Emiliano Toste, editor e produtor, natural de Praia da Vitória

Bio+

Micro-sítios Meloteca
Clique para criar o seu micro-sítio

Emiliano Toste

Produção . Edição . Direção

Editor e produtor, Emiliano Toste nasceu a 24 de outubro de 1958 em Cabo da Praia, Concelho de Praia da Vitória, ilha Terceira, Açores. Iniciou os estudos musicais na sua terra natal, no Conservatório de Música de Angra do Heroísmo, onde frequentou a Classe de Canto de Luísa Alcobia Leal. Prosseguiu os estudos no Conservatório de Música do Porto, onde efetuou o Curso Geral de Canto na Classe de Isabel Mallaguerra.

Concluiu o Curso Superior de Canto, com distinção, no Conservatório de Música de Gaia, na Classe de Mário Mateus. Frequentou a Classe de Canto de Palmira Troufa em regime livre. Estudou, ainda, Violino, Piano e Clarinete.

Participou, como solista, em vários Concertos promovidos pelo Conservatório de Música de Gaia, entre os quais a Ópera Dido e Eneas de Purcell, apresentada não só no Porto como em Mannheim (Alemanha), nas Óperas Bodas de Fígaro e Flauta Mágica de Mozart e na Pequena Missa Solene de Rossini.

Foi membro do Coro do Conservatório de Música de Gaia sob a direção de Mário Mateus e do Coro de Câmara da Cidade do Porto sob a direção de Ferreira dos Santos. Foi membro fundador de um Coro de Câmara composto por professores de Educação Musical.

Participou em vários cursos de Direção Coral, entre os quais, um promovido pelo INATEL e outros orientados pelos professores Gerard Kegelman e Heribert Breuer.

Foi diretor artístico do Grupo de Cantares da Casa dos Açores do Norte, desde 1983 até 1996. Dirigiu o Orfeão de Gondomar, desde 1985 até 2000 e o Coral da Ala de Nun`Álvares – Gondomar, desde 1995 até 1999.

Exerce funções docentes, como professor efetivo, na disciplina de Educação Musical e Música, na Escola Básica 2,3 de Rio Tinto, tendo exercido, ainda, funções idênticas na disciplina de Formação Musical no Conservatório de Música de Gaia.

É licenciado em Educação Musical pela Universidade do Minho.

Efetuou uma recolha de espécimes musicais tradicionais nas 9 ilhas do arquipélago dos Açores, com o objetivo de proceder a uma publicação subordinada ao tema: A Música Regional Açoriana. O espólio, resultante desta recolha efetuada entre 1978 e 2017, é composto por 51 CD que contêm espécimes musicais e entrevistas às fontes de informação. Foi doado à Direção Regional de Cultura dos Açores, no dia 12 de junho de 2017.

É autor de Missa Atlântica, obra para Coro e Órgão, dedicada ao Orfeão de Gondomar e de Flauta Básica, publicação composta por livro e CD áudio, tendo como função didática o ensino básico da Flauta de Bisel. É autor, ainda, de alguns temas musicais autónomos, entre os quais, os que se integram no projeto em CD áudio Andanças do Mar, em parceria com o letrista Victor Rui Dores.

É produtor e editor desde 1996, sendo de destacar as seguintes coletâneas:

  • Folclore Português
  • Bandas Filarmónicas Portuguesas
  • Música Tradicional da Madeira
  • Música Tradicional dos Açores

Emiliano Toste é editou ainda outros trabalhos de música tradicional açoriana. Possui, ainda, no seu catálogo de edições em CD áudio, outros trabalhos de música tradicional do continente português, de música para Banda Filarmónica, Coral, Clássica, Jazz, Pop/Rock, Fado, de Expressão atlântica e de Poesia.

A partir de 2005, desenvolveu também a sua atividade na área da edição de DVD musicais.

Possui estúdio próprio de produção e pós-produção de áudio e vídeo: Estúdio Toste, no qual realiza trabalhos para a sua editora e para outras editoras fonográficas. Possui, ainda, estúdio móvel, com o qual realiza projetos na área do áudio e do vídeo, para edição de CD áudio, DVD vídeo e projetos em alta definição (Full HD e 4K).

É portador da Medalha de Prata de Valor Cultural atribuída pela Câmara Municipal de Praia da Vitória.

Bio facultada por Emiliano Toste, publicada na Meloteca a 19 de fevereiro de 2022

TESTEMUNHOS

“O trabalho gigantesco do Emiliano Toste, como produtor, engenheiro de som, editor e conselheiro musical, ao longo destes anos todos, pode ser considerado um autêntico serviço público. O reconhecimento desse trabalho e desse mérito é justíssimo! Através desta sua ligação à Meloteca e ao Sr. António José Ferreira, os trabalhos de muitas dezenas, talvez centenas de grupos e músicos individuais, nas áreas da musica tradicional e não só, poderão chegar ao conhecimento das pessoas interessadas! (Luís Meireles, flautista)

Músicos de Praia da Vitória

Clique AQUI para saber mais sobre músicos do Concelho.

Partilhe
Share on Facebook
Facebook