compositor Eurico Thomaz de Lima

Eurico Thomaz de Lima

Composição

Eurico Tomás de Lima (Ponta Delgada, Açores, 17 de dezembro de 1908 – Maia, 8 de junho de 1989) foi um pianista, compositor e pedagogo português.

Filho de António Tomás de Lima (violinista, compositor, maestro e professor no Conservatório Nacional de Lisboa), estudou também no Conservatório Nacional, de 1921 a 1929. Foi aluno de Alexandre Rey Colaço e José Viana da Mota em piano, de Luís de Freitas Branco em Estética e História da Música, e de Hermínio do Nascimento em Composição. Terminou em 1929 o curso de Virtuosidade, com a classificação “Distinção e Louvor”.

Em 1932 apresentou pela primeira vez um recital de piano onde tocou exclusivamente obras suas. Para além das suas composições para piano, assumiu-se como entusiasta de “Beethoven, Chopin, Liszt e todos os mestres da escola eslava.”

Em 1940 e 1941 participou nas Missões Culturais do Secretariado da Propaganda Nacional, por iniciativa de António Ferro. Nestes recitais de música de câmara, realizados por todo o país, colaborou com a violoncelista Madalena Moreira de Sá e Costa, o violinista Paulo Manso e a soprano Leonor Bívar Viana da Mota. Também em 1941 conquistou um prémio de Composição da Emissora Nacional: o Primeiro Prémio – Papoila de Ouro, no concurso Jogos Florais.

Em 1949 e 1952 empreendeu duas triunfantes digressões no Brasil.

Entre 1956 e 1973 gravou regularmente recitais para a Emissora Nacional, maioritariamente tocando obras da sua autoria. No entanto, devota especial cuidado ao repertório português para piano, como é testemunho um recital, gravado em 1970, dedicado inteiramente a Óscar da Silva (1870-1958), pianista e compositor português que foi aluno de Carl Reinecke e Clara Schumann.

Eurico Tomás de Lima conheceu Óscar da Silva em criança, e encontrou-o novamente em São Paulo, aquando da sua primeira digressão no Brasil.

“Tomás de Lima aconselhou-o [Óscar da Silva] a voltar para o Porto e ofereceu-lhe a sua casa, para que não se repetisse o que acontecera a Marcos Portugal: só cem anos após a sua morte é que os seus ossos voltaram à pátria!”

Eurico Tomás de Lima teve também grande atividade como pedagogo. Lecionou, sucessivamente, nas seguintes escolas: Academia de Amadores de Música, Academia Mozart (Porto), na Academia Beethoven (Porto), na Academia Parnaso (Porto), Academia de Música e Belas-Artes da Ilha da Madeira, Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga.

O compositor caminha lado a lado com o pedagogo. Uma grande parte da produção musical de Eurico Tomás de Lima é dedicada ao ensino. Uma prova da sua influência: o pianista Artur Pizarro apresentou-se pela primeira vez em público, em 1971, tocando uma obra de Eurico Tomás de Lima.

Os seus restos mortais encontram-se sepultados na Freguesia de Vermoim, no concelho da Maia.

[ Músicos naturais de Ponta Delgada ]
Partilhe
Share on Facebook
Facebook