

Deixou a viúva Nelita True, pianista, e três filhas.

[ Traduzido por António José Ferreira e publicado na Meloteca a 27 de dezembro de 2019, quando não havia qualquer biografia em Português disponível na rede ]

Partilhe
Share on Facebook
Facebook