Eunice Abranches d'Aguiar, cantora, à esquerda

Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Eunice Abranches d’Aguiar

Soprano . Canto Barroco

Eunice Abranches d’Aguiar é licenciada em Música Antiga (variante de Canto Barroco), pela Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto (ESMAE).

Iniciou os estudos musicais em 2008 na Academia de Música de Vilar do Paraíso, na classe de violino de Luís Trigo. Foi também, ao longo do seu percurso, aluna de Cláudia Vasconcelos, Abílio Ramos, Bruno Pereira e Iryna Horbatyuk, na mesma escola.

Aos 14 anos teve aulas de técnica vocal ao longo um ano letivo com a Mezzo-Soprano Patrícia Quinta. Frequentou, entretanto, outras instituições de ensino artístico como a Academia de Música de Espinho e a Escola de Música da Tuna Musical de Anta onde estudou com Nuno Peixoto, João Silva, José António Teixeira, Ricardo Queirós e Ana Ataíde Magalhães.

Enquanto violinista é membro efectivo da orquestra da Tuna Musical de Anta, tendo colaborado ainda com a Tuna Musical de S. Paio de Oleiros, Tuna Musical de Grijó e com a Orquestra Filarmónica de S. Félix da Marinha, Orquestra Manuel Laranjeira (de 2014 a 2016) e Orquestra Barroca da ESMAE.

Em 2016, de forma a investir mais seriamente no estudo da voz, teve aulas particulares com o tenor José de Eça.

Participou em classes de aperfeiçoamento com Tânia Azevedo (teatro musical), Nacho Rodriguez (canto/música de câmara), Rafael Muñoz (baixo contínuo/música de câmara), Jean-Denis Monory (gestualidade barroca), entre outros.

Participou também nas edições IV, V e VI da Academia Júnior de Música Barroca e no XIV CIMA (Curso Internacional de Música Antiga da ESMAE). Tem vindo a trabalhar e a aprofundar os seus estudos, essencialmente, no âmbito da música antiga e da interpretação historicamente informada.

Fez parte de projetos como a Paixão Segundo São Mateus (J.S. Bach), com o ensemble Concerto Ibérico (orquestra barroca e coro), dirigido por João Paulo Janeiro (com Magna Ferreira, Carlos Mena, Tiago da Mota, Daniel Issa, Manuel Torrado e Benjamin Glaubitz como solistas, e Florian Deuter como concertino); Na Rota do Peregrino – II encontro de Música Medieval de Ponte de Lima sob direção musical de Maurício Molina; excertos das Fábulas de La Fontaine (música de De Laland) sob direção de Magna Ferreira e Catarina Costa e Silva; excertos da ópera Rodrigo (J.F. Händel) – como Rodrigo – sob direção de Ana Mafalda Castro; excertos da ópera ballet L’Europe Galante (de A. Campra) – como Cephise e Vénus – com Benjamin Chénier na direção; ópera Dido & Aeneas (de H. Purcell) – como Dido – direção resultante de uma parceria entre Magna Ferreira, Catarina Costa e Silva e Ana Mafalda Castro.

Marcou presença em eventos e festivais como Temporada de Música em São Roque e VI Festival Internacional de Música Barroca de Faro, XIII West Coast Early Music Festival (Oeiras) com Capella Joanina, 400 anos da publicação do Flores de Música de Manuel Rodrigues Coelho, FIOMS (Festival Internacional de Órgão e Música Sacra) e Jornadas Europeia do Património (Chamusca) com Spirito Dell’Anima, Nuit Brahms (interpretando, enquanto coralista, o Requiem de Brahms, no CNSMDL – Conservatório Superior de Lyon), Festa de S. Salvador, em Grijó (concertos a solo com o organista António Pedrosa).

Com O Bando de Surunyo participou nos Encontros de Música Antiga de Loulé, Festival Fora do Lugar, Jornadas Europeias do Património (Leiria), Luz a D. Manuel (Mosteiro dos Jerónimos), Temporada de Música em São Roque. Festival Antena 2, Ciclo de Música Orphika (em colaboração com a Orquestra Clássica do Centro), Mundos e Fundos, Música n’Aldeia (Coimbra), Festival Internacional de Música da Primavera de Viseu, VIII Encontro de Música Coral da Póvoa de Varzim, Festival Antena 2, entre outros projetos. É membro dos ensembles Capella Joanina, sob direção de João Paulo Janeiro, bem como d’O Bando de Surunyo, dirigido por Hugo Sanches, e Spirito Dell’Anima. Recentemente participou na gravação do CD Ai dina, dina, dana, com O Bando de Surunyo.

Fora do âmbito da música antiga tem vindo a colaborar regularmente com a Banda do Exército Português – Destacamento do Porto, enquanto solista residente, tendo, inclusivamente, participado no III Ciclo de Música de São Francisco (Igreja de S. Francisco, Porto), Concerto de Ano Novo na igreja Matriz de Arcozelo (V. N. Gaia) e Exéquias em Memória de D. Pedro IV (Igreja da Lapa, Porto).

Interpretou e estreou peças contemporâneas dos compositores Rúben Borges, Catarina Costa e Gonçalo Mota.

Ao longo do seu percurso teve a oportunidade de trabalhar com músicos de excelência como, para além dos supracitados, Robert Expert, Tiago Simas Freire, Xurxo Varela, Anne Delafosse, Eugénio Amorim, entre outros.

Bio facultada por Eunice Abranches d’Aguiar, publicada na Meloteca a 26 de fevereiro de 2022.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook